26/04/2019 às 08h03min - Atualizada em 26/04/2019 às 08h03min

Tudo ou nada

Dentil/Praia Clube precisa vencer hoje à noite para empatar a série, enquanto nova vitória dá ao Minas Tênis o título

EDER SOARES
Jogadoras treinaram durante a semana no Sabiazinho, que deverá receber cerca de 6 mil torcedores (Ascom/Praia)
Chegou a hora do tudo ou nada para o Dentil/Praia Clube que precisa vencer o Minas Tênis Clube na noite desta sexta-feira (26), às 21h30, na Arena Sabiazinho. Depois de perder o primeiro jogo na capital mineira por 3 sets a 2, o time uberlandense depende de um triunfo para empatar a série e forçar o terceiro - e último - confronto marcado para o dia 3 de maio, em Belo Horizonte. Em caso de nova derrota, a equipe do Minas leva o título.

Ainda sem saber se poderá contar com a ponteira Fernanda Garay, que se recupera de uma entorse no tornozelo, a equipe se mostra confiante para jogar com casa cheia - cerca de 6 mil torcedores prometem empurrar a equipe uberlandense rumo a uma vitória.

Encaixar um estilo de jogo agressivo pode ser, segundo o técnico Paulo Coco, um dos detalhes mais importantes para se manter vivo o sonho do bicampeonato. “É um confronto que já sabíamos ser de detalhes, como foi no primeiro jogo em Belo Horizonte. Acho que precisaremos jogar um pouco melhor, de forma mais equilibrada, mas não deixando de lado o mais agressivo. Dentro de quadra precisamos ter cabeça fria e sabedoria para, inclusive, superar possíveis momentos de instabilidade, caso eles apareçam”, disse Coco.

No primeiro jogo, a oposta Nicole Fawcett, que está de contrato renovado por mais uma temporada, foi a maior pontuadora. Ela espera, mais uma vez, ter pontuação elevada. “Teremos o calor da nossa torcida, que vem sendo muito importante ao longo da competição. É claro que na quadra teremos de superar a nossa ansiedade e trabalhar contra um grande time, que é o Minas. Mas estamos preparadas para jogar bem, vencer e seguir na briga pelo título”, afirmou.

Sua compatriota, a levantadora Carli Llouyd terá um grande desafio caso não conte com a presença de Fernanda Garay. Apesar dessa possibilidade, ela entende que a substituta natural, Rosamaria, e outras jogadoras têm totais condições de dar conta do recado. “Ainda temos esperança de contar com a Garay, mas se não foi possível, tenho certeza que posso confiar em todas as nossas jogadoras. Vou jogar bola e elas vão virar as jogadas”, afirmou.
 
DUELO DE CENTRAIS
 
Na busca pelo título as duas equipes contam com um trunfo no meio de rede. As centrais Carol Gattaz, do Minas, e Carol, do Praia Clube, tem em comum, além do nome, a boa fase e o destaque nas estatísticas da competição. Gattaz lidera na eficiência de ataque, enquanto Carol tem o melhor bloqueio. No jogo do último domingo (21), as duas atletas deram um exemplo prático sobre esses números.

Gattaz, junto com a ponteira Gabi, teve o melhor aproveitamento no ataque pelo lado do Itambé/Minas, com 50% de acertos. A central de 1,92m tem 37 anos e é uma das mais experientes do time de Belo Horizonte. A jogadora espera um duelo ainda mais difícil na segunda partida da decisão. “A gente sabe que este segundo jogo será mais difícil. Elas estarão jogando em casa, o ginásio estará lotado. Sabemos que elas virão fortalecidas, querendo muito a vitória. Por isso, precisamos estar ainda mais concentrados que no primeiro jogo, temos que estudar bastante e entrar forte neste segundo confronto, que será bem mais complicado”, disse Gattaz.

Já Carol foi a maior bloqueadora da partida, marcando nove dos 22 pontos do Praia Clube neste fundamento. A central faz coro com a xará em relação ao equilíbrio esperado para o próximo confronto valendo o título da temporada.

“Com certeza será mais um jogo superequilibrado por serem duas equipes que se enfrentaram muito ao longo do campeonato e se estudaram muito também. Acredito bastante na nossa equipe. Será um jogo importantíssimo e esperamos fazer o melhor para neutralizá-las, e assim conseguir a vitória que nos levará para o terceiro confronto. Continuamos com forte treinamento e ajustando todas as táticas porque acreditamos que será um jogo decidido nos detalhes”, afirmou Carol.
 
 HISTÓRICO EM FINAIS DA SUPERLIGA

O Praia Clube chega à final da Superliga pela terceira vez. Na temporada passada (17/18) ficou com o título ao superar o Sesc RJ. Na edição 2015/16, o time de Uberlândia ficou com o vice-campeonato ao ser superado pelo Rexona-Ades na decisão em jogo único por 3 sets a 1.
O Minas, na época MRV/Minas, venceu a Superliga pela última vez na temporada 2001/2002. A equipe mineira chegou pela última vez na final na edição 2003/2004, quando foi superada pelo Finasa/Osasco (SP).
 
SERVIÇO

Os ingressos para a partida entre Praia e Minas estão sendo vendidos no site 
www.zapify.com.br, nas bilheterias do Praia Clube e do ginásio do Sabiazinho.

SUPERLIGA CIMED FEMININA 2018/2019
 
FINAIS
 
PRIMEIRA RODADA
Dia 21 - Minas 3 x 2 Praia Clube - Mineirinho 

SEGUNDA RODADA
Sexta-feira (26) – 21h30 - Praia Clube x Minas - Sabiazinho 

TERCEIRA RODADA (se necessário)
Dia 3/5 – 21h30 - Minas x Praia Clube – Mineirinho
 
 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »