28/05/2018 às 09h24min - Atualizada em 28/05/2018 às 09h24min

Falta combustível em 8 aeroportos da Infraero

Aeroporto de Uberlândia não conta com reserva de querosene de aviação

AGÊNCIA BRASIL | BRASÍLIA

Neste oitavo dia da paralisação dos caminhoneiros falta combustível em pelo menos oito dos 54 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) no país - entre eles o de Uberlândia. Até as 10h desta segunda-feira (28), de 452 voos programados nos aeroportos do país, 29 (6,42%) haviam sido cancelados.

A Infraero informou que monitora o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais. A recomendação é de que os passageiros procurem as companhias para consultar a situação de seus voos.

Além do aeroporto de Uberlândia,  estão com falta de combustível os aeroportos de São José dos Campos (SP), Ilhéus (BA), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Aracaju (SE), João Pessoa (PB) e Teresina (PI).

Apesar da falta de querosene, os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

A Infraero alertou aos operadores de aeronaves que avaliem o planejamento de voos para definir a melhor estratégia de abastecimento, de acordo com o estoque disponível nos terminais de origem e destino.

De acordo com a assessoria da Infraero, a empresa está em contato com órgãos públicos ligados ao setor aéreo para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa.

PAMPULHA

Embora o aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), não apareça na lista, a informação no local é que não há combustível para os aviões e que só podem decolar aqueles que já vêm abastecidos para isso.

CONFINS

No aeroporto de Confins (MG), operado pela concessionária BH Airport, o nível dos estoques é mínimo. "O abastecimento às aeronaves continua sendo feito de forma restrita, planejada e em coordenação com as companhias aéreas", diz a concessionária.

Nesta segunda, o aeroporto teve 11 cancelamentos de voos da Azul. A empresa diz que os cancelamentos são uma medida para reduzir voos e economizar combustível. Clientes impactados pela greve poderão cancelar o bilhete ou remarcar para voar até 31 de maio.

GALEÃO

No aeroporto do Galeão (RJ), não há registros de voos atrasados e táxis e motoristas de aplicativos operam normalmente. A linha do BRT, o sistema de ônibus expresso do Rio, que liga a zona oeste ao aeroporto, porém, está fora de operação.

A concessionária responsável pelo serviço diz que tem a expectativa de receber novas carretas nas próximas horas e divulgará ao longo do dia nova previsão de operação.

Táxis e veículos de aplicativos operam com gás natural veicular, que é transferido aos postos por dutos, e não têm enfrentado problemas de abastecimento. De acordo com a concessionária RioGaleão, até as 11h46, não houve atrasos e dois voos foram cancelados.

PORTO ALEGRE

O aeroporto de Porto Alegre (RS) recebeu na manhã desta segunda outras quatro carretas com combustível, mas segue operando na reserva. Com isso, a previsão é de que as operações estejam garantidas até o fim da tarde de terça (29).

Texto atualizado às 12h50 de 28/05/18 para acréscimo de informações. 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »