13/12/2018 às 09h08min - Atualizada em 13/12/2018 às 09h08min

Ministério Público pede prisão de João de Deus

FOLHAPRESS
O Ministério Público de Goiás pediu a prisão do médium João Teixeira de Faria, 76, o João de Deus, após a série de acusações de abuso sexual feitas por mulheres nos últimos dias. A informação foi antecipada pelo blog de Lauro Jardim, do jornal O Globo, e confirmada pela Folha de S. Paulo. Procurada, a defesa de João de Deus ainda não se manifestou sobre esse pedido de prisão.

Uma força-tarefa liderada pela Promotoria de Goiás foi criada para recolher relatos de supostas vítimas do médium e, até terça (11), já havia feito mais de 200 atendimentos, a maioria deles por email.

João de Deus nega as acusações e, ontem, apareceu pela primeira vez após as denúncias virem à tona na Casa Dom Inácio de Loyola, espécie de hospital espiritual criado por ele em Abadiânia, no interior de Goiás. "Agradeço a Deus por estar aqui. Ainda sou irmão de Deus. Quero cumprir a lei brasileira. Estou nas mãos da lei. João de Deus ainda está vivo", afirmou a fiéis.

A chegada do médium à Casa Dom Inácio foi marcada por uma confusão entre jornalistas que tentavam se aproximar e frequentadores e funcionários do centro que tentavam afastá-lo dos profissionais de imprensa. Segundo assessores da casa, João de Deus sentiu-se mal logo após o tumulto e, sem condições de atender às centenas de pessoas que o aguardavam, deixou o local poucos minutos depois.

Os relatos de 13 mulheres foram feitos inicialmente ao programa Conversa com Bial e ao jornal O Globo. Desde então, outras denúncias surgiram, levando à criação da força-tarefa em Goiás para receber relatos e depoimentos em parceria com outros estados.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »