01/05/2019 às 08h30min - Atualizada em 01/05/2019 às 08h30min

Festival “Doidimai” chega à 10ª edição

Um dia depois do Dia do Trabalho os operários da arte entram em cena no Municipal

ADREANA OLIVEIRA
O Boogarins saiu de Goiânia e leva sua psicodelia para palcos do Brasil e do mundo (Divulgação)
Um festival dedicado à música sem fronteiras e sem rótulos. Uma representação da mineiridade na forma de organizar e trazer para Uberlândia bandas com uma forte identidade independente para tocar no “Doidimai”. Para os entendedores, o “doidimai” sempre é realizado no 2 de maio e tem que ser “doido demais”. Neste ano o festival será no Teatro Municipal dentro da programação do projeto Música Importa.

As atrações são Jack Will, o baterista e percussionista uberlandense que dará as boas vindas ao público ainda no foyer, que contará com outras manifestações artísticas como performances e exposições, além de um bar com chope artesanal.
 
No palco do Municipal se apresentam as bandas Boogarins (GO) e os pratas da casa Porcas Borboletas.  Os goianos lançaram recentemente o disco “Sombrou dúvida” e têm outros três títulos lançados: “As Plantas Que Curam” (2013), “Manual” (2015) e “Lá vem a morte” (2017).
 
Formada em Goiânia em 2012 o grupo conta atualmente com Fernando “Dinho” Almeida (vocais e guitarra rítmica) e Benke Ferraz (guitarra solo), Raphael Vaz (contrabaixo) e Ynaiã Benthroldo (bateria). O som traz nuances de psicodelia e neopsicodelia, resumindo, chapante, e já levou a banda vários festivais pelo Brasil e pelo mundo, inclusive o Rock in Rio Lisboa, Primavera Sound, Porão do Rock, Coquetel Molotov, Coachella Valley Music and Arts Festival, Lollapalooza e South by Southwest.
 
O Porcas Borboletas é patrimônio cultural de Uberlândia. Há quase 20 anos emprestam sua inventividade e peripércias sonoras por todos os lugares por onde passam. Os shows sempre muito intensos conta com repertório de quatro discos: “A passeio” (2005), “Um carinho com os dentes” (2009), “Porcas Borboletas” (2013) e “Momento íntimo” (2017).
 
A banda traz Ricardim (samplers e sintetizador),  Enzo Banzo (voz e guitarra), Danislau (voz), Chelo Lion (baixo), Moita Mattos (guitarra e voz) e Pedro Gongom (bateria). Para Chelo, o “Doidimai” tem um significado mais que especial, já que ele é um dos idealizadores do projeto.
 
Olhando para o primeiro flyer do “Doidimai”, o músico percebeu algumas semelhanças entre a primeira edição e a última. Jack Will e Danislau (Porcas) faziam parte da programação da primeira edição, que também contou com o goiano Diego de Moraes, e agora Goiás é representado pelos Boogarins. “O Goma foi a primeira casa a abrigar o festival, época que fiz as primeiras participações em ações culturais do Djalma Filho, que hoje trabalha com o Música Importa, e que é de grande importância para essa edição do ‘Doidimai’. Por aí percebo que resistimos na mesma essência de 10 anos atrás, mas talvez de uma forma mais profissional, ou menos louca”, brinca.
 
A parceria com o Música Importa consolidou-se depois que Chelo procurou o produtor Djalma Filho por ter visto grandes ações culturais do projeto, que em Uberlândia tem patrocínio da Souza Cruz. “A ideia é fazer essa décima edição do ‘Doidimai’ um barulho mais forte do que já fazíamos e garantir mais uma noite histórica para a cidade”, finalizou o músico que promete uma grande noite.
 
SERVIÇO
 
O QUE: festival Doidimai
QUEM: Boogarins, Porcas Borboletas e Jack Will
QUANDO: amanhã (2), a partir das 18h30
ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia
CLASSIFICAÇÃO: 18 anos
INGRESSOS: R$ 30, à venda na Cervejaria Uberbrau, Armazém Ateliê e no site ingressolive.com
INFORMAÇÕES: 3235-1568

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »