23/03/2018 às 05h40min - Atualizada em 23/03/2018 às 05h40min

Um sonho verde que pode se realizar com o Praia

Título nacional é o desejo do clube que vem bem na Superliga, mas é também um desejo de toda cidade

DA REDAÇÃO
 
É fácil ouvir pelas ruas de Uberlândia elogios à grandeza da cidade. Uberlandenses e uberlandinos enchem o peito para citar os feitos de cidadãos que aqui vivem: seja na indústria, no comércio, nas artes, nos esportes, enfim, tudo que faz do município do Triângulo um dos maiores do interior do País. Focando essa percepção ao universo desta página, é notório o sentimento de frustração pela ausência de um título esportivo em nível nacional. Mas, o desejo de estar em primeiro está próximo de se tornar realidade.

A Superliga Feminina de Vôlei chega a mais um momento decisivo. Hoje tem início do playoff em melhor de cinco da semifinal. O Dentil/Praia Clube jogará com o Osasco Vôlei Nestlé (SP), às 19h, no ginásio do Praia, em Uberlândia (MG). Na sequência, às 21h30, o Camponesa/Minas (MG) mede forças com o Sesc-RJ, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG). Os jogos das semifinais terão o uso do sistema de desafio, que tem como objetivo ajudar o árbitro a decidir pela opção correta em lances duvidosos. Ou seja, imagens de TV serão analisadas para validar ou não determinado ponto duvidoso.

Por ter realizado a melhor campanha da competição, o Praia tem a vantagem de fazer três partidas em casa. O técnico Paulo Coco garante que ele e a equipe fizeram o estudo das paulistas e que todos estão ligados por completo para chegar à vitória. “Do outro lado tem uma equipe com grandes jogadoras e que irá jogar de igual para igual. A diferença será feita em cada bola. Começar vencendo, em casa, nos dará uma moral muito grande”, disse.

O técnico demonstra respeito ao adversário e conta um pouco do que analisou durante sua a dedicação às estratégias e competências do adversário. “Estamos nos preparando para a maior dificuldade possível. Temos como adversário um dos times mais credenciados do voleibol brasileiro com títulos e conquistas. Vamos lutar para quebrar mais um tabu e vencer o Osasco nesta fase. Elas têm muita qualidade e uma das melhores atacantes do mundo na atualidade, a Tandara.”

E tem mais gente forte do outro lado da quadra. “O bloqueio delas é excelente e a Bia uma das melhores centrais do voleibol brasileiro. A Fabíola é uma levantadora de renome internacional. Sem falar a Leyva, a Mari Paraíba e a Ninkovic. Temos que concentrar no nosso jogo e o sistema defensivo será muito importante”, analisou Paulo Coco.

Mas, de cá da rede também há muita força e qualidade. A ponteira Ellen vem sendo um dos destaques do time, nos últimos jogos, em ataques pelos lados. Segundo ela, as equipes se conhecem muito e por isso a tendência será de muito equilíbrio. “Somente neste ano fizemos três jogos e todos foram difíceis. Ter frieza e concentração total são fatores essenciais. Agora resta entrar em quadra e colocar em prática tudo o que treinamos ao longo da semana. Precisamos da vitória jogando em casa”, afirmou.
 
FORÇA

O melhor de Natasha e a soma de forças

A responsabilidade de substituir uma campeã olímpica no início do playoff eliminatório da Superliga feminina de vôlei 17/18 é grande. Depois de Walewska sentir uma lesão no joelho direito, a central Natasha assumiu a titularidade do time de Uberlândia (MG) e ajudou a equipe mineira a garantir um lugar entre as quatro melhores da competição. Hoje, a jogadora de 32 anos estará à disposição do treinador Paulo Coco. Disputando sua quarta temporada pelo Dentil/Praia Clube, Natasha falou sobre a responsabilidade de substituir a capitã Walewska em um momento decisivo.

“Estar em quadra é sempre muito bom, ainda mais nessa fase. Passamos toda a temporada treinando para esse momento. Não é fácil substituir uma atleta como a Wal e procurei fazer o meu melhor para somar junto com a equipe e alcançarmos bons resultados”, disse Natasha.

Para ela, a boa campanha do Dentil/Praia Clube na competição é reflexo de muito treinamento e de uma boa harmonia de toda a equipe. O time de Uberlândia tem a melhor campanha de toda Superliga Cimed, com 23 vitórias e um resultado negativo.

 “Temos trabalhado muito e estudado bastante nossos adversários. Além disso, nosso conjunto é forte e jogamos como um grupo. Estamos focadas em alcançar nossos objetivos até o final da temporada”, explicou Natasha.

Natasha mostra confiança no trabalho das mineiras.  “Sabemos da qualidade da equipe de Osasco e que teremos uma série longa e melhor de cinco jogos. Seguimos trabalhando forte e buscando o nosso melhor dentro de quadra”, afirmou Natasha.

A central e capitã do Dentil/Praia Clube, Walewska, voltou às quadras no último set da vitória na segunda partida das quartas de final contra o Vôlei Bauru (SP) na última sexta-feira (16.03) por 3 sets a 0.
 
SERVIÇO

A partida entre Praia Clube e Osasco não tem cobrança de ingressos. Os convidados devem entrar pela portaria da avenida Uirapuru, no bairro Cidade Jardim. Os portões serão abertos às 18h.

Semifinais

1ª rodada
Hoje    19h        Praia Clube         x             Osasco
Hoje    21h30    Minas Tênis        x             Sesc Rio
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »