12/03/2018 às 10h57min - Atualizada em 12/03/2018 às 10h57min

Elenco do UEC é dispensado por três dias após rebaixamento

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Em casa, Caldense derrotou o Verdão por 2 a 1 | Foto: Divulgação/Caldense

O elenco do Uberlândia Esporte foi liberado por três dias, depois do rebaixamento da equipe, no último domingo (11), em Poços de Caldas, onde o verdão foi derrotado por 2 a 1 pela Caldense. Se tivesse vencido o jogo, o UEC teria escapado da degola, mas a equipe, mais uma vez, foi ineficiente jogando fora dos seus domínios e amarga mais um descenso ao longo da sua história.
 
Este foi o quinto rebaixamento do Uberlândia em 21 anos. Em 1997, o time caiu pela primeira vez para a segunda divisão, depois vindo mais três degolas: 2002, 2006 e 2010. Em 2015, depois de cinco anos no Módulo II, o Verdão se sagrou campeão do Campeonato Mineiro – Módulo II e retornou à elite do Estadual. Logo no primeiro ano (2016), lutou na última rodada para não cair.
 
A diretoria se pronunciará de forma oficial nos próximos dias para falar sobre os motivos que levaram a equipe ao Módulo II e precisará agir rápido para traçar os planos visando à disputa do Campeonato Brasileiro – Série D, que começa no dia 21 de abril. O UEC está no grupo 13, que tem ainda as companhias do Atlético (ES), Americano (RJ) e Novorizontino (SP).
 
Depois da derrota em Poços de Caldas, o diretor de futebol do Verdão, Fabrício Tavares, afirmou que 80% dos jogadores do elenco têm contratos para a Série D e que serão feitas entre quatro e cinco contratações pontuais para que o clube busque o acesso para a Série C. O técnico Zé Teodoro sentará com a diretoria para definir se ficará ou não no comando para o Brasileiro.
 
“Só tenho a pedir desculpas à torcida do Uberlândia, que não merece estar passando por isso. Trabalhamos muito desde junho do ano passado no sentido de fazer um grande elenco para chegar nas finais do Mineiro, mas infelizmente não foi possível. Vamos liberar os atletas por três dias, vamos nos reunir para definir o quanto antes o planejamento para a Série D, na qual iremos entrar forte para buscar o acesso para a Série C”, disse Fabrício Tavares.

CAMPANHA

O Uberlândia Esporte terminou a edição 2018 do Campeonato Mineiro como a pior equipe da competição. Com nove pontos somados em 11 jogos (27% de aproveitamento), o clube venceu apenas três jogos e sofreu oito derrotas, sendo a equipe que mais perdeu entre os doze participantes. O ataque assinalou nove gols, enquanto a defesa foi a segunda pior com 18 gols sofridos, atrás apenas do Democrata, outro rebaixado, que levou 25. A campanha só não é pior se comparada ao último rebaixamento da equipe, em 2010, quando terminou a competição com apenas cinco pontos.
 
O Mineiro começou com o Verdão sendo considerado por grande parte da crônica esportiva estadual como um dos favoritos, entre as equipes do interior, por ter mantido uma base de dez jogares da equipe sexta colocada no ano passado, e ainda ter dado continuidade ao trabalho do técnico Paulo Cézar Catanoce. Foram contratados jogadores em nível de Série B do Brasileiro, como o atacante Alfredo, o meia-atacante Ricardinho, o meia Eliomar, o zagueiro Ferron e o goleiro Felipe, maior nome da equipe, este que passou por cirurgia no joelho e não terminou a competição.
 
O técnico Catanoce foi demitido após a sétima rodada, quando o time foi derrotado pelo Boa Esporte, em Varginha, por 1 a 0. Para o seu lugar, a diretoria alviverde trouxe o experiente Zé Teodoro, com passagens por equipes das Séries B e C do Brasileiro, mas que trabalhou pela primeira vez no futebol mineiro. Teodoro não conseguiu achar uma equipe ideal, contabilizando apenas uma vitória e três derrotas.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »