27/04/2017 às 09h30min - Atualizada em 27/04/2017 às 09h30min

A flauta doce e suas infinitas possibilidades

Quarteto Quinta Essentia, formado há 11 anos, é uma das principais referências da flauta no país

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Da Redação
DANILO APOENA/DIVULGAÇÃO Erick Fernandez, Renata Pereira, Gustavo de Francisco e Vinícius Chiaroni farão as primeiras apresentações em Uberlândia hoje e amanhã

A flauta doce, em seus mais diferentes modelos e de diferentes épocas, dá o tom da noite no Teatro Municipal de Uberlândia em curta temporada do quarteto Quinta Essentia, que se apresenta hoje e amanhã. Formado há 11 anos em São Paulo, o conjunto reverencia e divulga o som da flauta doce no Brasil e no exterior.

“A gente tem ensaios toda semana. Nosso grupo é estável e constante, diferente de um projeto, por exemplo, nos quais os músicos se reúnem para um propósito e logo partem para outra. Esse é nosso diferencial que as pessoas podem comprovar tanto nas apresentações ao vivo quanto nos nossos CDs”, afirma Gustavo de Francisco, integrante e diretor do Quinta Essentia.

Atualmente, compõe o grupo além dele os flautistas Renata Pereira, Vinícius Chiaroni e o peruano Erick Fernandez. As histórias dos músicos são bem diferentes e encontram o ponto em comum na flauta doce. Gustavo sempre teve a música como parte da sua vida, porém, antes de viver exclusivamente dela chegou a estudar engenharia, trabalhou em banco e com produção musical. Renata sabia, desde os 8 anos de idade, que essa seria a arte que acompanharia para sempre. Eles formaram o Quinta Essentia em 2006.

O brasileiro Vinícius ganhou uma flauta doce antes de nascer. Herdou da mãe a paixão pelo sopro e a flauta. Já para o peruando Erick, a música só veio na fase adulta, ele tinha 18 anos. Resolveu deixar seu país de origem para estudar música e há 10 anos vive no Brasil.

Juntos, eles trabalham para a formação de novos públicos para a chamada música erudita. “Conversamos muito com a plateia do nosso show durante as apresentações, faz parte de dar uma cara mais popular para um repertório erudito. Acredito que as pessoas podem não gostar do que não conhecem e ficamos muito felizes quando saem do nosso show satisfeitas, conhecendo um pouco mais do que fazemos e a partir daí comentando com os amigos sobre a experiência. É isso que nos faz seguir em frente”, comenta Gustavo de Francisco.

Para o show desta noite, o repertório tem sua base no CD mais recente do quarteto, “Falando Brasileiro”. Lançado em 2014, o álbum traz um arranjo de Paul Leenhouts feito especialmente para o quarteto da música “Desafinado”, de Tom Jobim. “Mas estamos com um novo CD quase pronto por isso já incorporamos algumas músicas novas ao repertório do show que vocês vão conferir em Uberlândia na quinta e sexta-feira”, explica Gustavo.

O material inédito será tocado entre clássicos do Choro, obras de compositores brasileiros como o já citado Tom, Heitor Villa-Lobos e Radamés Gnatally e ainda obras de uma das grandes inspirações da música barroca, o alemão Johann Sebastian Bach.

Os shows fazem parte do projeto “Encontros de Câmara”, que visa trazer a Uberlândia o melhor da música de câmara brasileira, com músicos de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Os objetivos do projeto, segundo os produtores locais, é cativar o público amante de música erudita, promover a formação de plateia e desenvolver ações didáticas e educacionais. O Quinta Essentia abre com chave de ouro a temporada.

BRASIL

Jovens prestigiam concertos no País

Com origem no continente europeu na Idade Média, a flauta doce é um dos instrumentos mais antigos conhecidos. Com o tempo, ganhou novas formas e tamanhos. Os músicos do Quinta Essentia, que chegam hoje a Uberlândia, estão prestes a embarcar para o único continente onde ainda não se apresentaram: vão para a Austrália. Já passaram pelos Estados Unidos, Europa, Ásia e África. Por isso, sempre agregam novas flautas às coleções.

Considerado o principal representante da flauta doce no Brasil, o Quinta Essentia utiliza durante seus concertos flautas de diversos tamanhos e formatos, destacando-se as flautas quadradas com até 2,2m de comprimento, as flautas harmônicas e um consort renascentista. Todos os integrantes do Quinta Essentia atuam também como professores, e esta atividade pedagógica permite que o grupo mantenha um trabalho didático voltado para a formação de novos públicos.

Sobre isso, o diretor do quarteto, Gustavo di Francisco, afirma que o Brasil está um passo à frente. “Nos nossos shows fora do país percebemos que a plateia, em sua maioria, é composta por pessoas mais velhas, acima dos 50 anos. Na Europa, por exemplo, já se preocupam com o que acontecerá daqui a dez anos ou um pouco mais, quando essas pessoas pararem de ir aos concertos. Já no Brasil, percebemos os jovens cada vez mais presentes, o que nos dá um universo grande a se expandir”, afirma o músico.

SERVIÇO

O QUE: Espetáculo “Falando Brasileiro” – Música de Câmara

QUEM: Quinta Essentia

QUANDO: Hoje (27) e amanhã (28), às 20h

LOCAL: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7070 – Tibery)

INGRESSOS: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) – quem doar um brinquedo novo paga meia-entrada. À venda pelo site www.megabilheteria.com e na bilheteria do teatro.

CLASSIFICAÇÃO: Livre

INFORMAÇÕES: 3235-1568

 

ARTE

PREMIAÇÕES

• Concurso Nacional Jovens Cameristas Petrobrás (2007)

• Prêmio Estímulo de Música da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007)


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »