21/09/2018 às 08h48min - Atualizada em 21/09/2018 às 08h48min

Concerto de Fábio Zanon tem novidades

Violonista fala da importância do violão em sua vida e do concerto que apresentará na série Tribanco hoje

ADREANA OLIVEIRA
Fábio Zanon afirma que cena da música clássica em Uberlândia é conhecida no País | Foto: Eduardo Sardinha/Divulgação
O violão para Fábio Zanon é um segundo idioma nativo. “Eu devo ter passado tantas horas da minha vida tocando violão como devo conversando, ou lendo. Certamente fiquei mais horas nele do que na escola”. O violonista nascido em Jundiaí (SP), já se apresentou frente a orquestras por mais de 40 países e hoje é do Concertos Tribanco Uberlândia, no Municipal. Apesar da agenda cheia, ele arrumou um tempo para conversar com o Diário de Uberlândia. “Farei a primeira parte do concerto um pouco inusitada. Escolhi obras de dois compositores poloneses. A maioria das pessoas pensa no violão como algo da Espanha ou da América Latina, mas há outras grandes tradições”, adiantou ele que na segunda parte do concerto volta ao “violão que as pessoas querem”. “Abro com uma obra espanhola conhecida para muita gente e depois faço uma sequência de pequenas peças de sabor folclórico de compositores das Américas. Incluo aí compositores de Estados Unidos, que tem uma tradição maravilhosa de violão folclórico, e Canadá”.

Esse repertório estará no próximo CD do artista que será lançado em um mês. Portanto, o concerto de Uberlândia é um pré-lançamento. Para Zanon, da mesma forma como aprender um idioma diferente, aprender a tocar um instrumento muda a vida de uma pessoa. “Você desenvolve hábitos, percepções que normalmente não teria e aquilo vira parte de quem você é. O violão é parte do que eu sou. O violonista, considerado “uma das verdadeiras estrelas do violão do século 21” por Paul Fowles na “Classical Guitar” e por Domenico Scarlatti, da “Sonatas - Musical Heritage”, afirma não ter uma rotina rigorosa de estudos. “Não fico mais tanto tempo com o violão na mão como ficava aos 20 anos, mas ainda estudo bastante. Me mantenho atualizado ao receber músicas novas, escutar outros violonistas, dar aulas. Também assisto meus colegas porque isso faz com que saiba o que está sendo feito de diferente no setor”, explicou ele que tem uma rotina tumultuada e às vezes crises de abstinência o deixam dias longe do violão. “Logo depois volto a estudar que nem louco”.

Zanon fez seu primeiro concerto em Uberlândia em 2001, desde então, volta pelo menos a cada dois anos. “Fiz amigos aí, e tenho colegas que respeito. Uberlândia tem uma história longa com o violão especialmente por obra do professor Jodacil Damasceno (in memorian), que criou o curso de violão na cidade e depois dele o professor Eustáquio Grilo”. Sobre o Concertos Tribanco, ele afirma que desde 2001, a série é uma das mais conhecidos no Brasil e projeta muito a cidade no segmento da música clássica. “As pessoas sabem que Uberlândia tem um movimento, com gente séria trabalhando, e no que se refere a música clássica, uma vida cultural pujante”.
 
SERVIÇO

O QUE: Concertos Tribanco Uberlândia – Recital de violão
QUEM: Fábio Zanon
QUANDO: hoje, às 20h
LOCAL: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7.070, Tibery)
CLASSIFICAÇÃO: 8 anos
INGRESSOS: o ingresso pode ser trocado por 1l de leite longa vida na bilheteria do teatro a partir das 12h
INFORMAÇÕES: 3235-1568
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »