18/07/2017 às 05h29min - Atualizada em 18/07/2017 às 05h29min

Cultura local vira tema de websérie

Nove produções do projeto Multidão em Um serão exibidas na internet toda terça-feira até 12 de setembro

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Foto: Divulgação

 

A partir de hoje, e a cada terça-feira até dia 12 de setembro, será lançado um documentário da websérie do projeto "Multidão em Um", que traz histórias sobre a arte e a cultura de Uberlândia. Ao todo são nove episódios. Cada um teve um artista ou grupo de artistas convidados. A ideia era experimentar interseções entre o trabalho desses artistas para a atração, quer estará disponível na internet. Cada episódio é um curta em si, variando de gênero, duração, fotografia e estilo de montagem.

A idealização é da Nóis Produtora, de Uberlândia e traz à frente Yuji Kodato, Roberto Camargos e Alex Oliveira como diretores (cada um com três episódios) e Lucas Vidal, responsável pelo som direto e desenho de som. "Os episódios também variaram em relação a equipe. Outros parceiros e parceiras trabalharam nas funções de câmera, produção, co-direção e roteiro, por exemplo", disse Yuji Kodato.

Segundo ele, a websérie, surge de um desejo de fazer trocas com os artistas da cidade e criar processos mais experimentais e coletivos. A equipe teve liberdade para transformar livremente os vídeos a partir das questões que surgiram no caminho, sem nenhuma preocupação comercial ou restrição criativa.

"Queríamos também traçar um pequeno panorama cultural da cidade, mas através de um recorte específico. Buscamos exclusivamente artistas independentes e críticos. Independentes no sentido de que não possuem ampla circulação de seus produtos; a maior parte dos artistas que fizeram parte da série não são muito conhecidos na cidade ou se são não possuem produtos audiovisuais bem elaborados. E críticos na medida em que se configuram como resistência e propõem outras relações entre o fazer artístico e a cidade em que vivemos", explica Kodato.

O diretor espera que os curtas circulem ao máximo pela cidade e ampliem o patrimônio cultural dela. "Espero que incentivem novos artistas e abram novas possibilidades de produções coletivas. Por isso mesmo todos os episódios vão direta e gratuitamente para a internet e por isso também as equipes variaram a cada episódio", disse.

Viabilizado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC), o projeto espera ampliar as possibilidades de trocas e produções coletivas em Uberlândia e prevê uma oficina, que será planejada e divulgada mais ao final dos lançamentos. O projeto foi financiado pelas empresas Landix, Moinho Sete Irmãos e Eficaz: serviços globais por meio de isenção fiscal.

 

CENA LOCAL

Atuante há alguns anos na cena audiovisual de Uberlândia, Yuji Kodato afirma que em sua experiência pessoal vê Uberlândia com potências e dificuldades antigas, que ainda estão longe de serem resolvidas ou melhor equacionadas dentro deste setor. Por um lado há um número considerável de artistas, projetos e iniciativas interessantes que produzem de maneira independente ou com poucos recursos, trabalhos valiosos. "Nesse sentido pra mim é um prazer ser de Uberlândia e começar a circular minhas produção pra fora carregando o nome da cidade, assim como é uma alegria ter conhecido vários artistas audiovisuais maravilhosos nestes últimos dois anos. Uberlândia tem muita gente boa, tem uma confluência de pessoas de diferentes cidades do país e essa confluência gera muita potência criativa",disse.

Por outro lado, ele diz que a cidade permanece com uma deficiência de espaços de formação - Uberlândia atualmente não tem nenhuma instituição ou curso voltado especificamente para a formação em audiovisual ou cinema - e de circulação dos produtos. "Vivemos um momento de precarização das políticas públicas voltadas à cultura e uma ofensiva repressiva no que tange o uso tanto do espaço público quanto privado. Vários projetos, espaços e festivais importantíssimos da cidade foram encerrados nos últimos 7 anos, em todos os campos artísticos", comenta o diretor.

Esses eventos, segundo ele, contribuíram para sua formação artística. "Faltam espaços para fomentar cultura e para que os artistas possam trocar conhecimento e experiências", disse. Sobre o PMIC, o principal mecanismo de fomento à cultura, vive um momento delicado, com atrasos nos pagamentos dos projetos e incerteza quanto ao próximo edital.

 

DOCUMENTÁRIOS WEBSÉRIE PROJETO MULTIDÃO EM UM*

1 – "Vidas Cruzadas: Complexo do Gó e Inconfidente Criminal": documentário registra os dois grupos de rap compondo uma música inédita para a série. (lançamento hoje)

2 – "Congado": mini documentário em que14 cinegrafistas de Uberlândia gravam, ao mesmo tempo, 15 minutos de uma das festas mais tradicionais da região. (25/07)

3 – "Aliara Martins" : a artista cria um videodança a partir de improvisações em dança. (01/08)

4 – "Lambe-lambe": 12 artistas visuais da cidade realizam uma intervenção urbana, colando lambes com suas artes pelo centro de Uberlândia. (08/08)

5 – "Carne-mamífera": o grupo realiza uma de suas performances em um hotel abandonado da cidade. (15/08)

6 – "Ditadura Gay": uma das pinturas da série “Ditadura Gay” de Bruno Marcitelli ganha vida através dos integrantes do coletivo Ocupa Teatro. (22/08)

7 – "Ricardo Alvarenga": uma videoperformance em que o artista apresenta uma de suas figuras no palco da boate Star Night. (29/08)

8 – "Strondum": o grupo de dança e performance apresenta “Carcaça” em um ferro-velho. (05/09)

9 – "Memória/monumento": Ensaio fílmico que pensa o direito do uso do espaço público e privado, discutindo as diversas maneiras pelas quais as pessoas se inscrevem na cidade. (12/09)

*Programação sujeita alteração.

 

SERVIÇO

O QUE: Webséries do projeto Multidão em Um

QUANDO: as terças-feiras, até 12 de setembro

ONDE: www.facebook.com/produtoranois


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »