04/02/2018 às 05h12min - Atualizada em 04/02/2018 às 05h12min

LUF define o calendário de 2018

Liga vai promover 12 competições ao longo do ano; a primeira é o Campeonato Regional Adulto, em março

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Renato Batista, presidente da LUF, acredita em Campeonato Amador mais disputado neste ano / Foto: Éder Soares
 
Depois de um 2017 de muitas emoções dentro e fora de campo, o Futebol Amador da Liga Uberlandense de Futebol (LUF) já tem definido todo o calendário para a temporada 2018. Ao todo serão 12 competições, entre categorias de base, regional adulto e de base, veteranos, rural, Copa Uberlândia e, claro, os campeonatos mais esperados que são as divisões Especial e de Acesso.

A primeira competição a ser realizada no ano será o Campeonato Regional Adulto, que começa no início de março. A Copa Uberlândia, que funciona como o esquenta para o início do Campeonato Amador tem começo marcado para o dia 8 de abril. Já o Amador começa no dia 1º de julho com a Divisão de Acesso e dia 8 do mesmo mês com a Divisão Especial.

O presidente da LUF, Renato Batista, falou com a reportagem do Diário de Uberlândia e fez um balanço de 2017, depois de muita confusão nas semifinais da Primeira Divisão, com a invasão de campo da torcida do Luizote, e sobre a sua expectativa para este ano, no qual ele espera que tenha um Campeonato Amador ainda mais disputado.

“Este calendário foi definido no dia 21 dezembro, mas estamos fazendo agora a publicação, junto com as datas de cada assembleia, que definirá os rumos das competições em termos de formato. Esperamos um grande 2018, sem dúvidas, pois a olhos vistos nossas competições tem se fortalecido a cada ano”, disse Renato Batista.

O presidente garante que a questão da segurança para os jogos do Amador deste ano terão uma atenção especial, em termos de planejamento, para se evitar cenas como as das semifinais do ano passado. “Vamos conversar muito com os clubes, até mesmo porque a forma com que terminou a competição de 2017 deixou todos muito preocupados, para que a gente possa tomar providências preventivas a partir deste ano, no sentido de prevenir a violência ou tentativa de agressão. Fatos desta natureza não podem existir no futebol amador.”
 
FORMATO
 
O formato de duas divisões (Especial 1ª e Acesso 2ª) deverá ser mantido pelo quarto ano seguido. Por quase duas décadas a competição funcionava no sistema de três divisões. Segundo Renato Batista, foram feitos estudos que comprovavam que o modelo antigo já não chamava a atenção dos clubes e dos torcedores. “Fizemos essa proposta de mudança e ela foi unanimemente aceita por todos, fazendo esta fusão da segunda com a terceira e aumentando a primeira divisão de 16 para 20 times. O fato de passar a subir quatro e descer quatro times também deu outro aspecto de competitividade e motivação às competições, pois até a última rodada da primeira fase existe competição, tanto por vagas para a segunda fase, quanto para escapar do rebaixamento”, considerou o presidente da LUF.
 
ATLETAS PROFISSIONAIS
 
A Divisão Especial do Amador hospeda atualmente inúmeros atletas profissionais, vindos de várias partes do Brasil, o que acaba gerando o aumento técnico da competição. Atletas como o goleiro Juniho, ex-URT, Atlético Mineiro e América, entre outros nomes conhecidos custam atualmente uma taxa de R$ 300 reais para cada equipe, desde que esteja sem contrato vigente como profissional.
 
“O nível técnico tem explodido, sem dúvidas, pois os clubes que pagavam alto para uma transferência de atleta profissional, média de R$ 1,3 mil, agora conseguem montar equipes fortes por um custo menor. Isso foi um trabalho baseado em estudos e pesquisas que fizemos e trabalhamos junto à Federação Mineira para que isso acontecesse”, disse Batista.
 
AMADOR DE 2017
 
Apesar dos problemas nas seminais de 2017, grande parte da crônica esportiva local e torcedores consideram que a competição foi uma das melhores de todos os tempos, em termos de nível técnico e presença de público. Renato Batista, presidente da LUF, concorda plenamente com tal título.
 
“Fazendo uma comparação técnica com o futebol profissional, por exemplo, mas tirando a nossa paixão pelo amador e colocando a razão, realmente o futebol amador não perde para o profissional. Assistimos, inclusive nas fases preliminares, grandes jogos e os poliesportivos sempre lotados. A média de público por final de semana em todos os poliesportivos é de 20 mil pessoas”, afirmou.
 
FINANCEIRO

Questões financeiras ainda preocupam a liga

Nos dois últimos anos, a Liga Uberlandense de Futebol acabou sofrendo com os atrasos dos repasses da Prefeitura de Uberlândia para o pagamento das taxas de arbitragem, situação que, segundo Renato Batista, já foi totalmente quitada pela atual administração.
 
“Tivemos dois anos atípicos. Isso acabou gerando para a gente, que é detentora e organizadora das competições, muitos problemas. Agora toda a parte da Prefeitura está rigorosamente dia com a LUF e estamos no aguardo que os recursos para este ano possam ser melhorados para que possamos custear também os campeonatos de base”, disse Batista.
 
AIRTON BORGES
 
O mandatário da LUF aguarda respostas de parceiros para melhorias na estrutura do Estádio Airton Borges, que é a principal praça do futebol amador. A liga precisaria em torno de R$ 30 mil, por mês, para se tornar administrável, segundo Renato Batista. Porém os recursos para manter as despesas vêm basicamente apenas das inscrições de atletas para as competições, o que dá uma média de R$ 10,9 mil por mês, diferença que a entidade procura reverter com ações como a vendas de placas de publicidade.

“Quando assumimos a LUF em 2015, tudo o que se fazia realçava, pois pegamos uma estrutura muito sucateada. Mas agora, com todas as melhorias e reformas, garanto que fica mais caro manter tudo do jeito que está. Temos estacionamento, fizemos obras de revitalização no auditório, na secretaria, nos vestiários do estádio e outras áreas, como as guaritas para a imprensa, os resultados online no site, a retira de pragas do gramado, que ano a ano está ficando melhor. Então não é fácil manter isso”, afirmou.

Renato falou ainda sobre a expectativa da chegada de novos recursos. “Estamos conversando com empresários e o poder público para viabilizar novas melhorias, como, por exemplo, a construção de uma lanchonete adequada para atender aos torcedores que frequentam os jogos nos finais de semana.”
 
FORMAÇÃO

Curso de arbitragem acontece em março

Nos dias 9 e 10 de março, a LUF começa um curso para a formação de novos árbitros para o quadro da entidade. O curso será ministrado por profissionais da Federação Mineira de Futebol (FMF), sendo este o primeiro passo para o início da carreira na função.

“Não existe mais a necessidade, como era antigamente, de o árbitro ter que se mudar para Belo Horizonte. O árbitro que tem condições de trabalhar no profissional, a LUF tem a autonomia para fazer a indicação”, disse Renato Batista, presidente da entidade.

A idade mínima para participar do curso é de 18 anos, mas candidatos a partir de 16 anos também podem se inscrever a título de aprendizado. Para mais informações, os interessados podem ligar na sede da LUF no telefone 32320822. 
 
Calendário de competições 2018

Super Máster – Início 05/02 e término 13/07 (17 datas)
Regional Adulto – Início 06/02 e término 30/06 (17 datas)
Rural – Início 25/03 e término 08/07 (16 datas)
Juvenil – Início 08/02 e término 17/06 (12 datas)
Júnior – Início 08/02 e término 17/06 (12 datas)
Regional sub-13 – Início 28/04 e término 22/09 (18 datas)
Regional sub-14 – Início 28/04 e término 22/09 (18 datas)
Copa Uberlândia – Início 08/04 e término 24/06 (12 datas)
Divisão Especial – Início 08/07 e término 02/12 (20 datas)
Divisão de Acesso – Início 01/07 e término 04/11 (17 datas)
Veteranos – Início 04/08 e término em 24/11 (17 datas)
Regional sub-20 – Início 04/08 e término em 24/11 (17 datas)
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »