28/11/2017 às 05h04min - Atualizada em 28/11/2017 às 05h04min

Escritora uberlandense é premiada

Leda Gonzaga vai ao Rio de Janeiro receber o prêmio Literatura 2017 na categoria livro infanto-juvenil

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
A escritora Leda Gonzaga e o livro premiado no concurso Troféu Literatura 2017 / Foto: Divulgação

 

A escritora uberlandense Leda Gonzaga está ansiosa e feliz. Na próxima quinta-feira ela embarca para o Rio de Janeiro, onde receberá na sexta-feira (1/12) o prêmio Troféu Literatura 2017 na categoria livro infanto-juvenil por “Cinderelas de calças jeans - A Linguagem das Borboletas”. Ao todo são 14 categorias premiadas no evento que neste ano homenageia a escritora mineira Carolina Maria de Jesus (1914-1977).

Leda afirma que sempre gostou de ler, escrever e desenhar e trabalhou por quase dez anos com educação. Foi nesse período que percebeu a importância de despertar esse mundo imaginário nas crianças e incentivá-las desde cedo para que elas se tornarnem adultos críticos e capazes de solucionar seus problemas. “Eles também aprendem mais a vivência de mundo pois somente através da leitura e da educação vamos ter um mundo com jovens e adultos mais confiantes e felizes”, disse.

“Cinderelas de calças jeans”, publicado pela editora Gregory, foi lançado na Virada Cultural deste ano em Uberlândia. “Fiquei emocionada quando recebi a notícia do prêmio”, disse a escritora que inscreveu poucos dias antes do encerramento do prazo. “Esse reconhecimento é importante porque vivemos em um país não leitor no qual a tecnologia está dominando as classes, e precisamos sim de incentivos para continuar e a editora ZL busca essa valorização dos escritores nacionais. É uma grande incentivadora para autores independentes ou não”, explicou Leda.

A autora afirma que os maiores desafios dos dias de hoje para escrever para os públicos infantil e infanto-juvenil é despertar os pais para que eles leiam para as suas crianças desde a gestação. “É assim que vamos despertá-los para esse mundo da leitura e o interesse pelos livros. Ao escrever para nossos pequenos procuramos levar  a ludicidade das palavras, as surpresas que uma boa história apresenta no decorrer do trajeto”, disse a escritora.

Leda Gonzaga usa o jogo das palavras. Para ela o encantamento da linguagem é saber buscar a expressão inocente necessária para despertar a imaginação dessas crianças. “Esse é o maior desafio. Estamos precisando primeiro despertar o mundo imaginário dos adultos que está adormecido. Nós não escrevemos só para as crianças, livro de literatura é para adultos também”, disse.

A escritora reforça que o hábito de os pais lerem para os filhos na infância é um diferencial no desenvolvimento deles. “Não importa em que horário isso aconteça e sun que seja compartilhado. O momento da leitura de histórias aumenta o vínculo de pais e filhos e traz encantamento aos pequenos”, disse.

Ela afirma que o momento é prazeroso, traz segurança, desenvolve a criatividade e amplia o repertório visual e imaginário da criança mesmo sendo um bebê, além de estimular a formação de imagens na tela mental dessa criança. “Esse estímulo começa a crescer dentro dela”, afirmou.

O prêmio Literatura 2017 será entregue na sexta-feira no luxuoso hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, em evento promovido peal ZL Editora, de Jô Ramos.

A obra premiada da escritora uberlandense Leda Gonzaga, tem como mote inspirar, provocar e levantar questões e reflexões sobre essa geração tecnológica sobre um tema tão polêmico que rodeia os jovens dentro e fora das escolas, o bullying. “Também damos dicas para que se faça arte, que se faça música mas que não se pratique o bullying. Abordamos ainda temas como doação de medula, claro, com um belo  romance juvenil”, comentou Leda Gonzaga.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »