27/03/2018 às 05h07min - Atualizada em 27/03/2018 às 05h07min

Paulo Lima Buenoz dá voz aos refugiados

Artista plástico e professor aborda um tema em voga nos dias de hoje com suas percepções bem particulares

IGOR MARTINS | APRIMORAMENTO PROFISSIONAL
Paulo Lima Buenoz em sua mais recente exposição na Oficina Cultural | Foto: Divulgação

Está em cartaz na Oficina Cultural a instalação da obra “O Silêncio dos Nomes”, de Paulo Lima Buenoz. O professor de artes plásticas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) aborda neste trabalho a questão dos refugiados, que em seu entendimento é um dos principais problemas em nível global da atualidade. Na mostra, o espectador se vê diante de um mar, que poderia estar situado em qualquer lugar. Nas figuras é possível perceber uma mala, uma casa de ponta cabeça e uma caixinha de som possibilita uma viagem, objetos que fazem alusão às travessias.

“Eu escolhi trabalhar com este tema porque os refugiados vivem literalmente no meio do mar, no meio do nada. No bote, não dá para saber aonde você vai chegar, se você vai chegar. Na canoa tudo fica silencioso e a vida em suspensão”, disse o artista natural de Marília (SP), radicado em Uberlândia.

Além de várias exposições em Uberlândia, Paulo participou de mostras no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP), Centro Cultural Recoleta, em Buenos Aires, Museum of World Culture, na Suécia, Museu de Arte Contemporânea de Fortaleza (MAC), The Burchfield-Penney Art Center e no Hallwalls Contemporary Arts Center, ambos em Buffalo, nos Estados Unidos.

Da mesma forma que expõe seus pensamentos em suas obras Paulo Lima Buenoz ainda faz do próprio corpo uma forma de expressão por meio de tatuagens. O artista desenhou algumas de suas marcas na pele. “Minhas tatuagens não são contadas individualmente. Eu conto elas como um todo, por exemplo, um braço inteiro, ou dois braços inteiros”, disse o artista.

SERVIÇO

O QUE: Exposição “O Silêncio dos Nomes”
QUEM: Paulo Lima Buenoz
ONDE: Sala Alternativa da Oficina Cultural de Uberlândia (Praça Clarimundo Carneiro, 204 – Centro)
QUANDO: De segunda à sexta-feira, das 12h às 18h, até o dia 18 de abril
ENTRADA FRANCA
INFORMAÇÕES: 3214-9889
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »