05/03/2018 às 17h13min - Atualizada em 05/03/2018 às 17h13min

Um Oscar sem fiascos e surpresas desagradáveis

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Guillermo Del Toro, elenco e equipe de “A forma da água” no Oscar 2018 | Foto: Divulgação

Com o uso de telefones celulares proibido nos bastidores para evitar um fiasco como no ano passado – quando foi anunciado “La La Land” no lugar de “Moonlight” como Melhor Filme – a 90ª edição do Oscar fez jus à história da sétima arte na noite de domingo (4) em Los Angeles com uma bela cerimônia. E se os responsáveis por tal erro estão banidos do Oscar para sempre, o mesmo não aconteceu com os apresentadores daquele momento. Faye Dunaway e Warren Beatty voltaram ao palco do Dolby Theatre, em Los Angeles, e anunciaram o prêmio de Melhor Filme para “A forma da água”. A produção também faturou as estatuetas de Melhor Direção, Trilha Sonora e Produção de Design.

Após conferir o nome do filme no envelope o diretor mexicano Guillermo Del Toro comemorou com a equipe e elenco. “Dedico este prêmio a cada jovem cineasta, que mostra pra gente como as coisas são feitas em todas as partes do mundo. Quando criança estava no México e achava que isso nunca aconteceria comigo. Mas aconteceu. Chutem a porta e entrem”, disse.

Marcada por discursos voltados para a diversidade e com o movimento “Times Up” demonstrando mais força – com grande adesão dos homens - a 90ª entrega do Oscar mostrou ainda que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood sabe que é um movimento sem volta.

Mais cedo, Del Toro, ao receber o Oscar de Melhor Direção lembrou que é um imigrante nos Estados Unidos como muitos na plateia. E o México também celebrou com o Oscar de Melhor Animação e Melhor Canção Original (“Remember me”), de “A vida é uma festa”. Kristen Anderson-Lopez, autora da música ao lado do marido, Robert Lopez, destacou em seu discurso que “nesta categoria estamos 50/50, é um sonho que as outras categorias também sejam assim”.

Aos 89 anos, James Ivory, ao receber o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por “Me chame pelo seu nome”, filme que tem o brasileiro Rodrigo Teixeira na produção, deu um recado: “Heteros, gays ou algum lugar ai no meio, todos nós passamos pelo primeiro amor. E que os exemplo dos pais de Eliot (Timothée Chalamet) sirvam de exemplo”.

Jennifer Lawrence e Jodie Foster falaram da inspiração não só das personagens mas das mulheres que inspiraram as indicadas a Melhor Atriz e suas histórias de superação. O prêmio foi para Frances McDormand por “Três anúncios para um crime”. Durante o discurso a atriz colocou a estatueta no chão e pediu que as mulheres indicadas se levantassem. “Olhem ao redor de vocês. Temos muita história para contar e projetos que vocês podem financiar. Não conversem com a gente esta noite, nos chamem para o seu escritório em um dia ou dois. Tenho duas palavras para esta noite inclusão de roteiristas (writters inclusion)”.

Vencedor do Oscar de Melhor Ator, Gary Oldman dedicou o prêmio à mãe, de 99 anos. “Pode colocar a chaleira no fogo porque estou levando um Oscar”. A estatueta de Melhor Ator Coadjuvante ficou com Sam Rockwell (“Três anúncios para um crime”) e Melhor Atriz Coadjuvante para Allison Janney “I, Tonya”.

A 90ª cerimônia do Oscar teve novos envelopes para diminuir a possibilidade de um erro e teve um momento de interatividade. Jimmy Kimmel, Gal Gadot, Armie Hummer, Lupita Nyong´o, Emily Blunt, Guilherme Del Toro, entre outros, se dirigiram a uma sala de cinema próxima ao Dolby Theatre onde os espectadores foram surpreendidos.

Outros dois belos momentos foram as participações das atrizes Rita Moreno e Eva Marie Saint. Aos 86 anos Rita é a primeira mulher e única porto-riquenha a conquistar um Emmy, um Oscar, um Grammy e um Tony. Ela usava o mesmo vestido – com pequenas alterações na parte superior – de quando recebeu, em 1961, o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Anita de “Amor sublime amor”. Eva Marie, Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por as Elia Kazan em “Sindicato dos Ladrões”, de 1954, mostrou estar em boa forma, belíssima e com uma jovialidade ímpar em seus 93 anos de idade.

Dessa vez também não foi usada trilha para avisar que o tempo do discurso acabou, mas o menor discurso levou para casa um Jet Ski. O sortudo da noite foi Mark Bridges, vencedor do Oscar de Melhor Figurino por “Trama Fantasma”.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »