26/08/2018 às 10h18min - Atualizada em 26/08/2018 às 10h18min

Semana Cultural para celebrar o aniversário da cidade

Feriado é só na sexta (31), mas as comemorações se intensificam a partir deste domingo (26)

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
O aniversário é só na sexta-feira (31), mas as comemorações, intensificadas a partir deste domingo (26), já têm movimentado a cidade desde o início do mês de agosto. Manifestações artísticas de diferentes vertentes se debruçam sobre os 130 anos de Uberlândia. A programação, praticamente toda gratuita, é um presente não só para a cidade, mas para todos aqueles que ajudam no seu desenvolvimento diário.

A arte, questionadora por natureza, é parte importante desse desenvolvimento no que diz respeito mais à humanidade do que às máquinas. O UAI Q dança, companhia com mais de duas décadas de atuação na cidade, faz um evento triplo, com direito a espetáculo de dança, videoperformance e lançamento de livro, nesta noite, a partir das 20h no Palco de Arte.

O primeiro momento será o espetáculo “Os eventos são quase sempre os mesmos”, com a UAI Q Dança Cia. Com 35 minutos de duração, é um trabalho das bailarinas e pesquisadoras do movimento em cena Luciane Segatto e Patrícia Borges. A concepção e direção é de Fernanda Bevilaqua. Segundo a sinopse, o espetáculo é inspirado no livro homônimo de Lourdinha Barbosa, poeta, natural de Formiga, residente
em Uberlândia há 38 anos. É também uma forma de homenagear a escritora. O prefácio é do performer e bailarino Wagner Schwartz.

Na performance “Tórax”, projeto de videodança de Cristiano Barbosa e Fernanda, o tema é a falta a falta e a lembrança de um pai e sua sanfona. Segundo Fernanda, o tórax nesse contexto é o lugar onde vai sendo vida, morte e memórias. A música é “Saudade do Matão”, de Jorge Gaiati.

Para fechar a noite tem o lançamento do livro “A dança contemporânea em Uberlândia (1980-2001): um cenário inicial” de Panmela Tadeu, lançado pela Assis Editora e viabilizado por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Pmic).

Para Fernanda Bevilaqua, essa convergência entre artes foi a forma que encontraram de homenagear os 130 anos de Uberlândia de um jeito especial.

TEATRO MUNICIPAL
Encontro reúne violeiros no Sesc


Também para celebrar o aniversário de Uberlândia, o Sesc Minas realiza hoje o 15º Encontro de Violeiros, no Teatro Municipal. No palco, vários artistas da música caipira vão se reunir para resgatar e presentear o público com o melhor da cultura violeira. Entre as atrações estão a Orquestra Sesc de Viola, Tablado Mineiro, Erick Viola, Irmãs Barbosa, Arthur Paulo & Nathan e Flávia Rocha.

A entrada é gratuita, mediante a doação de dois litros de leite longa vida para o Programa Mesa Brasil Sesc. A troca dos ingressos pode ser feita até hoje (se ainda houver disponibilidade) no Sesc.

A Orquestra Sesc de Viola é um grupo de pesquisa em formação que busca promover e preservar as tradições, manifestações e a cultura popular da nossa região. Surgiu em 2014 com a proposta de ser uma atividade de formação musical, que valoriza e fomenta a música caipira e seus. Participam da Orquestra jovens de 10 a 25 anos pertencentes ao Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG) do Sesc em Minas.

Outro destaque são as Irmãs Barbosa, dupla sertaneja das irmãs Edna e Dinah, já foram premiadas em diversos festivais de música, como o Festival Arizona, da Rádio Globo, em 1981 e 1982.

O grupo de catira Tablado Mineiro, fundado em 2016, em Uberlândia, por mulheres de 16 a 21 anos darão mais movimento à festa. Movidas pelo amor, paixão e engajamento à dança folclórica popular brasileira, elas uniram forças para ultrapassar os limites e o preconceito ao dançarem um estilo originalmente masculino. Apesar das coreografias marcantes e semelhantes, as meninas do Tablado Mineiro levam a dança de uma forma diferente, onde mesclam as características de todas as regiões, agradando tanto o público tradicional quanto aos que preferem a ousadia.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »