13/09/2017 às 05h41min - Atualizada em 13/09/2017 às 05h41min

Uberlândia recebe Ekena pela 1ª vez

Cantora e compositora do interior paulista se apresenta amanhã no lançamento do 4º Festival Timbre

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Ekena Monteiro, de Araraquara (SP), é vocalista e compositora e lançou com sua banda o disco “Nó” em agosto / Foto: Gabriel Quintão/Divulgação

 

Ekena, como todo artista, é uma mulher inquieta e questionadora. Apesar da suavidade de sua voz ao telefone essa cantora e compositora de vinte e poucos anos é do tipo que sabe onde quer chegar e para isso jamais se deixa abater por um obstáculo. Acompanhada por outros seis músicos Ekena se apresenta pela primeira vez em Uberlândia amanhã, no lançamento do 4º Festival Timbre que acontecerá no Granja na Rua, no bairro Granja Marileusa.

A banda traz o repertório do disco “Nó”, lançado em agosto passado, que foi precedido por single lançado em maio. Mas desde o ano passado Ekena já está na estrada divulgando, por meio de suas canções, os desafios e a beleza de uma arte que ainda carrega muito uma estereótipo masculino. “Já passei por muitas situações engraçadas e até incríveis só pelo fato de ser mulher. Desde técnico de som que achava que eu não entendia das coisas até do público mesmo em questionar ‘foi você mesma quem escreveu essa música?’”, conta ela à reportagem do jornal Diário do Comércio.

A música está presente na vida de Ekena Monteiro – nome havaiano que significa detentora do segredo da juventude – desde criança. Já teve bandas, trabalhou em trio e agora está com mais gente no palco. Com a saída do guitarrista Rodrigo Bottari entrou Hugo Brüner e completam a banda o violonista e também vocalista Vinícius Lima, o baixista Gabriel Planas, o tecladista William de Paula, o baterista Israel Reinaldo, Álvaro Viriato nos metais e Luis Octávio Rocha na percussão.

Ekena é pop, é MPB, é folk. Difícil rotular a partir das 13 faixas de “Nó”, tem um pouco de tudo que é bom – até música em inglês (“Greatest liar”) - e traz o frescor das produções musicais da atualidade e no palco a mistura fica ainda mais interessante. “Quanto mais gente mais aprendizado, musicalmente falando é muito bom. E pelos lugares que temos passado a recepção está muito boa”, disse Ekena.

Das canções do disco, a mais antiga é de 2011, “Pois é”, que saiu no EP junto com “Passarinho” e “Juro juradinho”, que passaram por algumas modificações para entrar no álbum. Todas as composições são de Ekena. “Posso dizer que ‘Nós’ foi o resultado de uma entrega dos últimos seis anos. Nele eu conto uma história, as músicas e encaixam”, explica a compositora.

Entre as canções, “Todxs putxs” conseguiu um lugar especial na luta da defesa dos direitos da mulher. “A partir do momento em que se nasce mulher você já é feminista apesar de muitas vezes se negar isso por achar que feminismo é uma coisa ruim e não entender o movimento”, diz Ekena.

Ela conta que a mãe sempre foi uma figura muito forte em sua casa, antes de o pai aprovar tinha que passar pela mãe. “Ela é uma mulher forte e me ensinou que tinha que correr atrás do que queria, ser segura e não deixar ninguém dizer o que eu podia ou não fazer, como ou não deveria me vestir”, conta. Muito disso está na letra de “Todxs putxs”.

Apesar de parecer que a humanidade está evoluindo, pensando-se em 30, 40 anos atrás, Ekena acredita que ainda falta muito. “Estamos muito lá embaixo no que diz respeito a essa evolução. Evoluímos a passos pequenos como artista sentimos que hoje as coisas são muito mais faladas, a nova geração tem mais meios de se expressar, tem várias nomenclaturas, mas na mesma proporção, o preconceito chega de forma bem mais direta, infelizmente”, disse.

Mas isso, para Ekena e para qualquer ser humano que lute, à sua maneira, pela igualdade de direitos, é revertido em força para lutar contra a maré, no caso dela, vira combustível para mais uma nova canção.

 

SERVIÇO

O QUE: Granja na Rua – lançamento do 4º Festival Timbre

QUEM: show com Ekena (SP) e DJ set do festival. Haverá ainda uma oficina de produção cultural independente, com Gabriel Caixeta "Bibi", massoterapia com Leslie Miriam complementa as atrações especiais da programação, que inclui ainda os tradicionais food trucks, oficina para crianças, feira de artesanato e exposição de carros antigos.

QUANDO: 14 , das 17h às 22h

ONDE: Espaço Ciranda (Av. Floriano Peixoto, 5.505, Granja Marileusa)

ENTRADA FRANCA

INFORMAÇÕES: 3291-1400


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »