09/10/2018 às 08h21min - Atualizada em 09/10/2018 às 08h21min

Waldi & Redson são roqueiros do mundo caipira

Dupla formada por goiano e uberlandense faz segunda turnê e lança disco novo em 2019

ADREANA OLIVEIRA
Waldi & Redson estão na estrada há 10 anos, conciliando a dupla com outros projetos | Foto: Mayron Avelar/Divulgação
Eles saíram do meio do rock and roll, do alternativo, daquele som pesado que muita gente prefere ignorar. Surpresa quando resolveram, há dez anos, virar uma dupla de cancioneiros do sertanejo raiz. A princípio, Waldi & Redson tinha cara de brincadeira, mas o lance ficou sério. Formada pelos compositores Diego Mascate (da banda goiana Pó de Ser) e por Chelo (da banda uberlandense Porcas Borboletas), a dupla é inspiradas pelas histórias de bang-bang de Leo Canhoto e Robertinho.

Neste mês eles fazem a segunda turnê, “Irmão Caminhoneiro Tour 2018”, levando seu som rural à várias regiões do Brasil. Dos nove shows, eles já realizaram quarto (Uberlândia, São Paulo, Mogi Guaçu e Sorocaba) e a partir de amanhã seguem para dois shows em Brasília, um em Goiânia, um em Goiás Velho e um em Taguatinga até o próximo dia 14.

Nesta turnê, divulgam que vem material inédito em 2019. O disco foi gravado em uma imersão rural em Senador Canedo, produzido por: Dinho Almeida (Boogarins) e Maurício Motta (Hang The Superstars). O primeiro álbum, “Waldi & Redson – Vol. 01” pode ser baixado gratuitamente pelo waldieredson.blogspot.com e está disponível também em todas as plataformas digitais.

Para Chelo, o tipo de público eles têm atraído para os shows é bem diferente. Afinal, ele considera a dupla um diferencial no cenário musical atual. “Somos rock demais para o sertanejo e sertanejo demais para o rock. O nosso público é bem variado, na medida em que engloba desde fãs de Leo Canhoto & Robertinho a fãs de Patife Band e também pessoas que acompanham nossos outros trabalhos musicais”, disse o músico.

Ainda segundo ele, admiradores da cultura caipira tradicional os assistem quando participam de festivais de viola, como em Cruzeiro dos Peixotos, Uberlândia, São Paulo e Goiânia. “Já os pesquisadores da cena alternativa autoral nos conhecem pelo fato de, por exemplo, tocarmos em grandes festivais de rock como “Bananada”, em Goiânia, “Tendencies”, em Palmas e até o saudoso “Jambolada, em Uberlândia.

NOVA FASE
Uma diferença na fase atual da dupla é o novo formato do show, em duo. Redson Vaporizer se apresenta como multi-instrumentista (tocando viola, bateria, escaleta, berrante e vocal); enquanto o Waldi Mazza Jones segura no violão e vocal. Além de suas canções, também irão revisitar clássicos da música caipira brasileira, como “Menina da aldeia” (sucesso de Lourenço e Lourival), “Saudade” (Chrystian & Ralf), “Viva a vida” (Milionário & José Rico), entre outras pérolas do nosso cancioneiro da roça.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »