20/10/2019 às 08h00min - Atualizada em 20/10/2019 às 08h00min

Série volta a destacar o Órgão da Catedral Santa Teresinha em Uberlândia

Nelson Silva é o convidado para se apresentar nesta segunda-feira (21)

ADREANA OLIVEIRA
O organista Nelson Silva falou com a reportagem do Diário | Foto: Divulgação

Na noite desta segunda-feira (21), às 20h, a Catedral de Santa Teresinha, em Uberlândia, recebe novamente a série “Concertos de Órgão da Catedral de Santa Teresinha”, projeto idealizado pela pianista Cora Pava Caparelli, com produção de Daniela Carrijo. O Órgão da Catedral Santa Teresinha foi adquirido em 1957 e passou por um grande reparo em 2013 passou pelas mãos de organeiro Gorge Jann.

O convidado desta noite é o organista Nelson Silva, que vem pela primeira vez à cidade e chega já neste domingo. “Eu ainda não conheço a cidade e tive ótimas referências. Quero conhecer um pouquinho da vida cultural de vocês e já soube que o Órgão da Catedral é um dos melhore exemplares que temos no Brasil”, comentou Silva em entrevista ao Diário de Uberlândia.

Silva comenta que deve passar pelo menos parte da segunda-feira dentro da igreja, conhecendo as particularidades do Órgão e estudando e está feliz por se apresentar novamente diante de um público que aprecia esses sons deste instrumento e aqueles que o contemplarão pela primeira vez. Aliás, a música está presente na vida de Silva desde a infância.

“Eu fazia parte do coral da Igreja e quando as pessoas perceberam que eu tinha talento começaram a me incentivar. Aos 9 anos comecei estudando flauta doce, aos 10 anos passei para o piano com professor particular e aos 11 entrei no conservatório”. A prática com o piano, que veio com a formação no Conservatório João Baptista Julião, em sua cidade natal, foi fundamental para seu desempenho junto ao instrumento que logo o cativou.

“Na minha cidade natal não tinha Órgão e eu, na primeira vez que ouvi e vi toda a imponência do instrumento fiquei fascinado. É um instrumento tão bonito e tão complexo... gostei tanto, que fiz mestrado e vou fazer o doutorado na área. A prática com o piano é fundamental para quem quer ser organista, apesar das diferenças técnicas entre esses dois instrumentos”, explicou ele, que foi organista da Catedral Evangélica de São Paulo, da Igreja Batista da Liberdade, organista convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), de 2000 a 2013, entre outras instituições.

Fez Bacharelado em Música, Órgão, na Faculdade Santa Marcelina e Mestrado em Música no Westminster Choir College, Princeton, nos Estados Unidos, com bolsa da Capes. No tempo em que residiu nos Estados Unidos foi organista da Igreja Presbiteriana de Chestnut Hill em Filadélfia, e do American Boy Choir, o coral de meninos mais importante do país. De volta ao Brasil, trabalhou com projetos que possibilitaram a várias crianças e jovens visitas a igrejas para ver de perto um Órgão e conhecer sua sonoridade.

“É importante despertar a curiosidade nas crianças para este instrumento que não é encontrado em qualquer ambiente. Só existem Órgãos dentro das igrejas e isso já limita um pouco o acesso. Mas a partir do momento em que começamos a entender mais sua história, logo estamos pensando em trilhas clássicas com este instrumento como a de ‘O Fantasma da Ópera’”.

Para proporcionar mais acesso às pessoas a esta arte, Silva gravou o CD “Música Brasileira para Órgão” (Paulus), considerado o primeiro registro fonográfico com obras de diversos compositores para o instrumento. E ele segue sempre com suas apresentações por onde é convidado.

“Infelizmente em nosso país o acesso à cultura não é prioridade. Muitas vezes passamos meses ensaiando para chegar em um concerto, tocando sem remuneração, para 10, 20 pessoas. Isso é desestimulante para o público e para o artista. Por isso é bom quando um projeto como este de Uberlândia nos convida e além da remuneração ainda trabalha na divulgação do evento, é uma iniciativa louvável”.

Atualmente, Silva é organista da Igreja Presbiteriana do Jardim das Oliveiras, e se prepara para cursar o Doutorado em Música pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Está nos planos também a retomada de projetos socioculturais que leva crianças para visitas às igrejas para conhecerem o Órgão.

SERVIÇO
O QUE: Concertos de Órgão da Santa Teresinha
QUEM: Nelson Silva
QUANDO: segunda-feira (21), às 20h
LOCAL: Catedral Santa Teresinha (Praça Tubal Vilela, s/n, Centro)
ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO: livre
INFORMAÇÕES: 3236-9475
 
PROGRAMA
Claude Balbastre                                   CONCERTO EM RÉ MAIOR
(1724-1799)                                           . Prelude
                                                               . Allegro
                                                               . Gavotte
                                                               . Allegro

 
Edward Elgar                                         NIMROD  (das Variações Enigma)
(1857-1934)                                           (transcrição de Pierre Gouin)


 
Felix Mendelssohn Bartholdy                SONATA Nº2 EM DÓ MENOR  Op.65
(1809-1847)                                           . Grave/Adagio
                                                               . Allegro Maestoso e Vivace
                                                               . Fuga (Allegro Moderato)
 

 
Antonin Dvorák                                  LARGO (da Sinfonia nº9 - Novo Mundo)
(1841-1904)                                        (transcrição de H. Clough-Leighter)
 


Johann Sebastian Bach                        PRELÚDIO E FUGA EM DÓ MENOR - BWV 546
(1685-1750


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »