22/06/2018 às 12h11min - Atualizada em 22/06/2018 às 12h11min

Liberdade para aprender e se divertir

Cia Caixa do Elefante (RS) traz a Uberlândia o premiado espetáculo “Cuco - A linguagem dos bebês no teatro”

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
As atrizes Ana Luiza Bergmann e Bruna Espinosa têm uma plateia muito espontânea (Fabrício Simões/Divulgação)
Mário de Ballentti, diretor da Cia Caixa do Elefante (RS) está aproveitando o clima bom desse início de inverno em Uberlândia, bem mais agradável que no seu estado natal. Durante a semana, dedicou-se a caminhar pela cidade e mapear prédios da década de 50, um de seus hobbies. Por aqui, ele tem uma palestra agendada na segunda-feira (25): “Direito das crianças pequenas à cultura”, no Campus Santa Mônica da UFU. A Caixa do Elefante apresenta quatro sessões do espetáculo “Cuco – A linguagem dos bebês no teatro” neste sábado (23) e domingo (24) no Ponto dos Truões. Todas as atividades são gratuitas e os ingressos, disponibilizados no dia 16, se esgotaram em poucos dias.
“Essa acolhida que tivemos dos Truões aqui em Uberlândia é muito importante para nós, que estamos sempre na estrada. Temos também muitos amigos na UFU”, disse o diretor da companhia que tem 27 anos de carreira.
A companhia desenvolve pesquisas em todas as possibilidades do teatro de animação (teatro de bonecos, de nós, marionetes, sombras) e tem trabalhos em diversas emissoras de TV. “Temos uma larga experiência em construção e desenvolvimento dessas técnicas de manipulação que dividimos também com outas companhias”, afirma Mário.
O teatro para bebês é uma nova pesquisa da companhia que teve início em 2010. “Era um público que nos inquietava. Os pais levam os bebês ou crianças muito pequenas ao teatro ou uma sala de espetáculos que não estão preparadas para recebê-las e não tem sua linguagem. O som não e apropriado, a luz e isso pode ser uma experiência frustrante”, comenta o diretor sobre o motivo que motivou a Caixa do Elefante na pesquisa. O projeto foi contemplado pelo programa Petrobras Distribuidora de Cultura e Lei Rouanet.
Mário chegou a aumentar a classificação etária de algumas das peças da companhia que também devolvia o dinheiro do ingresso para pais que tivessem que ir embora durante o espetáculo porque a criança chorava ou não se adaptava. “Precisei fazer isso porque sentia que os estava enganando”, recorda.
Com a entrada de Paulo Sérgio Fochi, pesquisador e uma autoridade na área de educação infantil, a pesquisa começou a evoluir. Eles viajaram para Itália, Finlândia, Dinamarca e Espanha para grandes festivais de teatro infantil. “Começamos a estudar o que acontece com esse ser humano de 0 a 3 anos. Descobrimos que é um momento de crescimento tão potente, tão fantástico. Tudo para eles são descobertas e têm uma capacidade cerebral incrível, fazem conexões rápidas, testam o ambiente ao redor deles o tempo todo de forma muito sensorial”, disse Mário.
A temática de “Cuco” está ligada ao aparecer e desaparecer. “Aquela brincadeira do ‘cadê’, de fechar os olhos e abrir de novo é o máximo, provoca frisson em bebês de qualquer lugar do mundo. No momento em que fecham os olhos o que está por trás para de existir e depois é revelada novamente. A partir daí criamos micro contos com o estica e puxa, mudança de cor...”, explicou o diretor que trabalha com um time todo voltado para educação infantil: figurinistas, cenógrafos, músicos e profissionais da educação artística e artes visuais.
Mário explica que eles construíram o que consideram o chamado “curral da infância” e ali colocaram todas as distorções, estereótipos que o adulto tem da criança nessa faixa etária como: só gostam de cores primárias, determinados tipos de música, menino gosta de azul, menina gosta de rosa. “Quebramos algumas padronagens implícitas no senso comum. Trabalhamos com referências estéticas que elas assimilam perfeitamente. Nessa fase, tudo é educação. Os bebês têm um potencial incrível e por isso trabalhamos muito com universidades, principalmente na área da pedagogia. O que eles aprendem hoje levam para o resto da vida”, explicou Mário.
O próximo espetáculo da Cia Caixa do Elefante já está em fase de produção. Se chamará “Chuá” e vai tratar das descobertas na água. “É um elemento tão fantástico para eles. Algo óbvio para nós como a chuva ou o abrir e fechar de uma torneira para eles é um fenômeno incrível, partiremos daí”, adiantou.
 
DESAFIO
 

“Cuco – a linguagem dos bebês no teatro” é vencedor de cinco prêmios Tibicuera (2015), um dos mais importantes na categoria de artes cênicas do sul do Brasil. A peça contém diferentes tipos de linguagens. As atrizes Ana Luiza Bergmann e Bruna Espinosa interagem e fazem do público parte importante da apresentação que não só os bebês, como os pais ou responsáveis, também aproveitam. Nada é estimulado, apenas permitido. O ambiente é adaptado para receber os bebês com conforto.
Para Ana Luiza, uma das coisas mais interessantes em trabalhar com essa faixa etária é o que no teatro chamam de o que funciona e o que não funciona. “Para o ator isso é tanto prazeroso quanto desafiador. As reações deles são imediatas e espontâneas, não têm aquele comportamento que já existe no adulto, mais ‘colonizado’”, disse a atriz.


PROGRAMAÇÃO*
Sábado - dia 23
15h e 17h: espetáculo “Cuco: a linguagem dos bebês no teatro”
LOCAL: Ponto dos Truões (Av. Ana Godoy de Souza, 381, Bairro Santa Mônica)
18h - Percursos: diálogo sobre processos criativos no teatro para bebês
LOCAL: Ponto dos Truões
Domingo - dia 24
15h e 17h: espetáculo “Cuco: a linguagem dos bebês no teatro”
LOCAL: Ponto dos Truões
*Todas as atividades acima têm entrada franca e a reserva de ingressos foi liberada dia 16 e já está esgotada para todas as sessões. Há lista de espera. Os interessados que não se inscreveram podem comparecer no local 45 minutos antes da sessão para o caso de algum inscrito não comparecer.
Segunda-feira - dia 25
19h30 - Palestra: “Direito das crianças pequenas à cultura com Mário de Ballentti”
LOCAL: Auditório 5RAB – Bloco 5R | Universidade Federal de Uberlândia (UFU) (Av. João Naves de Ávila, 2.121, Santa Mônica)
ENTRADA FRANCA: reserva de ingressos ainda disponível - https://bit.ly/2JrO5ts. Com intérprete de Libras e sujeito a lotação do espaço
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »