13/07/2018 às 08h36min - Atualizada em 13/07/2018 às 08h36min

Verdão terá que quebrar tabu para subir

Uberlândia nunca conseguiu retornar à primeira divisão no ano seguinte ao rebaixamento no Campeonato Mineiro

EDER SOARES | REPÓRTER
Presidente do clube, Flávio Gomide diz que a diretoria luta para manter parte do elenco atual (Eder Soares)
O departamento de futebol do Uberlândia Esporte Clube começou o planejamento visando à disputa do Campeonato Mineiro – Módulo II, que começará em fevereiro de 2019. Para alcançar o maior desafio, o clube tem como meta principal quebrar um tabu: desde que foi rebaixado, pela primeira vez, em 1997, jamais o Uberlândia conseguiu retornar à primeira divisão mineira no ano seguinte à queda. Foram cinco rebaixamentos para aquela que é a legitima segunda divisão estadual.

Depois do descenso de 1997, o Verdão retornou à primeira divisão com o título do Módulo II de 1999. Uma nova queda aconteceu em 2002, com o retorno vindo em 2005. Foram mais três anos na divisão de acesso, até nova subida em 2008. No ano de 2010, veio mais um revés ao Módulo II. Este foi o maior período do Verdão na segunda divisão, somente vindo nova ascensão em 2015, com o título da competição. Agora, depois de três anos no Módulo I, aconteceu o que o torcedor não esperava, com o quinto rebaixamento na história do clube.

Depois da campanha na Série D do Brasileiro, na qual o clube perdeu a chance de acesso para o Caxias (RS), a intensão do departamento de futebol é justamente a de aproveitar a maior parte do trabalho realizado na quarta divisão nacional. A renovação com o jovem técnico Felipe Surian é prioridade, porém o Verdão enfrenta forte concorrência de clubes das primeiras divisões de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.
“O objetivo da diretoria, por ter tido um primeiro semestre ruim, com a queda, e um segundo semestre considerado bom por todos (diretoria, torcida e imprensa), pela boa equipe montada e que poderia ter conseguido o acesso, é que este trabalho seja mantido para o Módulo II. O time do Módulo II deverá ser a base da Série D. A diretoria está lutando para manter boa parte do elenco. O treinador (Felipe Surian) também estamos em negociação para tentar mantê-lo para o Módulo II”, disse o presidente do UEC, Flávio Gomide.

O diretor de futebol, Fabrício Tavares, endossa o que disse o presidente. “Sabemos dessa situação, de nunca conseguir voltar no ano seguinte. É mais um desafio para esta gestão. Conseguimos fazer com que o clube disputasse inúmeras competições neste ano e que ele não disputava a tempos, mas, infelizmente veio a queda para o Módulo II. E agora temos mais esse desafio para que possamos quebrar essa hegemonia em relação ao acesso”, disse Tavares, que deixou claro qual será a receita para que o Verdão consiga subir para a elite mineira já no próximo ano.

“A receita será manter grande parte deste elenco da Série D. Sabemos que o Módulo II tem regulamento diferente, no qual a maior parte dos atletas precisam ser sub-24, mas com a possibilidade de inscrição de sete jogadores acima dessa faixa. Então vamos pegar os atletas que estavam conosco na Série D, acima dessa idade, vamos mantê-los, e também contratar jogadores sub-24 que estejam em atividade nos seus clubes. Também temos nossos garotos do time sub-20, que estão em plena atividade e inclusive fazendo grande campanha no Campeonato Mineiro. Será esta a nossa receita para subirmos já no ano que vem”, afirmou.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »