14/09/2018 às 08h25min - Atualizada em 14/09/2018 às 08h25min

Ex-jogadores do Verdão farão decisão da Série C

Hoje adversários, Alê e Shumacher defenderam o Uberlândia no Mineiro do ano passado

EDER SOARES
Alê tenta o primeiro título para uma equipe do Mato Grosso | Foto: Cuiabá FC/Divulgação
O meia Alê e o centroavante Shumacher, atletas que vestiram a camisa do Uberlândia Esporte, estarão em lados opostos neste final de semana. No próximo domingo (16), às 15h30, em Ponta Grossa (PR), Operário Ferroviário (PR) e Cuiabá (MT) começarão a disputa pelo título do Campeonato Brasileiro Série C. Alê, que chegou ao Verdão em 2015 e foi campeão do Módulo II, saiu do clube logo depois do término da elite do Mineiro deste ano.  Apesar do rebaixamento do UEC, o jogador saiu como artilheiro da equipe com quatro gols. Já Schumacher foi companheiro de Alê no Mineiro do ano passado e deixou boa impressão à torcida, apesar de ter marcado apenas um gol com a camisa alviverde.

Antes da disputa pelo caneco, os dois jogadores participaram do principal objetivo de seus respectivos clubes na competição nacional, que foi o de garantir o acesso para a Série B do ano que vem. Outro jogador que vestiu a camisa do Verdão no ano passado e também subiu de divisão é o atacante Caio Dantas, que chegou às semifinais da Série C com o Botafogo (SP), equipe que foi eliminada justamente pelo Cuiabá do meia Alê.

Em transito para o interior do Paraná, Alê fez questão de atender à reportagem do Diário de Uberlândia. Além da expectativa para a final da terceira divisão nacional, o jogador falou ainda sobre a sua paixão pela cidade de Uberlândia e pelo Uberlândia Esporte. Alê tem residência na cidade, onde há dois meses nasceu a sua filha Ana Beatriz.

“Existe uma expectativa muito grande em Cuiabá, porque jamais um clube do Mato Grosso conquistou qualquer título nacional. O clube é muito bem organizado, tem gente competente trabalhando, demorou sete anos para conseguir subir de divisão”, disse o meia, que foi decisivo nas quartas de final da Série C, marcando gols nas duas partidas contra o Atlético (AC), que deram o acesso ao time mato-grossense.

“Eu sempre serei grato ao Uberlândia porque cheguei aí em 2015 um pouco desiludido com o futebol, ganhei oportunidades, a torcida me apoiou e eu pude mostrar o meu trabalho. Cheguei com o clube no Módulo II, conseguimos sair de uma fila de cinco anos conseguindo o acesso, mas infelizmente saí com o clube no Módulo II. Tenho a vontade de renovar com o Cuiabá, pois sempre tive um sonho de disputar a Série B. Espero poder voltar um dia para vestir a camisa do Verdão”, completou. 
 
SCHUMACHER


Schumacher defende o Operário Ferroviário, do Paraná | Foto: Operário Ferroviário/Divulgação
 
Em seu período de folga dos treinamentos, Schumacher respondeu ao contato da reportagem e falou sobre a sua expectativa para a final da Série C. “Estou muito feliz com tudo que vem acontecendo na minha carreira e devo muito ao Uberlândia, pois foi ali que tudo começou em 2017. Eu vinha de seis meses parado após jogar o Paulistão pelo Linense, e o Uberlândia me deu oportunidade. Gostaria de ter feito muito mais, mas mesmo assim conseguimos classificar o Verdão para a Série D e Copa do Brasil do ano seguinte”, disse Schumacher que falou ainda sobre o confronto de domingo diante do amigo Alê.

“Nunca é agradável jogar contra ex-colega de time, porém com o Alê é ainda mais complicado, pois, no pouco tempo de Verdão, fizemos uma amizade boa. Conheci seus pais, esposa, todas pessoas maravilhosas, além de eu ser um fã do futebol dele. Desejo um bom jogo a ele, mas que o Operário saia dessa final com mais um título”, disse em tom de brincadeira.  Schumacher conseguiu o segundo acesso seguido com a camisa do Operário. No ano passado, o clube se sagrou campeão da Série D do Brasileiro.  
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »