06/03/2019 às 17h45min - Atualizada em 06/03/2019 às 17h45min

Plataforma registra 70 tiroteios no Rio durante Carnaval

Fogo Cruzado é um laboratório sobre violência armada que agrega e disponibiliza informações para um banco de dados

FOLHAPRESS
Foto: Reprodução/Pixabay
O laboratório de dados sobre violência armada da plataforma digital Fogo Cruzado registrou 70 tiroteios na região metropolitana do Rio durante o período de Carnaval. Em consequência da troca de tiros, 23 pessoas foram baleadas, 12 morreram e 11 ficaram feridas.

O número de tiroteios registrado este ano representa um aumento de 15% em relação ao carnaval de 2018, que teve 61 registros com 30 pessoas baleadas -18 feridos e 12 mortos. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com o relatório, das 18h da última sexta (1º) às 12h desta quarta-feira (6) houve uma média de 12 tiros por dia. Os bairros com o maior número de registros foram Complexo do Alemão (5), e o bairro Colégio (4), na zona norte, e Bangu (3), na zona oeste. O número de vítimas de bala perdida neste Carnaval chama a atenção: 5 pessoas foram atingidas, sendo que 4 morreram.
Desde o início de 2019, o Fogo Cruzado já registrou 45 vítimas de bala perdida na região do Grande Rio. Destas, 14 morreram.

PLATAFORMA DIGITAL
O Fogo Cruzado é um laboratório sobre violência armada que agrega e disponibiliza informações através de um aplicativo para tecnologia mobile combinado a um banco de dados. Uma plataforma digital colaborativa que tem o objetivo de registrar a incidência de tiroteios e a prevalência de violência armada na região metropolitana do Rio de Janeiro e do Recife.

Alertas são dados em tempo real para usuários que estiverem em um raio de 4 quilômetros da incidência de um tiro, baseado em seu GPS. A ferramenta também agrega informações -somadas a notícias veiculadas na imprensa e por órgãos policiais- em um banco de dados com geolocalização, horários das incidências, mortos e feridos em cada ocasião, bem como o registro da presença de agentes públicos de segurança no local da ocorrência, desde julho de 2016.
Notícias Relacionadas »
Comentários »