03/02/2018 às 05h47min - Atualizada em 03/02/2018 às 05h47min

Produção com a marca de guerreiras

'Lifting: Uma comédia cirúrgica' dá início hoje no Teatro Municipal de Uberlândia à sua temporada 2018

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA

A atriz Lorena da Silva tem uma vasta experiência nacional e internacional. Ela também trabalha como produtora, professora, diretora e autora. Porém, pisará pela primeira vez em Uberlândia no palco do Teatro Municipal hoje onde se apresenta ao lado de Ângela Rebello, Drica Moraes e Luísa Pitta em “Lifting: Uma comédia cirúrgica”. O espetáculo teatral tem sessões neste sábado e amanhã, sempre às 20h30 e traz em cenas curtas o universo da vaidade feminina, ou mesmo do ser humano, em busca da juventude eterna. Prepare-se para rir muito.

“Estou muito empolgada e animada para chegar a Uberlândia porque tenho ótimas referências. A cidade também marca nosso reencontro após quatro meses das últimas apresentações. Esse distanciamento de é importante para o espetáculo porque percebemos a peça com outros olhares, mais amadurecida”, comentou a atriz em entrevista por telefone ao jornal Diário de Uberlândia.

“Lifting” estreou no ano passado com sucesso tanto de público quanto de crítica em teatros de Bangu (RJ), Porto Alegre (RS) e Campinas (SP). “No festival em Porto Alegre teve até sessão extra, comenta Lorena sobre a receptividade do espetáculo que, segundo ela, tem muito a ver com a arte do bordado mineiro.

“Essa peça é muito preciosa para nós. Foi feita por amigas que se encontraram na saída de uma peça de teatro e tiveram uma ideia. É como se fosse um bordado como fazem ai em Minas. Trabalhamos como bordadeiras, agricultores, pessoas que se esforçam para produzir o que é possível, saindo do macro e indo para o micro”, relatou.

As atrizes investiram dinheiro do próprio bolso, assim como todos os envolvidos no projeto que tiveram um envolvimento mais afetivo que financeiro com o projeto. “Fizemos o livro de ouro como nos anos 80 e vários amigos também fizeram doações. Esse é nosso modo de produção meio de cooperativa que nasce do nosso desejo de estar junto, de ser resistência no fazer teatro que hoje em dia é um ato político até. E vamos continuar fazendo, doa a quem doer”, declarou Lorena.

Enquanto para Lorena Uberlândia será uma novidade, para Drica Morais marca um reencontro com o público. Em 1991 ela esteve por aqui ao lado do ator Taumaturgo Ferreira com a peça “Dores de Amores”. “Tenho um carinho antigo por Uberlândia. Aquela temporada de ‘Dores de Amores’ foi muito marcante. Passamos por 60 cidades em três meses e começamos por ai”, recorda a atriz, agora toda comprometida com “Lifting”.

Para ela, a experiência tem sido muito bem-sucedida para algo que começou como uma ação entre amigas. “Conhecemos o texto de Felix Sabroso por meio da Ângela Rebello e adoramos! Fizemos o espetáculo no estilo cabaré, com cenas curtas e esquetes que tornam o espetáculo leve, dinâmico, com uma música envolvente”, explica a atriz.

Atualmente ela enxerga o exercício do teatro no Brasil como uma verdadeira guerrilha, foi mais ou menos assim que viabilizaram “Lifting” que foi toda produzida sem patrocínio e todos da produção recebem da bilheteria. “Cada uma das atrizes colocou R$ 5 mil do próprio bolso, no figurino temos peças do nosso acervo, tudo isso para enfrentar essa crise que tanto afeta a cultura. Estamos de volta ao teatro artesanal”, disse.

Na peça, cada uma faz entre quatro e cinco personagens em uma espécie de teatro de revista e Drica afirma que a diversão é garantida. “A maior recompensa que temos dessa resistência é a casa cheia com uma audiência que se diverte com a gente com teatro de qualidade”, explicou.

Drica começou no teatro aos 14 anos e aos 43 continua com fôlego dos iniciantes, dos sonhadores e percebe que a representatividade feminina tem aumentado. “Sou feminista no ponto de vista que o feminismo é uma igualdade de direito. Toda essa polêmica pós denúncias de assédio é uma outra coisa. As pessoas podem se relacionar e relacionar sua libido sem interferir na sua educação e seu respeito pelo outro. Em esfera social tem muitos movimentos, alguns dos quais eu faço parte como o ‘Mexeu com uma mexeu com todas’, que tem dado mais voz à mulher, que empurra para frente e tem que haver novos, e outros e mais”, comentou a atriz, uma das fundadoras da Cia dos Atores, que comemora 30 anos.

ENTRE ELAS

Para diretor espetáculo é a celebração da amizade

“Lifting: Uma comédia cirúrgica” tem direção de César Augusto, também ator, que é um dos fundadores da Cia dos Atores ao lado de Drica Moraes. Para ele, esse espetáculo é uma reunião de amigos e celebra a amizade. “Juntamos esforços para realizar um espetáculo sem patrocínio, mas com muito amor”, comentou.

Ele afirma que trabalhar com Ângela, Drica, Lorena e Luísa é estar diante de mulheres muito diferentes que colaboram de forma distinta com o espetáculo que celebra todas elas. Para ele, as temáticas da peça podem parecer fazer parte exclusivamente do universo feminino, mas fazem parte do universo do ser humano. “É um texto divertido, muito bacana. É edificante trabalhar com base no texto desse autor tão talentoso que é o Sabroso. Claro que trouxemos o tempero brasileiro e as questões do País estão inseridas na peça”, comentou.

Segundo o diretor, a peça até tem espaço para improvisos, ele deixa as atrizes bastante livres para isso, porém ele reforça que está tudo muito bem colocado nas cenas que retratam as mazelas na busca da juventude eterna. “Os quadros são bem fechados, têm um certo rigor que se sucedem e criam um mosaico sobre as questões colocadas. Será um prazer apresentá-la em Uberlândia, que ainda não conheço, mas já sei que tem um público que já me disseram ser bastante interessado e também festivo”, finalizou.

SERVIÇO

O QUE: Espetáculo teatral “Lifting-Uma comédia cirúrgica”
QUANDO: hoje (3) e amanhã (4) às 20h30
ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7070, Tibery)
INGRESSOS: à venda no Boucle Salon (Av. Francisco Galassi, 940 – Morada da Colina) e na loja Provanza do Center Shopping e pelo site www.megabilheteria.com.br a R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada)
INFORMAÇÕES: 3235-1568
 
FICHA TÉCNICA

Autor: Felix Sabroso
Tradução: Ângela Rebello e Lorena da Silva
Supervisão: Ângela Leite Lopes
Direção: César Augusto
Elenco: Ângela Rebello, Drica Moraes, Lorena da Silva, Luísa Pitta
Cenário e figurino: Marcelo Olinto
Iluminação: Maneco Quinderé
Preparação corporal: Marcia Rubin
Visagismo: Márcio Mello
Direção de produção: Alessandra Reis
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »