30/09/2017 às 05h56min - Atualizada em 30/09/2017 às 05h56min

A simplicidade e a riqueza de 'Juca'

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
“Juca” tem duas sessões no anfiteatro do Crea, uma hoje e outra amanhã / Foto: Divulgação

 

Uma das maiores riquezas de Minas Gerais está no seu povo. Na tradição da história passada muitas vezes somente de forma oral de pai para filho, de vizinho para vizinho. O espetáculo “Juca” em cartaz hoje e amanhã no anfiteatro do Crea em Uberlândia traz para os holofotes uma dessas histórias. O sr. Juca da Angélica, simples assim, vivia na roça no município de Lagoa Formosa. Como todo bom mineiro era muito bom de prosa.

Porém, mesmo sendo analfabeto, Juca era apaixonado por poesia. Fazia versos de amor para suas paqueras, para a fazenda, até para as vacas que produziam o leite do dia a dia e recitava poemas também para seus bois. “Tudo para ele virava poesia e isso fez com que ele ficasse famoso na região. Acreditamos que essa é uma história que merece ser conhecida e por isso investimos neste projeto”, conta Wagner Júnior, produtor da peça ao lado de Bertha Ruskaia.

Um morador de Patos de Minas, Paulo Nunes, atualmente radicado em São Paulo, ficou sabendo dessa história e resolver conferir de perto. Conheceu Juca em pessoa, emocionou-se com ele e pediu autorização para redigir seus poemas que resultaram no livro “Meu canto é saudade”. “Alguns desses poemas foram musicados pelo Trio José, de São Paulo, e estão na peça”, conta Wagner Júnior.

A montagem dos graduados no curso de Teatro da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) tem direção do professor Luiz Humberto Arantes, amigo de Paulo Nunes. Aprovada pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC), a peça foi apresentada no ano passado no Espaço Porta 84, com lugar para 50 pessoas. “Agora temos um auditório maior e esperamos conseguir viajar com este espetáculo. Cidades como Patos de Minas, Araxá e Uberaba já nos procuraram. Nosso sonho é conseguir chegar com este trabalho até a fazenda onde Juca morava”, disse Wagner Júnior.

Infelizmente o senhor Juca não viu a montagem pronta. A peça estreou em outubro e em setembro de 2016 ele faleceu aos 98 anos. Porém, graças ao livro e à peça, muita gente ainda pode conhecer sua história.

 

SERVIÇO

O QUE: Espetáculo “Juca”

ONDE: Anfiteatro do Crea (Av. Anselmo Alves dos Santos, 1.240, Santa Mônica)

QUANDO: Hoje (30) e amanhã (1º), às 20h

INGRESSOS: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) à venda na bilheteria do local do espetáculo hoje e amanhã a partir das 12h. Quem doar 1kg de alimento não perecível também paga meia-entrada.

INFORMAÇÕES: 99154-0593 (Bertha Ruskaia)

 

FICHA TÉCNICA

Diretor: Luiz Humberto Arantes

Produtores: Bertha Ruskaia e Wagner Júnior

Elenco: Camila Delfino, Geo Diaz, Guilherme Almeida, Juliana Milani, Leandro Alves, Luciene Andrade e Toshirol Tosh

Dramaturgia e figurino: Tiago Pimentel

Sonoplastia e iluminação: Rubia Bernardes


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »