31/08/2019 às 09h22min - Atualizada em 31/08/2019 às 09h00min

Uberlândia ganhou o coração do artista argentino Marcelo Malfinson

Entre lugares favoritos do personagem estão o Mercado Municipal e o Parque do Sabiá

ADREANA OLIVEIRA
Marcelo Malfinson diante de um grafitti de Dequete no centro de Uberlândia | Foto: Divulgação

Brincadeiras e rixas à parte, a mistura entre Brasil e Argentina pode render bons frutos. Em Uberlândia, não é incomum encontrar, cada vez mais, pessoas vindas de diferentes países que chegam por motivos variados, alguns ficam, outros não, e muitos vão e voltam.

É o caso do artista Marcelo Malfinson. Nascido em 1972 em Chos Malal, pai de três filhas e avô de uma menina, ele envereda pelas artes, assim, no plural, e mais importante do que trabalhar com artes visuais, música, artesanato e literatura, é, difundi-las.

É comum encontrá-lo sempre com uma bolsa a tiracolo na qual está uma pasta, já pesada, com um portfólio que marca suas viagens pelo mundo e as causas que defende. A ligação com o Brasil surgiu há mais de 20 anos, quando o pai se mudou para o Mato Grosso do Sul. “Agora ele está em Uberlândia, assim como minha filha mais nova. Aqui também fez grandes e bons amigos no ramo das artes, desde a urbana com o grafiteiro Dequete, que conheci em uma batalha de hip hop, até músicos como Nelson Félix, com quem fiz meu trabalho musical mais recente.”

A família é importante na vida do artista, que, em 1996, lançou sua primeira demo. Na capa, uma foto dele e do avô, o fotógrafo Carlos Vasquez.

Entre seus lugares favoritos em Uberlândia estão o Mercado Municipal e o Parque do Sabiá, que visita com frequência quando está por aqui e, dessa vez, com mais atenção para o zoológico. Afinal, nesse novo giro, ele chama a atenção para uma causa ecológica, a dos pumas, os grandes caçadores das montanhas dos Andes. “Eles estão descendo com mais frequência as montanhas, há lugares em que a caça é controlada, em outras não, em regiões onde estão correndo risco de extinção. Meus trabalhos, pelos próximos meses, estão conectados com eles.”

Malfinson viaja leve, evita peso desnecessário. Na pasta tem sempre o material de que precisa, caso apareça algum trabalho, como pintura de painéis, caricaturas para jornais e pintura de murais. E aonde vai leva um pouco de Uberlândia consigo.

Para acompanhar o artista, acesse os canais de Marcelo Malfinson no YouTube e Facebook.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »