20/06/2018 às 08h49min - Atualizada em 20/06/2018 às 08h49min

Uberlândia tem hoje noite de hits do Police

Andy Summers, guitarrista da banda britânica, faz turnê com brasileiros

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA

Em novembro o álbum de estreia da banda britânica The Police, “Outlandos d'Amour” (A&M) completará 40 anos. Estão nele hits atemporais como “Roxanne” e “Can´t stand losing you”. E, quem diria, os fãs uberlandenses da banda terão a chance de ouvir não só esses, como outros clássicos do trio Sting/Summers/Copeland ao vivo, com o guitarrista original da banda. Andy Summers está em turnê pelo Brasil com o projeto Call The Police, idealizado pelo vocalista, baixista e compositor Rodrigo Santos (ex-Barão Vermelho), com Andy e ainda João Barone (Paralamas do Sucesso), na bateria.

O show acontece hoje, pontualmente às 22h, no London Pub, a mais tradicional casa de shows da cidade. Segundo Rodrigo, a expectativa para mais esse show é ótima. “Temos um set que pode variar de noite pra noite dependendo do lugar, do clima. Isso funciona bem. Gostamos de arriscar lados Bs, músicas menos conhecidas também. É claro que alguns sucessos não podem faltar, como ‘Every breath you take’ ou ‘Message in a bottle’”, disse o músico, em entrevista ao jornal Diário de Uberlândia.

                                                                                                                                                                                                                                                                                            Luís Parente/Divulgação
                                                                                                                        


Rodrigo conta que o repertório é executado em aproximadamente uma hora e meia. “São músicas que tanto eu quanto o Barone escutamos a vida toda. É um sonho tocar isso ao lado de Andy Summers”, disse o baixista, que iniciou o projeto com Andy de forma despretensiosa, após se conhecerem no Rio de Janeiro. Convidado posteriormente, Barone sugeriu o Call The Police como nome do projeto.
“É um sonho e um grande prazer tocar com esses caras. Todo dia inventamos algo novo. Às vezes dá certo, às vezes não (risos), mas o mais importante é estar se divertindo, tocando músicas que gostamos e fazendo o público interagir em algumas delas com a gente. Eu me divirto muito no palco. Seja concentrado no instrumento, seja quando inventamos solos enormes na hora, ou quando deixamos só a galera cantando. É tudo parte do mesmo sonho. A gente com ele. Ele com a plateia. Eu e Barone tocando juntos. É muito legal isso tudo”, comenta Rodrigo.

A turnê tem sido mais acompanhada por fãs “das antigas” do The Police. “Como fazemos mais teatros do que casas noturnas, o foco é bem na nossa geração, que já está levando os filhos e amigos dos filhos, além, claro, dos inúmeros fãs de uma das maiores bandas da história do rock”, disse o baixista que concorda que a tour é digna de um registro em DVD, mas deixa no ar se vai ser lançado ou não. “Eu adoraria (risos)”.
A turnê começou por Buenos Aires (ARG) e começou seu giro pelo Brasil no último dia 15 em Ribeirão Preto (SP). Passou por Vila Velha (ES), Belo Horizonte (MG) e daqui segue para Brasília (DF), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (24) e termina no Chile, em Santiago, dia 26.

OS MÚSICOS
O guitarrista Andy Summers atuou no The Police de 1977 – quando além do vocalista e baixista Sting e do baterista Stuart Copeland a banda contava ainda com o guitarrista Henry Padovani – até a banda encerrar atividades, em 2008, com lugar garantido no Hall da Fama do Rock. Andy é um fã incondicional da música brasileira e gravou e dividiu o palco com artistas como: Roberto Menescal, Gilberto Gil e Victor Biglione entre outros. O guitarrista também lançou, em 2016, o documentário “ Can’t stand losing you”, premiado em vários festivais de cinema pelo mundo, relatando a história do The Police.

João Barone é integrante e fundador dos Paralamas do Sucesso, começou sua carreira como baterista na banda, inicialmente considerada pela crítica musical como o The Police brasileiro, muito em função da maneira como João Barone emulava o estilo de Copeland. Em várias ocasiões Barone cruzou com os ídolos, como em 2007, quando Os Paralamas abriram para o show do The Police no Maracanã, e em 2011, no Festival PercPan, em São Paulo, quando o baterista brasileiro foi convidado a acompanhar Copeland em um show com um grupo folclórico italiano.

Rodrigo Santos, depois de dedicar 25 anos como baixista do Barão vermelho, se desligou da banda em novembro de 2017, para dedicar a sua sólida carreira solo a frente da sua banda Rodrigo Santos e os Lenhadores e também a inúmeros projetos especiais. No final de 2015 lançou a biografia “Cara a cara”, escrita em colaboração com Roberto Pugialli, com prefácio de Roberto Frejat e depoimentos de amigos como Leo Jaime e Liminha. Rodrigo é considerado por Andy Summers, um dos maiores artistas com quem já trabalhou.

PALAVRA DE FÃ
Com ingressos já garantidos para o camarote, Sebastião Carlos Mendes Júnior, músico e advogado, comemora a chance de ver e ouvir Andy Summers praticamente no quintal de casa. Natural de Araguari, radicado há muitos anos em Uberlândia, como Andy, ele também é guitarrista e tece elogios ao britânico. “Ao meu ver, fazendo um paralelo com outro power trio referência, o  homem das 6 cordas, Andy Summers, não costuma ter o destaque que merece, tal qual Alex Lifeson no Rush. Ambos mereciam maior atenção, pelo bom gosto refinado e esmero nos timbres e texturas. Uberlândia agora tem a honra de receber o notável guitarrista do Police, que delegou a nós, guitarristas, riffs antológicos como os de ‘Message in a bottle’ e ‘Roxane’, mais acelerados, e outros mais sutis atmosféricos, como no megahit ‘Every breath you take’ e ‘Walking on the moon’”, disse o fã.

Sebastião Carlos é do tipo de fã que conhece até a ficha técnica dos grandes álbuns de rock. Uma verdadeira enciclopédia e comenta que a acertada substituição do toque punk mais básico de Henry Padovani (no início do The Police) pela experiência de Andy Summers foi crucial e o fator determinante para o Police estourar mundialmente. “Ao lado de Johnny Marr (The Smiths) é a referência máxima da guitarra oitentista, a qual uso quando procurou-se  regular minha guitarra e pedais nos ensaios e shows da minha banda, Disordark”, finaliza o músico.

SERVIÇO
O QUE: Show Call The Police
QUEM: Andy Summers (The Police), João Barone (Paralamas do Sucesso) e Rodrigo Santos (Barão Vermelho)
QUANDO: hoje (20), às 22h, com show de abertura da banda Manzanas (BH), às 21h
ONDE: London Pub (Av. Floriano Peixoto, 39, Centro)
CLASSIFICAÇÃO: 18 anos
INGRESSOS: camarotes e área vip esgotados. Ainda há ingressos para pista (R$ 75) e pista sem fila (R$ 95) à venda no London Café das 13h às 18h30 e no App London Pub
INFORMAÇÕES: 3236-5081
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »