14/02/2019 às 08h32min - Atualizada em 14/02/2019 às 08h32min

Ouro para halterofilistas de Uberlândia

No último dia de competição, Maria Rita Martins ficou em primeiro lugar e bateu o recorde das Américas

EDER SOARES
Atletas uberlandenses e o técnico Wéverton Santos, depois de disputas encerradas em Dubai | Foto: Divulgação
Em um ano fundamental para as pretensões de classificação visando aos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, os competidores de halterofilismo da equipe do Clube Desportivo para Deficientes de Uberlândia (CDDU), que competem representando também a Fundação Uberlandense do Turismo, Espore e Lazer (Futel), deram uma resposta mais do que positiva na Copa do Mundo, disputada até a última terça-feira (12) em Dubai, nos Emirados Árabes.

Os atletas uberlandenses que estiveram com a Seleção Brasileira fizeram bonito na competição mundial e conquistaram nada menos do que três medalhas de ouro para Brasil. Maria Rita, Vinícius Freitas e Lara Lima fora campeões representando Uberlândia e o Triângulo Mineiro. No último dia de competição, Maria Rita Martins levantou 76 kg na categoria de atletas com até 86 kg, marca que lhe rendeu a medalha de ouro. Além disso, ela ainda superou o recorde das Américas, até então pertencente à mexicana Aunolia Rangel (75 kg). Lara Lima, de 15 anos, a quem se esperava muito, não decepcionou e trouxe mais um ouro para Uberlândia. Mostrando que vive grande fase física e técnica, uma das grandes promessas do esporte paraolímpico local ficou com o primeiro lugar na categoria júnior e ainda pegou o bronze na categoria adulta, ao levantar 73 kg na categoria até 41 kg.

Outro uberlandense, Vinícius Freitas, chegou ao lugar mais alto do pódio na categoria júnior até 80 kg, levantando 112kg. Mateus Assis também foi muito bem e  ficou com a quinta colocação na categoria 107 kg. A chegada dos paratletas em Uberlândia está prevista para o começo da tarde desta quinta-feira. “Este foi um dos torneios mais fortes da modalidade, com o melhor resultado que o Brasil já conquistou em um torneio internacional”, disse o técnico Wéverton Santos, também da equipe CDDU/Futel e um dos treinadores da Seleção. Ele elogiou bastante a performance dos uberlandenses.

“Nossos atletas validaram todos os movimentos e tiveram excelentes performances. O Mateus e a Maria Rita seguem firmes na busca do índice para os Jogos de Tóquio em 2020, enquanto o Vinícius e a Lara compõem uma nova geração que, com certeza, dará muitas alegrias”, finalizou Wéverton.

O Brasil foi o grande campeão da categoria Junior, com quatro medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze, seguido por Egito e Ucrânia que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente. Na classificação geral da competição, na categoria adulta, o Brasil ficou em terceiro lugar com uma medalha de ouro, uma de prata e três de bronze. O título foi para o Egito, com a Jordânia garantindo o vice.
 

APOIO

Atletismo batalha para manter posição de líder

 

 Wellington Fernandes, especialista em saltos e arremesso, ao lado do técnico Leandro Garcia | Foto: Divulgação
 
O ano é fundamental para os paratletas da equipe Minas Olímpica/Futel, com grande expectativa para o acontecimento das provas classificatórias em campeonatos nacionais e para a Paralimpíada Tóquio 2020. As metas da equipe de atletismo uberlandense nesta temporada são: ser tricampeã e manter-se como número 1 no atletismo paralímpico nacional.  O grupo foi campeão em 2017, 2018 e no último ano eleita pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), na categoria, a melhor equipe do Brasil nos Melhores do ano.

O treinador Leandro Garcia explica que apoiar o time a ser o melhor do país motiva os atletas a batalhar para manterem essa condição. “Os campeões uberlandenses que compõe a equipe Minas Olímpica/Futel almejam a convocação para a Seleção Brasileira, que representará o Brasil no Parapan Lima 2019 (final de Agosto) e Campeonato Mundial de Dubai que acontece em novembro. Contamos com a torcida e também com o apoio de toda a comunidade uberlandense, além d o empresariado que pode apoiar nossos atletas a conquistarem este sonho”, disse.

Os potenciais atletas do atletismo da cidade, que lutam por vagas nos principais eventos de 2020, principalmente os Jogos Paralímpicos são: Rodrigo Parreira - Medalhista Rio 2016; Mauro Souza - Finalista Rio 2016; Rafaela Silva - Medalhista Open Barranquilla 2018; Juliana Oliveira - Campeã Brasileira 2018 e Wellington dos Santos – Campeão Grand Prix Mundial 2018 Etapa Rieti-Italia.
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »