17/07/2018 às 16h50min - Atualizada em 17/07/2018 às 16h50min

Prefeitura não repassa verba e árbitros se recusam a trabalhar no amador

Associação exige o pagamento de R$ 70 mil referentes a 2016

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Aareur informou que os profissionais não irão atuar pelo torneio enquanto não for feito o restante do pagamento
O Campeonato Amador de Uberlândia está ameaçado e pode não ser realizado neste ano. O motivo é dinheiro e o imbróglio não surgiu nos últimos dias. Árbitros e assistentes da Liga Uberlandense de Futebol (LUF) reivindicam o pagamento de R$ 70 mil, metade do montante referente ao repasse da Prefeitura de Uberlândia referente ao ano de 2016.

Em assembleia na noite da segunda-feira (16), feita pela Associação dos Árbitros e Representantes do Futebol Amador de Uberlândia (Aareur), ficou definido, por unanimidade, que enquanto não for feito o restante do pagamento, os profissionais não irão atuar pelo torneio, que até o momento tem o início marcado para o próximo domingo (22) e 25 partidas agendadas.

O presidente da Aareur, Ugladiston de Paula, disse que a categoria teve mais paciência do que pode e que a decisão é irrevogável. “Entendemos que estes R$ 70 mil para a Prefeitura é muito pouco. Já esperamos quase dois anos e a situação só vem sendo jogado para adiante. Tem árbitro que tem mais de R$ 3 mil para receber, alguns inclusive que moram fora e gastam para viajar. Decidimos que enquanto não recebermos não vamos apitar o Campeonato Amador”, disse. 

Já o presidente da LUF, Renato Batista, garante entender a causa dos árbitros e espera, o quanto antes, uma solução para o impasse. “Decidiram que não irão continuar enquanto não receberem. Era para ser pago em 2017, de forma parcelada, mas não aconteceu. Começou 2018 e também não foi pago, pois a Futel [Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer] alega não ter recurso e que o valor não está no planejamento do município para este ano. Os árbitros não aceitam que o pagamento seja feito em 2019. Infelizmente, a LUF fica de mãos atadas. Está tudo pronto para o campeonato começar, mas sem os árbitros não tem como”, afirmou Batista.


Presidente da LUF, Renato Batista, espera uma solução para o impasse (Éder Soares)

Clubes

Não é o primeiro impasse que envolve a temporada do Campeonato Amador de Uberlândia 2018. A fórmula de disputa e o número de rodadas das duas divisões precisaram ser reduzidas em função do valor dos R$ 140 mil repassados pela Futel, que não suficiente para bancar todas as competições da entidade, que custam R$ 163 mil. A LUF propôs para que os clubes pagassem a diferença de R$ 23 mil, valor que seria dividido em três rodadas, com valor médio de R$ 180 por equipe. Mas os dirigentes rejeitaram a proposta e preferiram em diminuir a competição.

Nota Prefeitura

A Prefeitura de Uberlândia, por meio de nota, informa que tem buscado soluções técnicas e jurídicas para regularizar a situação, já que a dívida refere-se ao convênio firmado para o exercício de 2016 e não pago pela gestão passada.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »