25/05/2019 às 10h00min - Atualizada em 25/05/2019 às 10h00min

Saiba como fica o desconto no salário com a mudança no INSS

Reforma da Previdência prevê alteração na alíquota, que poderá variar entre 7,5% e 14%

FOLHAPRESS
Caso a proposta da reforma da previdência do governo Bolsonaro seja aprovada, as alíquotas das contribuições previdenciárias dos trabalhadores ao INSS serão alteradas.

Hoje, os empregados do setor privado recolhem de 8% a 11%, dependendo do salário. A nova regra prevê alíquotas que variam de 7,5% a 14% ao mês.

As novas alíquotas incidirão de forma progressiva, como na tabela do imposto de renda, ou seja, serão calculadas apenas sobre a parcela de salário que se enquadrar em cada faixa.

Hoje, essas alíquotas incidem sobre todo o salário, desde que o valor esteja em uma faixa específica.

Pela nova regra, a alíquota mais baixa passará de 8% para 7,5% para trabalhadores que ganham salário mínimo, hoje em R$ 998.
Os que recebem entre esse valor e R$ 2.000 recolherão 9%. Trabalhadores com salário entre R$ 2.000,01 e R$ 3.000 vão recolher 12%.

Na parcela de salário que avança de R$ 3.000,01 para R$ 5.839,45, o atual teto do INSS, a alíquota fica em 14%. Os que ganham acima desse teto recolhem até esse limite, como na regra atual. Com todas essas alterações, por exemplo, quem ganha R$ 3.000 atualmente se encaixa na alíquota de 11% (faixa 3) e tem R$330 descontados de INSS. Já com a nova regra, o trabalhador que recebe o mesmo valor passa para a alíquota de 9,5% (faixa 3) e terá R$285 retidos pelo INSS.

Após isso, ainda será calculado o desconto do IR e, enfim, o trabalhador receberá o salário líquido.

Já os servidores públicos terão alíquotas de 7,5% a 22%. Hoje, eles recolhem de 8 a 11% sobre todo o salário.

Um servidor que ganha atualmente R$10.000 recolhe R$ 1.100 de INSS, pela alíquota máxima de 11%. Com a nova regra, ele teria alíquota de 12,85% e teria R$ 1.285,83 descontados.

O INSS colocou uma calculadora na internet (servicos.gov.br/calculadora/calcular) para que os trabalhadores possam consultar qual o desconto do INSS atual e qual o desconto após a reforma da Previdência.

No site, o trabalhador escolhe o setor que trabalha (privado ou público), preenche o valor do salário e faz a comparação.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »