21/07/2017 às 05h17min - Atualizada em 21/07/2017 às 05h17min

Time do Amador foca em trabalho na área social

Projeto do Voluntários beneficia mais de 350 crianças e adolescentes, que sonham com futebol profissional

EDER SOARES | REPÓRTER
Presidente do Voluntário, Major Elias diz que trabalho vai além do esporte e foca no social / Foto: Eder Soares

 

Está enganado quem pensa que o Voluntários é apenas mais uma das equipes que compõem a Divisão Especial do Futebol Amador de Uberlândia. Há três anos, a tradicional agremiação amadora conta com o Projeto Instituto Voluntários, no qual mais de 350 alunos entre 7 e 17 anos têm aulas gratuitas de futebol.

Os três núcleos do Voluntários ficam no Poliesportivo do Jardim América, onde as aulas acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, na parte da tarde; em uma quadra poliesportiva do bairro Jardim Brasília, que recebe aulas nas tardes de terças e quintas-feiras; e no Centro Comunitário do bairro Lagoinha, onde aulas acontecem nas manhãs de sábado.

O coordenador do projeto é o Major Mauro Elias, presidente do Voluntários. Ele garante que o intuito é aumentar em breve o número de alunos. “o projeto está aberto e temos muitas vagas para as crianças e adolescentes que quiserem participar. Para isso, devem apenas procurar qualquer um dos nossos núcleos, onde serão muito bem vindos”, disse.

Para custear o projeto, o Voluntários conta com algumas parcerias e apoiadores. A Fundação Uberlandense do Turismo Esporte e Lazer (Futel) fornece o espaço no Jardim América e no bairro Lagoinha. Parcerias público-privadas também são importantes para o projeto, apoiado pela Realiza Construtora, pelo Poder Judiciário e o Ministério Público Estadual, que fazem repasses para a compra de material e pagamento de profissionais.

“Eu acredito muito no projeto social, pois eu vim de um projeto destes quando tinha nove anos de idade na cidade Cássia (MG), onde aprendi música. Eu ia mais pela sopa que davam, pois não tinha em casa. Assim consegui mudar a minha vida e espero ajudar para que muitas crianças possam ter um futuro na vida, se não como atletas de futebol, mas como profissionais em outras áreas. A gente lida com sonhos e isso é muito sério”, disse Mauro Elias.

O juiz da comarca de Uberlândia Gustavo Soratto Uliano é um dos apoiadores. “O projeto é essencial, pois ocupa o tempo dos alunos e ajuda a quebrar o lado do menor infrator. Se não acontecer algo diferente em sua vida, ele vai tender para o lado do crime. O esporte é muito importante para quebrar este sistema. A cobrança que eles encontram no projeto e os conceitos que aqui aprendem fará com que eles fiquem menos vulneráveis”, afirmou.

 

ESPERANÇA

Alunos sonham com o futebol profissional

Crianças se reúnem em dia de aula no bairro Jardim Brasília / Foto: Divulgação

No Poliesportivo do bairro Jardim América, o responsável pelas aulas do projeto do Voluntários é o técnico Márcio Donizete, o Amaral. Só lá treinam quase 50 garotos.

O volante Gabriel Duarte, de 15 anos, está no projeto há três anos e sonha em se tornar jogador profissional. “Aqui todos aprendem lições de como ser um cidadão de bem e isso devemos levar para a nossa vida. Eu sou muito grato ao Voluntários e farei tudo o que puder para me tornar um jogador profissional”, disse.

Na mesma situação está o lateral esquerdo Gean Vitor, de 16 anos. “O projeto está sendo importante para muitos garotos. Mesmo que não nos tornemos jogadores profissionais, com certeza seremos pessoas de bem. Minha meta é ser profissional e quem sabe, um dia, jogar no meu time de coração, que é o Corinthians”, afirmou.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »