12/09/2018 às 07h51min - Atualizada em 12/09/2018 às 07h51min

Cruzeiro leva a melhor em duelos de Palestras

PRIMEIRA PARTIDA DA SEMIFINAL, CONTRA O PALMEIRAS, SERÁ, HOJE, EM SÃO PAULO, ÀS 21H45

Folhapress
Cruzeiro e Palmeiras fazem primeiro duelo das semifinais da Copa do Brasil (Marcello Zambrana / Cruzeiro)
Nesta quarta-feira, quando entrarem em campo para o 93º confronto da história, Cruzeiro e Palmeiras estarão decidindo os primeiros 90 minutos da disputa que leva à final da Copa do Brasil 2018. O jogo acontecerá no Allianz Parque, em São Paulo, às 21h45. A segunda partida está marcada para o dia 26 de setembro, no Mineirão.
Nos 92 duelos entre os Palestras, o de Minas Gerais leva a melhor com 34 vitórias contra 31 do rival paulista e 27 empates. O Cruzeiro marcou 133 gols e sofreu 137.

Pela Copa do Brasil, foram oito disputas, quatro delas pelas finais de 1996 e 1998. Na primeira delas, vitória celeste e na segunda, triunfo do Palmeiras. Em 2015, o time paulista levou a melhor nas oitavas de final do torneio. Já em 2017, pelas quartas de final, a Raposa se classificou com dois empates para mais tarde se tornar pentacampeã da disputa.
No estado de São Paulo foram disputados 46 jogos na capital e apenas dois deles no interior, na cidade de Araraquara, no estádio da Fonte Luminosa, com um empate e uma vitória do Palmeiras. No total, foram 11 vitórias do esquadrão celeste, contra 22 do rival e 14 empates. O Cruzeiro marcou 64 gols e sofreu 92.

Inaugurado em 2014, o Allianz Parque já recebeu quatro partidas entre as equipes, com uma vitória para o time da casa e três empates. Contabilizando com o antigo estádio, houve 30 clássicos palestrinos no local, com nove triunfos da Raposa, seis empates e 15 derrotas. Foram 43 gols marcados pela artilharia celeste contra 61 sofridos.
Na última partida entre as equipes, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro desse ano, no Mineirão, o Cruzeiro venceu por 1 a 0, gol marcado pelo atacante Rafael Sóbis, aos 26 minutos do segundo tempo.
 
Otimismo

 
Experiente neste tipo de competição e uma das referências técnicas da equipe, o meia Thiago Neves destacou o bom rendimento que o Cruzeiro tem apresentado fora de casa nos torneios eliminatórios.
“É óbvio que no Campeonato Brasileiro estamos deixando a desejar, mas na Copa do Brasil e na Libertadores estamos bem. É um jogo muito difícil amanhã [hoje], mas temos feito bons jogos fora de casa. Fizemos aqui ano passado no 3 a 3 [contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil]. Acho que amanhã [hoje] temos que jogar concentrados da mesma forma”, ressaltou.

Na opinião do camisa 30, o fato de Mano Menezes contar com praticamente todo o elenco neste momento de decisão é um fator fundamental para que o time entre forte em campo.
“É bom quando você tem o grupo todo, o Mano confia em todo mundo, sabe com quem ele pode contar nas posições. Estamos todos aqui, fortes e concentrados para conseguirmos fazer um bom jogo, que é o que importa pra gente. Vamos ter que ter bastante paciência, será um jogo de detalhes. Quem conseguir aproveitar melhor as chances, vai conseguir a vantagem”, projeta o meia.

LATERAL DO CORINTHIANS

Médico rechaça polêmica com recuperação de Fagner
 
O consultor médico corintiano, Joaquim Grava, falou sobre a recuperação mais rápida que o previsto do lateral Fagner, o que deve colocar o jogador em campo para enfrentar o Flamengo pela semifinal da Copa do Brasil, hoje, no Maracanã. Grava explicou o procedimento e atribuiu o retorno às condições particulares do jogador. Ele, porém, se contradisse a respeito de prazos.

No dia 31 de agosto, quando identificou a lesão muscular de Fagner, Grava informou um tempo de recuperação "entre três e quatro semanas". Em entrevista à ESPN Brasil ontem, disse que o prazo era "de duas a três semanas". O período que havia sido informado à CBF, porém, era entre 21 e 28 dias. A entidade também recebeu à época os exames de imagem que constatavam a contratura.

"Ele sofreu uma contratura muscular que chamamos de grau 1, antes da convocação. Fizemos os exames, ressonância, pedimos um laudo à CBF. Ele sofreu o procedimento que o departamento médico do Corinthians usa usualmente nessas lesões. Havíamos dado um prazo de duas a três semanas, mas ele teve uma evolução surpreendente e no domingo começou com uma movimentação dentro de um protocolo. Reagiu muito bem, na segunda treinou e hoje [ontem] fará treino mais específico para ver como se sente para ver se tem condições a jogar ou não", disse Grava à ESPN.

Grava, independente dos prazos, reclamou sobre a repercussão do caso. "Me surpreende essa polêmica, porque tenho 40 anos de futebol e ninguém ia fazer isso. Hoje em dia tem vários exames, tem como se comprovar, e o Fagner ficou três jogos sem jogar. Fui médico da seleção, tratei jogadores que sofreram contratura e não foram para o primeiro jogo e jogaram por seus clubes no segundo. [...] Não iríamos deixar ele fora da seleção para daqui 12 dias jogar com o Flamengo."

Em nova entrevista, agora à Fox Sports, Grava rejeitou a hipótese de o Flamengo fazer uma reclamação formal sobre a situação. "Não tem que denunciar nada, tudo está dentro do protocolo. Uma polêmica desnecessária. O departamento médico jamais ia inventar uma contusão, uma lesão, já que a seleção recebe todos os exames do atleta", comentou.
O médico ainda negou que Fagner possa ser colocado em risco ao ir a campo na quarta.

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »