12/01/2016

Uma mulher fez blackface para dar visibilidade às mulheres africanas e está surpresa que as pessoas estão ofendidas

buzzfeed.com

A jornalista húngara Boglarka Balogh contou para o BuzzFeed News que ela não acha que pintar a pele de negro seja ofensivo em seu país porque ele não tem a mesma história do que os EUA.
Há duas semanas, uma jornalista húngara chamada Boglarka Balogh postou um artigo no Bored Panda com o título: “Eu me transformei em mulheres africanas para aumentar a consciência de seu isolamento cultural”, que foi deletado.
Com a ajuda de um designer gráfico, Balogh se transformou em sete mulheres diferentes que ela disse serem reflexo de diferentes tribos africanas.
Conforme o post começou a ser compartilhado no Facebook, ele imediatamente sofreu críticas. O Jezebel escreveu sobre o projeto de Balogh, chamando-o de “o projeto menos honrado da história das bobagens idiotas e racistas.”
“Eu acho que a atenção que o post recebeu foi desproporcional, mas em geral eu só dou risada da ignorância das pessoas e do fato de que hoje me dia nós precisamos politizar tudo para vender”, disse Balogh ao BuzzFeed News.
Ela disse que a reação negativa, particularmente dos americanos no Facebook, a deixou confusa.
Balogh disse que seu trabalho foi criado depois de um projeto fotográfico de agosto, onde uma mulher usou Photoshop na sua foto em diferentes países para estudar as percepções de culturas diferentes sobre a beleza.
“Eu não sabia quão delicado era esse assunto, e como uma coisa pode ter um significado completamente diferente mil ou dois mil quilômetros longe da Hungria”, Balogh disse.

Relacionadas »
Comentários »