01/08/2018 às 08h02min - Atualizada em 01/08/2018 às 08h02min

Morre Hélio Bicudo, fundador do PT

FOLHAPRESS
 O jurista Hélio Bicudo, fundador do PT (Partido dos Trabalhadores) e um dos autores do pedido de impeachment contra Dilma Rousseff, morreu nesta terça-feira, aos 96 anos.
A saúde do advogado era frágil desde 2010, quando sofreu um AVC. Debilitou-se ainda mais em março deste ano, quando morreu sua mulher, Déa Pereira Wilken Bicudo, após 71 anos de casamento. Ele deixa sete filhos, netos e bisnetos.
Ativista dos direitos humanos, Bicudo ganhou notoriedade nacional ao condenar integrantes do Esquadrão da Morte, organização paramilitar dos anos 1970.
Na vida política, o advogado também foi deputado federal de São Paulo por dois mandatos consecutivos, de 1991 a 1999, e vice-prefeito de São Paulo, na gestão de Marta Suplicy (então PT), de 2001 a 2005.
"Ele foi um militante contra a ditadura do governo militar e no fim da vida veio a tomar uma posição firme contra uma outra forma de ditadura, que foi o descalabro do governo Dilma Rousseff", disse o colega de profissão Miguel Reale Júnior, que o classificou como símbolo de ética, coragem cívica e espírito público.

Ao lado de Bicudo e da advogada Janaina Paschoal, Reale Júnior foi autor do pedido de impeachment da então presidente, em 2016. Para ele, a morte do colega encerra uma história de coerência, de alguém que ajudou a fundar o PT, mas depois "se viu eticamente impossibilitado de permanecer em um partido que estava imerso na corrupção".
Bicudo deixou a legenda em 2005, na época do escândalo do mensalão.

Outras pessoas do universo político, movimentos e entidades ligadas à advocacia e aos direitos humanos se manifestaram sobre a morte do advogado.

"O Brasil perdeu hoje Hélio Bicudo, um homem notável. Ao longo de sua vida, pudemos conhecer toda sua trajetória de defesa dos valores democráticos. Minhas sinceras condolências aos seus familiares", escreveu Michel Temer (MDB), presidente da República.

"Minhas condolências e sentimento à família de Hélio Bicudo pela perda de um brasileiro democrata e grande defensor dos direitos humanos", publicou a senadora Marta Suplicy (MDB-SP), que teve Bicudo como vice dela na Prefeitura de São Paulo (2001-2004).

"Parte um Herói brasileiro! Meus agradecimentos ao nosso Grande Hélio Bicudo! Todo meu amor! Toda minha admiração! Toda minha gratidão! Sem ele, eu não teria conseguido. Que Dona Déa [sua mulher] o receba com flores. Peço a cada um uma oração, conforme a respectiva religião, em sua intenção", escreveu a advogada Janaina Paschoal.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »