29/11/2017 às 19h00min - Atualizada em 29/11/2017 às 19h00min

TJD marca para 2ª feira o julgamento do Luizote

Equipe será julgada por tumulto causado por torcida em semifinal

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Presidente do TJD, Thiago Barbosa diz que final do Amador poderá acontecer só em 2018 / Foto: Éder Soares

 

Na próxima segunda-feira (4), o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de Uberlândia julgará, em primeira instância, a partida de volta das semifinais da Divisão Especial do Campeonato Amador, entre Luizote a Tabajara, que aconteceu no dia 19 deste mês. O jogo e foi encerrado aos 51 minutos do segundo tempo, depois de invasão de campo por parte de torcedores do Luizote e confusão generalizada.

O julgamento está marcado para começar às 18h30, na sede da Liga Uberlandense de Futebol (LUF), na Avenida Rondon Pacheco. Pelo segundo domingo seguido, não haverá partida pela elite do futebol amador. Enquanto não se desenrola a situação, o Tocantins, que eliminou o Voluntários, aguarda a decisão do TJD para conhecer o seu adversário.

O presidente do TJD de Uberlândia, Thiago Barbosa de Oliveira, acredita que não existe risco de não acontecer a final da competição, como está se cogitando nos bastidores do futebol amador. No entanto, ele não garante que o jogo acontecerá ainda neste ano.

Também será decidido no julgamento se haverá as cobranças de penalidades para definir o segundo finalista, ou se o Tabajara será determinado como a equipe que enfrentará o Tocantins na final.

“Eu confio na comissão julgadora e tenho certeza que acontecerá uma decisão coerente. A final vai acontecer, pois o campeonato precisa acabar. Se vai acontecer neste ano, ou ano que vem, irá depender do andamento do julgamento, se haverá ou não recurso e qual o ritmo iremos conseguir imprimir em virturde de um eventual recurso, ou seja, varia dependendo de uma série de fatores”.

 

BRIGA

Tabajara e Luizote faziam um jogo equilibrado que caminhava para um empate sem gols, o que daria a classificação ao Luizote. Depois de agregar cinco minutos além do tempo regulamentar, o árbitro João de Souza acrescentou mais um minuto devido às outras paralisações no jogo. Justamente neste minuto final de acréscimo saiu o gol da vitória do Tabajara (1 a 0).

O resultado levaria a decisão da vaga para as penalidades máximas, motivo da revolta dos torcedores do Luizote, que invadiram o gramado do Airton Borges para agredir o juiz, jogadores e até dirigentes da Liga Uberlandense de Futebol (LUF). O caos só não foi maior devido à rápida ação da Polícia Militar.

 

DENÚNCIAS

O Luizote foi denunciado seguindo os artigos 182, 184 e 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), nos quais não estão previstas punições mais severas como suspensão ou rebaixamento de divisão.

Além de multas entre R$ 100 a R$ 100 mil, que podem ser revertidas em ações sociais por se tratar de agremiação amadora, o clube poderá ser punido ainda com a perda de um a dez mandos de campo.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »