08/12/2017 às 17h24min - Atualizada em 08/12/2017 às 17h24min

Fransérgio Araújo retorna com 'O Mal Dito' a Uberlândia

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Cena de “O Mal Dito” protagonizado por Fransérgio Araújo / Foto: Vinícius Carvalho/Divulgação

 

Um bom ator é antes de tudo um estudioso frenético, incansável. Em suas jornadas encontra histórias e conta histórias capazes de levar o espectador a refletir, a sorrir, a chorar, um trabalho artesanal com foco na emoção alheia. O ator e diretor teatral uberlandense Fransérgio Araújo volta neste sábado (9) à cidade natal com o espetáculo “O Mal Dito”, que será encenado no Palco de Arte.

Radicado em São Paulo desde 2013, após longa temporada no Rio de Janeiro, ele retoma o palco com um trabalho que traz sua assinatura também na direção, iluminação e figurino. Seu objetivo: surpreender o público em uma performance cuja encenação visceral é seu principal trunfo. Ele chega com a experiência de anos trabalhando com diretores como José Celso Martinez Corrêa, Márcio Aurélio, Hamilton Vaz Pereira, Renée Gumiel, Antonio Mercado, Lourival Paris, Roger Avanzi, Sérgio Ferrara, Marcos Loureiro, entre outros.

Segundo o artista, aliado aos cantos surrealistas de Isidore Ducasse, o espetáculo é uma experiência de transformação para quem assiste. O trabalho é resultado da pesquisa de atuação iniciada em 2013 por Fransérgio e conta também com a exibição de conceitos do “Teatro Selvagem” baseados no Teatro da Crueldade de Antonin Artaud .

Sozinho em cena o ator e diretor propõe uma construção teatral inusitada e visceral dos “Cantos de Maldoror”, de Ducasse. O livro foi escrito entre os anos de 1868 e 1869 e descreve cenas brutais, em que a crueldade, a maldade, a covardia e a estupidez humanas são os principais protagonistas de uma trama brutal e revolucionária.

Fransérgio vive um homem atormentado pela existência que questiona a razão da vida. Sua revolta é contra a criação, este homem acredita que, o que há de ser humano nele mesmo, é extremamente cruel. Viver uma experiência de “quase morte” fê-lo impor a si ações virulentas. Acreditando na revolta como saída do desespero, ele tenta fugir da crucificação moral, e das leis da providência. “O que mais me envolve é a força que o trabalho tem de trazer à tona questões existências de uma maneira visceral assim como sentimos a vida nos momentos mais difíceis. A possibilidade de expor isso me apaixona”, disse Fransérgio ao jornal Diário do Comércio.

Também conhecido pelo pseudônimo Conde de Lautréamont, Isideore Ducrasse nasceu em Montevidéu, no Uruguai, em 4 de Abril de 1846 e morreu em Paris, no hotel em que morava, em 24 de novembro de 1870. Tinha 24 anos de idade e até hoje é considerado por muitos um gênio da literatura mundial.

 

SERVIÇO

O QUE: espetáculo teatral “O Maldito”

QUEM: Fransérgio Araújo

QUANDO: sábado (9), às 21h

DURAÇÃO: 50 MIN

ONDE: Palco de Arte (Rua Coronel Manuel Alves, 22, Fundinho)

INGRESSOS: R$ 20

CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

INFORMAÇÕES: 99250-1919


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »