18/02/2018 às 05h01min - Atualizada em 18/02/2018 às 05h01min

Jean chega como referência no Verdão

Com passagens por grandes clubes, jogador aposta em experiência para ajudar UEC a melhorar no Mineiro

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Jogador de 35 anos foi apresentado na última semana pelo Uberlândia, após breve passagem pelo Rio Verde / Foto: Éder Soares
 
Com a saída do goleiro Felipe, que não joga mais o Campeonato Mineiro após lesão no joelho, o veterano meia-atacante Jean, de 35 anos, é quem assume a responsabilidade de ser o jogador referência no elenco do Uberlândia Esporte Clube (UEC), pelo menos até o final do Estadual.

Apresentado no CT Ninho do Periquito, na última quarta-feira (14), Jean traz consigo um currículo em que acumula passagens por grandes clubes do futebol brasileiro, como Flamengo, Vasco, Fluminense, Corinthians, Cruzeiro e Santos.

Depois de passar por vários clubes pequenos e médios do futebol nacional, o jogador, que estava no Rio Verde (GO), chega com a expectativa de ajudar o Verdão a fazer uma boa campanha no Mineiro para, em seguida, renovar seu contrato para a disputa da Série D do Brasileiro.
 
TRAJETÓRIA
 
Revelado nas divisões de base do Flamengo, Jean Carlos da Silva Ferreira teve sua primeira oportunidade na equipe principal rubro-negra em 2002. Rápido e habilidoso, ele tinha tudo para se firmar na Gávea, no entanto, muitos questionamentos fizeram com que tivesse uma relação de amor e ódio com a torcida rubro-negra.

O então atacante teve momentos de destaque pelo Flamengo, como os três gols que assinalou contra o Vasco na final do Campeonato Carioca de 2004. Mesmo como herói do título, Jean continuou a ser questionado pela torcida flamenguista.

Para respirar novos ares, ele foi emprestado ao Cruzeiro no mesmo ano e, em seguida, após mais uma passagem pelo Flamengo, acabou sendo negociado com o futebol russo.

Em meados de 2006, retornou ao Brasil, atuando pelo Vasco da Gama e, em seguida, pelo Corinthians. Depois de deixar o Timão, seguiu para o Fluminense, em 2007, depois retornou ao Vasco, passou pelo futebol da Arábia e foi para o Santos, seu último clube de grande expressão, em 2009.

Abaixo, a reportagem do Diário de Uberlândia bateu um papo com o meia-atacante. O jogador falou um pouco de sua experiência no futebol e sua expectativa no Uberlândia Esporte Clube.
 
Diário de Uberlândia: As condições encontradas nas grandes equipes por onde passou te ajudaram na carreira?
 
Jean: Graças a Deus eu tive uma carreira muito bem-sucedida, passando por grandes clubes. A gente sabe que uma boa estrutura ajuda muito, acho que é fundamental não só para os jogadores, mas também para a comissão técnica, para que todos possam desempenhar um grande trabalho. Com certeza nestas grandes equipes em que joguei, a estrutura sempre era melhor do que as de menor expressão.
 
O que você achou das condições de treinamento do Uberlândia?
 
Eu fiquei surpreso com a estrutura do Uberlândia. Confesso que não conhecia, mas cheguei e vi um clube muito bem estruturado, com condições que outras equipes de menor expressão não têm. Por isso, e também por ser um clube correto, o Uberlândia precisa estar em um lugar de destaque, não só em Minas Gerais, como no Brasil. Fiquei muito feliz em ter essa oportunidade de estar aqui e quero fazer o melhor que puder para ajudar este clube.
 
Depois de passar por tantos clubes grandes e começar a jogar por equipes menores, você não pensou em desistir da carreira?
 
Nunca pensei em desistir, não. Enquanto Deus estiver abençoando e abrindo portas, enquanto a gente tiver saúde, quero seguir, porque amo jogar futebol. Mesmo jogando em equipes de menor expressão eu sempre tentei dar o meu máximo e honrar as camisas destes clubes e aqui não será diferente. Sei que estou chegando agora, mas vou fazer de tudo para ajudar a equipe, mesmo porque fiquei muito feliz em ver um clube tão estruturado como esse.
 
Você está com 35 anos, mas no futebol atual é comum ver atletas com mais de 40 anos jogando ainda em alto nível, como o Marcelinho Paraíba, que tem 42, e o Zé Roberto, que encerrou a carreira no ano passado com a mesma idade. Isso te motiva a continuar por mais tempo?
 
Isso é muito importante, pois antigamente havia muita discriminação no futebol. Se o atleta passasse dos 30 anos, já era considerado velho. Aí veio o Zé Roberto jogando em alto nível com 42 anos, e antes o Romário, com 40 anos, sendo artilheiro do Brasileiro. É importante este olhar, pois se abre as portas para atletas depois da casa dos 30. Perto destes que falamos ainda sou um menino e por isso vou continuar firme na carreira, mesmo porque estou muito feliz com o que estou vivendo.
 
Você jogou a maior parte da sua carreira como atacante, mas vem sendo utilizado em outros clubes como meia de ligação. Esta vem sendo uma das carências do UEC no Mineiro. Você está tranquilo para ser o articulador de jogadas do Verdão?

Durante a negociação para vir para o Uberlândia, a gente conversou bastante sobre essa função de meia, que é a posição que já venho fazendo em outros clubes, inclusive no Rio Verde na disputa do Campeonato Goiano. Vou procurar ajudar os meus companheiros, com muita tranquilidade, para tentar deixá-los sempre na cara do gol. Dessa forma espero que os gols saiam e que o Uberlândia possa fazer uma grande campanha saindo dessa posição incômoda e indo para as finais do campeonato.   
 
Você veio com contrato para o Campeonato Mineiro, mas se der tudo certo gostaria de ficar para a disputa da Série D?
 
Com certeza, se depender de mim, eu quero ficar. Aceitei este desafio. Já vi que o time passou da primeira fase da Copa do Brasil, mas que infelizmente está numa situação um pouco mais complicada no Mineiro. Não é nada tão difícil porque uma vitória recoloca o time entre os primeiros colocados. É uma chance que eu tenho de ajudar o time e, fazendo isso, com certeza, quero permanecer, renovar para disputar o Brasileiro e ajudar a brigar pela subida para a Série C. Me considero novo ainda e, quem sabe, eu possa ajudar a fazer história neste clube.
 
Por ter começado no Flamengo, o Zico é o seu maior ídolo no futebol?
 
Comecei no Flamengo com dez anos. Em 15 anos de clube a gente sempre viu o Zico e sabe que ele é o maior jogador que passou por lá. Ele sempre foi meu ídolo. Por coincidência, faço aniversário no mesmo dia que ele, dia 3 de março. Então sempre me espelhei nele, mas também tenho como referência outros jogadores com quem acabei jogando, como o Zinho, Romário, Felipe, Edílson e Júlio Cézar. A gente sempre vai aprendendo com estes jogadores mais experientes. Quem sabe com esta experiência que peguei eu também possa ajudar estes jogadores mais jovens, que estão aqui no Uberlândia.

FICHA TÉCNICA 

Jean Carlos da Silva Ferreira
Idade: 35
Nascimento: São Gonçalo (RJ)
Altura: 1,75
Peso: 68 kg
 
Clubes
 
1997 a 2002 – Flamengo (Base)
2002 a 2004 – Flamengo
2004 – Cruzeiro
2005 – Flamengo
2005 – Saturn (Rússia)
2006 – Saturn
2006 – Vasco
2007 – Corinthians
2007 – Fluminense
2008 – Vasco
2008 - Al Sharjah (Arábia Saudita)
2009 – Santos
2010 – Brasiliense
2011 – Volta Redonda
2011 – América (RJ)
2012 – Madureira (RJ)
2012 – Madureira (RJ)
2013 – Macaé (RJ)
2014 – Macaé
2015 – América (RJ)
2016 – América (RJ)
2017 – São Gonçalo (RJ)
2018 – Rio Verde (GO)
2018 – Uberlândia (MG)
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »