07/08/2018 às 08h11min - Atualizada em 07/08/2018 às 08h11min

Rodrigo Pacheco desiste de candidatura em Minas para unificar palanque de Alckmin

FOLHAPRESS
Anúncio de Pacheco foi acompanhado por Anastasia, Alckmin e Rodrigo Maia | Foto: Pedro Gontijo/Divulgação
Um dia depois de confirmar sua candidatura em convenção e afirmar que resiste às pressões, o candidato ao governo de Minas Rodrigo Pacheco (DEM) anunciou nesta segunda (6) que abre mão da disputa e integrará a chapa do tucano Antonio Anastasia (PSDB) como candidato ao Senado. O anúncio foi feito ao lado do próprio Anastasia, do candidato a presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Pacheco afirmou que se tratava de um sacrifício e desprendimento em prol de uma convergência. "Vou adiar meu sonho de ser governador. Não podemos errar no voto a presidente", disse. Anastasia agradeceu o apoio, enquanto Alckmin falou sobre a importância de Minas na eleição. Desde que o DEM acertou apoio a Alckmin nacionalmente, Pacheco tem sido pressionado a desistir para beneficiar Anastasia, que lidera as pesquisas. Até agora, porém, Pacheco insistia na candidatura e chegou a convocar a imprensa para reafirmá-la em mais de uma ocasião.

Segundo Maia, não houve uma determinação do DEM, mas um "pedido forte" para que Pacheco refletisse sobre a importância de ter um palanque único em Minas.

Maia apostou na vitória de Anastasia no primeiro turno e alfinetou a entrada de Fernando Haddad (PT) na corrida eleitoral, afirmando que ficou mais fácil para Alckmin vencer a disputa. No domingo (5), Pacheco teve a candidatura confirmada em convenção. Ele já tinha nomes para vice, Ana Paula Junqueira (PP), e para o Senado, Renzo Braz (PP).
 O PP também passará a integrar a chapa tucana, e Braz será suplente de Pacheco.

Com a entrada de Pacheco na chapa tucana, o candidato ao Senado Carlos Viana (PHS) perdeu seu lugar. O PHS apoia Anastasia e tinha esperança de emplacar seu candidato.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »