28/04/2019 às 08h00min - Atualizada em 28/04/2019 às 08h00min

Uberlandense do PSG espera ir ao Mundial

Daiane Santos começou na escolinha do Flamengo em Uberlândia, jogou em clubes do Brasil e da Europa até chegar na França

EDER SOARES
(Divulgação)
Uma jovem uberlandense de apenas 21 anos vem realizando um sonho de muitas meninas que jogam futebol por todo o Brasil. Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, como falta de apoio financeiro, estrutura e principalmente o preconceito, Daiane Santos vem quebrando vários tabus. A zagueira que atualmente defende o Paris Saint-Germain (França), equipe onde joga do craque da Seleção Brasileira Neymar, vive a grande expectativa de estar na lista do técnico Vadão para o grupo que disputará a Copa do Mundo feminina, que acontecerá na França a partir do dia 7 de junho.

Nascida em Londrina (PR), Daiane se mudou com os pais e os irmãos para Uberlândia quando ainda era uma bebê. A família é grande e conta com 23 irmãos, sendo 18 vivos. O Diário de Uberlândia buscou contato com a zagueira, que está na França em plena temporada europeia. Ela fez questão de atender a reportagem e falar um pouco sobre o seu início de carreira.

O início no esporte aconteceu aos 15 anos na Escolinha do Flamengo, em Uberlândia. Com 16 anos, a defensora fez teste no Kindermann (SC), onde ficou por um ano. Depois foi para São Paulo, onde jogou no Rio Preto. Lá, foi convocada pela primeira vez para a Seleção Brasileira sub-20, pela qual disputou competições como o Mundial e outros campeonatos internacionais. Logo depois começaram a surgir propostas para sair para fora do país, como a Noruega, para onde foi com apenas 18 anos. Aos 20 anos foi contratada pelo PSG.

“O acerto com o PSG veio depois de uma partida das quartas de final da Champions League entre o meu clube, na época o Avaldsnes Idrettslag, e o Barcelona (Espanha). Depois deste jogo veio o interesse do PSG. Teve a negociação, o meu time não queria liberar, mas deu tudo certo, consegui acertar e hoje estou muito feliz nesse clube e também na França, onde fui muito bem recebida”, disse Daiane.

Sobre o futebol praticando na França, ela não tem dúvidas em definir como altamente organizado e competitivo. “O futebol aqui na França é muito disputado, de muita força e intensidade. É o jogo lá e cá. São muitos times na Liga. Só não é muito equilibrado porque tem o Lyon, que é um dos melhores times do mundo, e o PSG. A briga é intensa entre estes dois. Todo o jogo é realmente uma luta”.

Sobre o futebol feminino no Brasil, Daiane entende que muita coisa precisa ser melhorada para que mais meninas possam ter oportunidades como ela. “O futebol no Brasil tem evoluído muito. A minha geração vem tendo oportunidades que jogadoras como a Marta e Formiga, que são de outra geração, não tiveram no início de carreira. Tem evoluído, mas acho que ainda falta muito, mas acho que isso só irá melhorar aos poucos”, disse a zagueira, que falou ainda sobre o apoio da família, que mora em Uberlândia.

“A minha família é muito grande e eu precisei sair para ajudar eles, pois em Uberlândia praticamente não existe futebol feminino. E no Brasil, pra você jogar e ajudar a sua família é praticamente impossível. Espero em breve poder voltar para o Brasil e ficar perto da minha família”.

Daiane também falou da extensa família de 23 irmãos. “São todos dos mesmos pais (risos). E meus pais me apoiaram muito, desde sempre, e tudo o que eu sou hoje devo a eles por terem me ajudado. No início era tudo muito difícil, pois não tinha muitas condições. Inúmeras vezes eu pensei em desistir e eles não deixavam. Na minha casa, todos gostam e jogaram futebol, mas profissional somente eu. Nossa família é grande e super unida. O futebol me deu essa oportunidade, graças a Deus”, afirmou.
 
COPA
 
A lista da convocação das jogadoras que disputarão a Copa do Mundo da França ainda não foi divulgada pelo técnico Vadão, mas Daiane se mostra muito ansiosa para estar entre o grupo. “Espero, de todo o coração, que eu possa estar na lista, disputar este Mundial, mesmo porque trabalhei muito para isso e fica também a expectativa de poder levantar o caneco. Se Deus quiser vai dar tudo certo”.

O histórico da zagueira na base da seleção, e também as últimas convocações de Vadão, dão ainda mais esperança para a jogadora. “Eu já fazia parte da seleção sub-20, mas em janeiro do ano passado veio a minha primeira convocação para a seleção principal. Desde então eu só fiquei de fora de uma convocação porque senti um pouco o joelho, mas agora já está tudo certo. Estou confiante em estar na convocação”.
 
FICHA
Daiane Limeira Santos Silva
Idade: 21
Altura: 1,79
Peso: 53 kg
Clubes: PSG (França), Avaldsnes Idrettslag (Noruega), Rio Preto (SP), XV de Piracicaba (SP), Tiradentes (PI) e Kindermann (SC)

TÍTULOS
Copa América – 2018
Campeonato Paulista - 2016
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »