16/01/2019 às 08h07min - Atualizada em 16/01/2019 às 08h07min

Uberlandense é promessa da base do Atlético-MG

João Pedro sonha em se profissionalizar e chegar à seleção brasileira

Éder Soares
João Pedro tem como meta crescer tecnicamente neste ano (Divulgação)
O sonho de se tornar jogador de futebol é compartilhado por milhares de crianças e adolescentes por todo o Brasil, mas poucos têm oportunidades reais de realiza-lo. Em Uberlândia, um dos que buscam esse sonho é o meia-atacante João Pedro Guerra Lara, de 12 anos, que mesmo tão jovem já é tratado como uma das futuras promessas do Clube Atlético Mineiro, um dos gigantes do futebol brasileiro.
João Pedro completará 13 anos em maio e já era monitorado pelo Galo desde os dez anos. Ele começou no futebol com apenas cinco anos, passou pela escolinha dos Gaviões do Cerrado e pelo futsal do Praia Clube, até ir em definitivo para o CT do Galo, em Vespasiano. Os pais, Roni Lara da Silva e Érica da Silva Guerra, são comerciantes na zona norte de Uberlândia. No período de jogos e treinos na Cidade do Galo, os dois se revezam nas viagens para fazer companhia ao filho, que mora em uma casa próximo ao local de treinamentos. Na capital mineira, além das competições de campo, os jogadores que estão em fase de formação também jogam futsal.

“A minha esposa fica com ele, em média, uns 15 dias, já que eu não posso ficar muito por causa do nosso comércio. Às vezes fico uma semana, mas ela acaba ficando mais do que eu. A gente vive esse sonho junto com ele, não deixa ser o nosso sonho também. Ele desde novinho se identificou com o futebol”, disse Roni, que tem 40 anos e foi atacante nas categorias de base de clubes como Goiatuba (GO) e Bom Jesus (GO), mas não chegou a se profissionalizar.
Além do pai, o DNA de jogador também está na família materna de João Pedro, já que o tio, conhecido como Tourinho, foi atacante e grande promessa do Uberlândia Esporte Clube na década de 1990, também passando pelas categorias de base do São Paulo.

EDUCAÇÃO
Mesmo diante da luta pelo sonho, os estudos de João Pedro não são esquecidos pela família e pelo clube. “Primeiro de tudo, quando fizeram a proposta para leva-lo, eles [profissionais do Atlético] perguntaram sobre a vida escolar do João Pedro. Nós só fomos para Belo Horizonte depois da casa e da escola arrumada, isso tudo acompanhado por pedagoga e psicóloga. A preocupação deles com a vida escolar dos garotos é até maior do que com o futebol. Todo mês eles cobram nota e faltas.”

Empolgado pela condição de atleta do Galinho, João Pedro mostra maturidade, apesar de ter apenas 12 anos. Ele garante que não quer deixar a oportunidade passar. Com passes precisos e boa técnica de finalização, o sonho do menino é ser profissional com a camisa alvinegra e chegar à Seleção Brasileira. “É uma grande oportunidade. Que eu possa aproveitá-la, pois é uma condição para poucos. Neste ano, espero que seja ainda melhor, com muitos títulos, gols e que eu possa dar uma resposta ainda melhor para o Atlético”, disse.

João Pedro, que é corintiano desde pequeno, garante que ainda é torcedor do Timão, mas que vem aprendendo a gostar do Galo. “Venho admirando e gostando mais e mais do Atlético”, afirmou o meia-atacante, que se inspira atualmente em ídolos recentes do Galo, como o equatoriano Cazares e o venezuelano Otero, que não está mais no clube.
 
 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »