31/05/2019 às 08h00min - Atualizada em 31/05/2019 às 08h00min

“Precisamos falar de amor”

Mart´nália desembarca nesta sexta-feira (31) em Uberlândia cantando Vinicius de Moraes em show que celebra 40 anos da Adufu

ADREANA OLIVEIRA
Mart´nália seguirá para uma turnê pela Europa após apresentação de Uberlândia (Divulgação)
Os fãs devem concordar: ao olhar para Mart´nália é fácil ser contagiado por uma serenidade, uma paz, muito graças ao sorriso sempre presente no rosto. A cantora, compositora e atriz se apresenta nesta noite (31), com entrada franca, em show que marca os 40 anos da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Uberlândia (Adufu). No repertório, músicas do inesquecível Vinicius de Moraes (1913-1980). O porquê da escolha?

“Sempre ouvi e gravei Vinicius de Moraes, mas o Brasil está tão conturbado com tudo que achei que eu precisava falar de amor. Amor que trata bem a mulher e que não faz mal a ninguém... amor pela vida e pelos lugares. Assim era Vinicius, um eterno apaixonado pela vida e eu sou bem assim”, disse Mart´nália, em entrevista ao Diário de Uberlândia.

Com uma discografia bem diversificada com lançamentos desde o LP de 1987, “Martinália”, até o mais recente, “Misturado” (2017), a filha de Martinho da Vila teve uma formação musical como a cultura brasileira: múltipla. Quando lançou “Não tente compreender” (2012) entrou até no rock com Nando Reis. “A minha irmã era mais careta... bacharel piano clássico blá blá blá... Maíra Freitas. Hoje está se aventurando e bem misturada por aí. Sempre ouvimos artistas Motown Records, Aretha Franklin, Billie Holiday, Caetano, Djavan, Nana Caymmi, Gal, Bethânia, Cazuza, Cássia Eller... sempre fomos bem misturados. E o samba sempre...nascemos dele”, contou.

A artista conquistou o Grammy Latino 2017 de Melhor Álbum de Samba/Pagode por “Misturado”. “Foi incrível receber esse reconhecimento e realmente, como o título diz, foi meu CD mais misturado. Fiquei muito feliz e a estatueta está bem na minha sala”. Como atriz, Mart´nália participou da divertida “Pé Na Cova”, mas afirma que voltar a atuar não está nos seus planos, apesar de ter adorado a experiência na série de Miguel Falabella.

Passamos por um momento sócio, político e cultural muito complicado em nosso país. Para Mart´nália, é importante que a classe artística não se abstenha de opinar. “Nossa cultura, nossa educação e nossa saúde são primordiais. Não vou a palanque nem tenho a voz ativa porque não sei e não gosto mesmo de discutir! É vergonhoso esse retrocesso. É lamentável! Estamos todos sofrendo, todos se mexendo de algum jeito para ter sentido. Ficar em cima do muro nunca, podemos fazer e dizer coisas cada um do seu jeito. O meu, por exemplo, foi gravar o Vinicius, falar de amor... exaltar a mulher dentro dessa visão de feminicídio que estamos passando”.

E se você está meio pra baixo, quase engolido pelo pessimismo, se faz tempo que não tem uma conversa bacana, daquelas em que olhamos nos olhos do interlocutor, segue o convite de Mart´nália pro show de logo mais. “Canta, canta, minha gente deixa a tristeza pra lá, Canta forte canta alto que a vida vai melhorar. Tá difícil de melhorar, mas a gente canta assim mesmo... quem canta seus males espanta e faz muito sentido, né?”.

E é bom conferir agora porque logo mais a turnê vai pra bem longe. “Estamos indo para onde nos levam. Agora vou para Europa e faço nove países, sendo que dois nunca fui, Irlanda e Suécia. Estou animada porque consegui levar minha banda e vamos tocar em lugares bem legais. Depois voltamos e caminhamos mais por aqui”, adiantou a cantora.

SERVIÇO

O QUE: 40 anos da Adufu
SHOW: Mart´nália canta Vinicius de Moraes
QUANDO: hoje, às 20h
LOCAL: estacionamento da Reitoria da UFU no Campus Santa Mônica (entrada pela avenida João Naves de Ávila)
ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO: livre
Notícias Relacionadas »
Comentários »