26/05/2019 às 08h00min - Atualizada em 26/05/2019 às 08h00min

Corrida de rua é tendência em Uberlândia e pelo Brasil

Grupos de corrida e assessorias podem ser encontrados com facilidade em locais como o Parque do Sabiá

EDER SOARES
(Divulgação)
A prática de corridas de rua, sejam provas mais curtas, de 5 km ou 10k, sejam maratonas ou ultra-maratonas, que chegam a percursos de 42 kms até 90km, vêm tomando conta da preferência de praticantes por todo o mundo.  Mas não é só vestir um short, camiseta e tênis e sair correndo de qualquer maneira, é preciso procurar orientação profissional para evitar problemas. Existem provas todos os meses, por todo o Brasil e que não se restringem somente aos profissionais e cada vez mais atletas amadores estão aderindo a esta pratica esportiva, que atrai pela liberdade e prazer.

Hoje, a partir das 8h, saindo do 36º BIMec, acontece a tradicional Corrida da Infantaria, uma parceria entre a Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel) e o 36° Batalhão de Infantaria Mecanizado de Uberlândia, na qual estarão centenas de corredores de Uberlândia e região.

A reportagem do Diário de Uberlândia foi atrás de algumas figuras incentivadoras da corrida de rua na cidade, mas traz também nesta reportagem exemplos de pessoas que mudaram radicalmente os hábitos em função do prazer de correr livremente e melhorar a qualidade de vida sob todos os aspectos.

Para começar, o primeiro exemplo é da analista judiciária Elisangela Greek, de 45 anos. Em 2015, no sentindo de perder peso e buscar melhor qualidade de vida, ela encontrou nas corridas de rua uma inspiração. “Me encantei pela corrida e procurei uma assessoria, fiquei na primeira uns dois anos. Hoje estou com Daniel Oliveira. Desde que comecei tenho uma planilha, três vezes por semana, com tudo o que vou fazer. Todo o sábado, o nosso grupo se reúne e fazemos um longão, que é correr em um trecho um pouco mais longo”, disse Elisangela.

MÉDICO

Edson Gomes, de 43 anos, é médico e preparador físico. Ele começou a correr mediante a um grave quadro de obesidade. A mais de um ano, por decisão própria, começou a correr no Parque do Sabiá, onde treina todos os dias, além de participar de corridas na cidade e por todo o país. “Eu corro no mínimo 8km por dia. Mudei minha alimentação, não como mais frituras e nem tomo refrigerante, além de evitar carboidratos à noite. Hoje estou no peso ideal e tudo melhorou em minha vida. A corrida evita AVC, outros riscos, e comprovadamente controla o stress. Outra dica é que quando você vier correr, por favor, deixe o celular em casa. Este é um momento somente seu, curta este prazer”, disse.

ASSESSORIA
É importante salientar que existem em Uberlândia vários grupos de corrida e que existe uma diferença entre grupos de amigos, que se reúnem para correr, e grupos de assessoria, no qual profissionais da educação física prestam consultoria e além de organizar a participação em provas, fazem ainda todo o acompanhamento dos corredores. Estes profissionais podem ser encontrados diariamente, por exemplo, no Parque do Sabiá, um dos locais preferidos dos corredores.

Uma entre as várias consultorias de grupos para corredores é a Tendão Outdoor, que tem como orientadores Tales Junqueira e Fredy Guerra, profissionais de educação física. Para se ter ideia do tamanho da procura, atualmente somente o grupo orientado por eles conta com cerca de 160 alunos. “Como todo o esporte, a corrida não é diferente e ela precisa de uma preparação. A gente precisa individualizar o treinamento, a pessoa que quer apenas se divertir procura um grupo de amigos e vai correr, mas para se preparar bem é necessário este trabalho, treinamento, fortalecimento e recuperação dos músculos, além de um trabalho nutricional”, disse Tales.

INCENTIVADORES

Em Uberlândia basta dar uma pequena pesquisa na internet que é possível encontrar organização de corridas, todo o mês. Dentro deste contesto existem alguns nomes que há muitos anos são referências em termos de corridas de rua, como o maratonista Nilson de Paula, de 66 anos, que tem inclusive o seu nome dado a uma maratona, em Uberlândia. No dia 9 de junho, ele e outros corredores da cidade estarão na África do Sul para participar da Comrades, a mais famosa ultramaratona do mundo, uma prova de 90 km pelas montanhas de Durban. Essa será a sétima participação de Nilson somente nesta prova, que nesta ocasião cravará a sua 250ª maratonas/ultras, percorridos em várias partes do Brasil e do mundo.

“Ninguém precisa ser maratonista para ter a corrida como aliada na vida. Porém, seja a distância que for, para seguir adiante é preciso dedicação e persistência para colher os benefícios da atividade. Correr é a atividade física mais democrática que existe. É barato, não precisa de ninguém e nem espaço específico para praticar, basta um calção, tênis e abrir a porta de casa para ter uma academia de céu aberto para desfrutar”, afirmou Nilson.

Outra figura reconhecidamente presente nas corridas de rua egrande incentivador é o vereador Antônio Carrijo. Ele foi o criador de um dos primeiros grupos de corrida da cidade e organiza aos finais de semana o Longão, que é uma corrida com um percurso maior, depois da semana de treinamento com distancias menores. Carrijo foi obeso e depois de fazer a cirurgia bariátrica acabou engordando dez quilos. Foi aí que percebeu o quanto a atividade física era importante não só para a manutenção do peso, mas principalmente para o condicionamento da saúde. “Hoje existem dezenas de grupos e grupos de assessorias. Os grupos ajudam a incentivar a corrida, pois quem começa em um grupo, pela socialização e benefícios que são notórios, não para mais”, disse.

PRAIA CLUBE

O coordenador de provas do Praia Clube, Turíbio Valim, de 69 anos, está em entre os principais percussores de corrida de rua da região. O grupo de um dos principais clubes sociais de Uberlândia começou há 16 anos com seis membros e conta atualmente com mais de 300. Eles viajam o ano todo pelo Brasil em busca do prazer de percorrer pelas ruas e de socializar. 

Professor de karatê por 44 anos, Turíbio se apaixonou pela corrida há 40 anos atrás, quando serviu o Exército. Ele nunca mais parou, passando adiante esta paixão e trazendo a cada ano mais adeptos para esta modalidade. “Além de trazer saúde e o prazer de estar cumprindo uma missão, um dos fatores mais importantes que noto no grupo de corrida é sem dúvida a socialização.  Ficam juntos médicos, juízes, promotores, com ajudantes de serviço geral e as profissões mais impes, sem discriminação de classes. Todo mundo almoça junto e fica no mesmo hotel, com muita amizade”, disse.
 
Relação de corridas de rua do calendário nacional

http://www.corridasbr.com.br/

Roupas
Para fazer uma boa sessão de corrida, é necessário sentir-se confortável, sem roupas apertadas ou pouco flexíveis. Procure usar camisetas de tecidos leves, como o algodão ou os mais tecnológicos, que eliminam o suor e evitam que ela fique grudada no corpo.

Calçado
Tênis de corrida são construídos para um tipo de pé específico. Assim, antes de escolher um tênis, certifique-se de saber que tipo de pisada possui. Procure por um tênis com a ênfase correta na estabilidade, amortecimento e conforto.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »