28/04/2018 às 08h54min - Atualizada em 28/04/2018 às 08h54min

Aos 88 anos, Irmã Judith lança livro 'A Pedra e a Flor'

Missionária aposentada mineira lança livro neste sábado na Assis Editora e fala da importância do diálogo

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Judith Junqueira Villela mostra seu livro “A Pedra e a Flor” durante entrevista ao Diário | Foto: Adreana Oliveira
 
“Ela nasceu comigo, cresce comigo. Quando escrevo ela simplesmente brota, não sai nada por encomenda”, assim Judith Junqueira Villela resume sua ligação com a poesia. Ela fala com a sabedoria e a simplicidade de quem teve educação formal no Colégio Ressurreição Nossa Senhora e educação para a vida ainda na companhia dos quatro avós e dos amigos que faz a cada ano. “Como diz a canção de Roberto Carlos, ‘eu quero ter um milhão de amigos’, e assim como na letra da canção de Milton Nascimento, guarda-los ‘do lado esquerdo do peito’”, afirmou ela que lança, nesta tarde, o livro “A Pedra e a Flor”, na Assis Editora.

Mais conhecida como Irmã Judith, filha mais velha de seis irmãos, ela nasceu em Ituiutaba num 20 de maio, outono, há 88 anos. Vive em Uberlândia desde 1977. Durante entrevista ao jornal Diário de Uberlândia, ela falava firmemente sobre a importância da educação e do diálogo entre as pessoas para fazer do mundo um lugar melhor. Ali, na sala da casa onde ela vive com outras irmãs da congregação Missionárias de Jesus Crucificado (M.J.C.), o tempo pareceu parar.
Irmã Judith usa smartphone, mas prefere uma conversa frente a frente, o diálogo em viva voz, da mesma forma que prefere as velhas cartas enviadas pelos correios aos frios e-mails. “Eu frequentava muito a agência dos Correios aqui perto. A carta escrita a mão demonstra mais carinho, mais atenção, traz um pouco da pessoa para as suas mãos. Esses dias estive lá na agência e comentaram eu havia ‘sumido’ de lá. Respondi que não fui eu quem sumi, foi a internet que apareceu”, recorda.

Em um de seus poemas, “Virtualmente”, ela chega a questionar: “Qual o sabor de um abraço virtual?” e afirma que os aplicativos e redes sociais podem estar prejudicando muito as relações, mesmo que facilitem a vida em alguns aspectos.

Quando era estudante, se pediam cópia livre de lição de casa ela copiava poesia. A mãe sempre lia para ela “Rosa”, de Afonso Celso, algo que ela nunca esquece. Os trabalhos como missionária trouxeram pessoas valiosas para sua vida. Por isso, a data de lançamento não foi escolhida por acaso, marca também os 90 anos da M.J.C., celebrado no dia 3 de maio. “Toda a verba arrecadada com a venda do livro vai para a sede da congregação, em Campinas (SP) e doaremos alguns exemplares também”, contou à reportagem do Diário de Uberlândia.

Nos anos 70 ela escreveu a poesia “Um pouco de perfume”, que ganhou melodia e virou música que saiu no CD “Missionárias”, com parceria da irmã de caridade, Irene Gomes, que compôs a melodia. No novo livro ela comenta sobre o incentivo que recebeu de pessoas como a irmã Aidê Bernal. “Fiz muitas amigas na congregação, mas não tenho palavras para definir a afinidade que tenho com a Aidê. Infelizmente ela não poderá vir ao lançamento”, contou ela que citou ainda o advogado Fábio Ladeira Amâncio e Don Angélico Sândalo Bernardino como grandes incentivadores.
 
SERVIÇO

O QUE: Lançamento do livro “A Pedra e a Flor”
QUEM: Judith Junqueira Villela
QUANDO: hoje, das 16h às 18h
ONDE: Assis Editora (R. José Antônio Teodoro, 76, bairro Aparecida)
ENTRADA FRANCA
INFORMAÇÕES E CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA: 3222-6033
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »