26/05/2019 às 13h00min - Atualizada em 26/05/2019 às 13h00min

Consumo de proteína deve ser feito na quantidade correta

Ingestão de 1 a 3 gramas por dia por quilo do peso corporal garante vida saudável e evita fadiga

FOLHAPRESS

O consumo diário de proteína, na quantidade adequada, é fundamental para quem pretende levar uma vida saudável. Seja por meio de carne, leite, ovos ou até mesmo com a suplementação alimentar, o nutriente ajuda a manter o organismo funcionando bem. Embora recentemente uma pesquisa desenvolvida com a participação da professora Viviane Alves, do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), tenha a ponta do que consumo excessivo de proteína pode provocar envelhecimento precoce e doenças como Alzheimer, especialistas afirmam que ninguém deve abandonar o nutriente por completo, caso queira ter saúde.

Eles apontam que se deve ingerir de 1, 2 a 3 gramas de proteína por quilo de peso corporal. Ou seja, uma pessoa com 80 kg deve consumir de 96 a 240 gramas do nutriente por dia. "Dependendo da pessoa, a ingestão adequada é de 100 gramas de carne vermelha ou 100 gramas de tilápia,o que significa mais ou menos duas vezes a palma da mão da pessoa", afirma o médico ortomolecular João Branco. Fadiga, dor muscular e queda de cabelo são alguns sinais de falta de proteína no organismo, segundo o nutricionista Leonardo de Castro Gaudar, da Doctoralia. "A insuficiência de proteína reduza massa muscular, impedindo-nos de realizar atividades físicas. Estes distúrbios musculares, em um nível muito avançado, podem causar câimbras irritantes", diz. Uma dieta pobre em proteínas nos expõe mais facilmente a infecções e resfriados".

Idosos devem manter a alimentação adequada
Os idosos merecem atenção especial quando se trata de consumo de proteína. Por terem muitas vezes a mastigação fragilizada, podem buscar alimentos mais macios como as massas, cheias de carboidratos, deixando de lado carnes, por exemplo. "As fontes proteicas líquidas são um artificio e são válidas especialmente para proteger o idoso da perda de massa muscular", diz o médico ortomolecular João Branco. Segundo o especialista, um mau hábito alimentar, com refeições sem proteína, podem afetar o organismo de pessoas mais velhas. "O grande problema é que o idoso acaba fazendo a dieta do ocidente, ou seja, ele começa a trocar a proteína por ingestão de carboidratos que são mais fáceis de mastigar ou alimentos processados", completa. (WC)

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »