30/07/2018 às 08h25min - Atualizada em 30/07/2018 às 08h25min

Projeto Sensações busca a liberdade perdida

Pessoas com deficiência ou limitação de movimentos são convidados a fazer um ensaio sob as águas em iniciativa social gratuita de fotógrafa uberlandense

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Foto: Francielle Teixiera/Divulgação
Imagine-se dentro d´água, mergulhando de olhos abertos e sentindo a água levando o seu corpo. Talvez, para você, esse desejo seja facilmente realizável. Basta ir a um clube ou à piscina do condomínio ou de casa. Porém, para pessoas que têm dificuldade de locomoção, que já enfrentam muitas dificuldades no dia a dia, essa atividade muitas vezes é um sonho difícil de realizar. E registrar esse momento para sempre em uma foto? Mais difícil ainda não é? Afinal, um ensaio desses precisa de equipamentos e profissionais preparados e o custo pode limitar ainda mais a chance de eternizar esse momento.

Faz apenas cerca de três meses que a fotógrafa uberlandense Francielle Teixeira sentiu que seu trabalho poderia ir além de ensaios subaquáticos glamourosos de gestantes, aniversariantes e casais que optam por esses registros. A filha, de 10 anos, mostrou as fotos do próprio ensaio realizado pela mãe às amigas. Entre elas estava Helena, que é cadeirante, que ficou encantada com o trabalho.

“Mamãe, pode fazer fotos assim da Helena também?”. Foi essa a pergunta que despertou Fran, como é conhecida, para o projeto Sensações, que está em Uberlândia até dia 31. “Quando minha filha perguntou se poderia fazer o ensaio da Helena pensei, ‘por que não?’, e a partir daí comecei a pesquisar mais sobre pessoas com deficiência e tive muita ajuda. O ensaio da Helena foi o primeiro da série”, conta a uberlandense, radicada em Vila Velha (ES) há 15 anos.
Apesar de ser sua fonte de renda, a fotografia, no caso do Sensações, não tem custo para o fotografado. “Conto com as parcerias. Em Uberlândia, hoje (dia em que o Diário acompanhou o ensaio) tem a maquiadora, Lorena Costa e a academia Êxito, que não cobra pelo aluguel da piscina aquecida onde fazemos as fotos”, contou a fotógrafa que vem para Uberlândia de férias às vezes e neste ano resolveu trazer junto o Sensações.
 
Patrícia, a sereia
 
A modelo do dia, Patrícia Marques Silva, dizia que estava se sentindo uma celebridade com tantos mimos. Ganhou a maquiagem, para a qual Lorena usou produtos à prova d´água, e viveu seu momento sereia. Há quatro anos, por causa de uma queda, ela perdeu o movimento das pernas, mas não perdeu o humor e nem a vontade de reverter a situação. “Tive lesão na L1, não é nada fácil, mas hoje já consigo mexer a perna esquerda do joelho para baixo. Tenho fé que voltarei a andar”, disse ela, que estava acompanhada pela filha, Marcella Marques, que também participou do ensaio.
“Costumo dizer que a água devolve para alma a liberdade que o corpo perdeu, por isso tenho tanto carinho por esse projeto”, disse Fran.
 
Íris, a roqueira!
 
Alguns dias depois do ensaio de Patrícia, em outro local, Fran fotografou outra guerreira, a jovem Íris Giuliani Oliveira Assis, de 13 anos. Quando tinha dois anos ela foi diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME), doença que leva à fraqueza e à atrofia muscular. Na época, a projeção dos médicos era que a menina  vivesse somente até 3 anos. Porém, Íris e sua família não se deixaram abalar, e mesmo com a tristeza que veio com a notícia chegou ainda uma vontade enorme de provar aos médicos que eles estavam errados.

Filha do campeão brasileiro de Skate Ricardo Porva e da artista plástica Aline Giuliani, Íris tem nos pais inspiração para não desistir. Eles fazem o possível e o impossível para dar a ela qualidade de vida e o melhor tratamento por isso trocaram Curitiba (PR) por Uberlândia (MG).
Para seu ensaio, Íris escolheu uma temática rock and roll. “Foi uma experiência muito legal porque eu adoro fazer fotos e nadar também. Então, foi a junção de duas coisas que eu gosto”, conta Íris que adora esportes. “Gosto muito de fazer ensaios de foto, e achei muito legal a ideia de fazer um embaixo d’água com um tema que gosto demais: o rock”, completou.
 
O PROJETO
 
Para participar do projeto social Sensações o cadeirante ou pessoa com deficiência selecionado não tem nenhum custo, porém, é necessário que ele ou ela saibam e possam mergulhar, mesmo que por poucos segundos. No caso de Patrícia, por exemplo, ela ainda contou com a ajuda da filha e da proprietária da academia e com as dicas de Fran. A iniciativa atende pessoas de todas as idades. A seleção é feita pelos organizadores do projeto. “Ao entrar na piscina e ter contato com a água o/a modelo se redescobre de uma maneira especial, em que as lentes da fotógrafa conseguem capturar. Segundo Fran, essa magia é proporcionada pelo simples fato de que a pessoa tem mais facilidade de executar movimentos embaixo da água, de maneira passiva e ativo-assistida com ajuda de profissional ou ativo realizado sozinho, de acordo com a suas limitações.
 
SERVIÇO
 
O Projeto Sensações está em Uberlândia até terça-feira (31/7). Os interessados em participar devem entrar em contato pelo Instagram de Fran Teixeira: @aguafotos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »