21/04/2017 às 11h17min - Atualizada em 21/04/2017 às 11h17min

Harmonia entre a viola e o violoncelo

Apresentação única promete emocionar o público no Teatro Municipal

Adreana Oliveira | Editora
Da Redação
Udi Cello e Arnaldo Freitas (Divulgação)

A viola que chora... o violoncelo que canta... a harmonia entre dois instrumentos tão diferentes e ao mesmo tempo tão complementares darão o tom da noite de amanhã (23) no Teatro Municipal de Uberlândia. O concerto “Cordas da Alma”, em apresentação única, reúne o violeiro Arnaldo Freitas e Udi Cello Ensemble, que levarão a palco versões muito particulares de conhecidos clássicos do cancioneiro popular.

Para o violeiro paulista Arnaldo Freitas, a oportunidade de tocar com a orquestra de violoncelo do Triângulo Mineiro é uma honra e um desafio que configuram um show sensacional. “Já participei de orquestra de viola, mas tocar com o Udi Cello é maravilhoso, é diferente. Eu sou muito de improviso, de estilo popular e preciso me segurar para fazer tudo certinho, dentro do que o arranjo pede porque eles são excepcionais, não erram nunca”, brinca o músico.

Para Kayami Satomi, criador da Udi Cello, também seu integrante e diretor artístico, a proposta da orquestra sempre foi comprovar que não existe barreira para o violoncelo, que pode se integrar a qualquer formato, em qualquer estilo musical, mas para isso é preciso sair da zona de conforto. “Quando saímos dessa zona de conforto precisamos inserir algumas novidades, o que precisa ser feito a partir de muito estudo e muita pesquisa”, afirma o músico, que destaca os arranjos do show feitos por Rodrigo Faleiros.

“São estilos diferentes que somam e formam uma coisa diferente. Eu faço o trivial e ele têm arranjos bem peculiares. Eles conseguem realçar todas as notas. A gente vê a alma como um instrumento que vibra e é isso que queremos levar para as pessoas no teatro. É a moda de viola com a sofisticação do cello, acostumado às salas de concertos que configuram um diálogo muito bonito”, diz Freitas.

Para ele, a música boa, bem elaborada, não distingue público e pode ser apreciada por apreciadores de qualquer estilo musical. Nascido em Marília, criado em Echaporã, no interior de São Paulo, Freitas é um apreciador dos espaços culturais de Uberlândia e não descarta a possibilidade de se mudar para a cidade. O violeiro é considerado um dos melhores de sua geração e fez parte do casting da TV Cultura por 10 anos como violeiro-instrumentista do ‘‘Programa Viola, Minha Viola’’.

OPORTUNIDADE ÚNICA

Udi Cello celebra oitavo ano de atividades com frescor do início

Ao falar da Udi Cello Ensemble, seu criador, Kayami Satomi, não esconde o orgulho e o apreço por esse projeto. Com os trabalhos iniciados em 2009, eles incluíram o violoncelo em obras contemporâneas populares como o “O Inhambu-xintã e o Xororó”. No concerto “Cordas da Alma”, com Arnaldo Freitas, Satomi afirma que há uma sonoridade complementar. “O som da viola digamos que seja mais ‘encantado’, hora lembra harpa, hora lembra violão. O cello tem um timbre mais parecido com a voz humana, com o acordeon, levando a uma sonoridade bem particular”, explica.

Para deixar o espetáculo ainda mais interessante, o percussionista Jack Will foi convidado para somar seu talento ao trabalho, que conta também com Polyana Faria, da Viola de Nois Produções, na direção artística. “Tem toda uma concepção visual também pensada para esse espetáculo. A iluminação de Marianne Dias é um dos destaques. Reunimos muitos talentos diferentes para o ‘Cordas da Alma’ para proporcionar ao espectador uma sensação única”, diz Satomi.

Sobre o Udi Cello, Satomi afirma que os oito anos de estrada deram a eles mais unidade e amadurecimento. “É quase um casamento. Até o público já percebe essa afinidade, só de olhar um pro outro já sabemos o que vamos fazer. Ser integrante do grupo pra mim é maravilhoso, porque me divirto muito”, disse o músico.

 

SERVIÇO

O QUE: “Concerto cordas da alma”

QUEM: Arnaldo Freitas & Udi Cello Ensemble

QUANDO: Amanhã (23), às 19h

ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7.070, Tibery)

INGRESSOS: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) – quem doar 1kg de alimento não perecível paga meia-entrada. À venda na Dalaii Store, Terra Brasilis Restaurante, no site www.megabilheteria.com e amanhã também na bilheteria de teatro.

INFORMAÇÕES: 3235-1568


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »