28/09/2017 às 15h01min - Atualizada em 28/09/2017 às 15h01min

Esporte ganha com reformas no UTC

ALBERTO GOMIDE | COLUNISTA
Foto: Divulgação

 

A Praça de Esportes Minas Gerais, que pertencia ao Estado e retornou ao Município de Uberlândia, vai passar por uma ampla reforma para, depois, sob a administração do Município, colocar em prática projetos relacionados a modalidades esportivas que possam ser praticadas no clube. Prefeitura e Futel já começaram as obras, e a previsão é que o serviço seja concluído talvez ainda este ano, para que atividades das escolinhas de natação, futsal, basquete, vôlei, handebol, hidroginástica e outras, possam ser iniciadas provavelmente no mês de fevereiro. O trabalho está sendo desenvolvido por equipes da Futel, Dmae, secretarias de Obras e Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico. O diretor da Futel, Sílvio Soares dos Santos, esclareceu que durante a primeira etapa de obras estarão em andamento os processos licitatórios para execução das reformas gerais nos ginásios Homero Santos, Dr. Eugênio Pimentel Arantes e no anexo. Preocupado com os alunos e atletas, o prefeito Odelmo Leão determinou que seja feita uma força-tarefa para acelerar a revitalização do espaço, ressaltou Sílvio Santos.

 

A história da Praça de Esportes/UTC

O Uberlândia Tênis Clube foi criado em 15 de abril de 1943, com a fusão do Uberlândia Clube e Associação Atlética Uberlândia, que realizavam suas atividades numa área onde hoje funciona a Escola Estadual Bueno Brandão, na Praça Tubal Vilela. É bom esclarecer que o Uberlândia Clube daquela época nada tem a ver com o Uberlândia Clube de hoje, que funciona na rua Santos Dumont, e que surgiu bem depois. Onde hoje funciona o UTC, existia uma área da prefeitura municipal, que passou a servir a Praça de Esportes Minas Gerais, em convênio com o Estado. Para utilizar a área, da fusão Uberlândia Clube/Associação Atlético Uberlândia nasceu o UTC, através de concessão do Estado para administrar a Praça de Esportes Minas Gerais, que o governo estadual da época criou em vários municípios. Criou-se então um tripé, com o Município continuando dono da área, o Estado dono da Praça de Esportes Minas Gerais, e o UTC assumindo a administração da Praça de Esportes. Em 1978, o Município doou toda a área ao Estado. Assim, a Praça de Esportes ficou dona de todo o patrimônio fisico, e o UTC manteve a concessão administrativa. Na época quase nada existia. Com o surgimento do UTC, em 1943, a Praça de Esportes Minas Gerais foi ganhando melhorias, hoje com toda a sua área física ocupada com obras diversas. Em 2005, o Estado resolveu transferir para os municípios todas as praças de esportes criadas por ele na década de 40. Uberlândia recebeu do Estado a doação da Praça de Esportes Minas Gerais, com toda a sua área e benfeitorias. Assim, a Praça de Esportes Minas Gerais continuou existindo, mas desta vez, pertencente ao Município de Uberlândia. A área é de 18.665,74 metros quadrados.

 

Briga por vagas no Caça e Pesca

Faltam duas rodadas para fechar a primeira fase do Torneio de Inverno de Futebol Máster do Clube de Caça e Pesca Itororó. Se algumas equipes estão tranquilas, com vagas já garantidas, outras estão em guerra entre si para decidirem as últimas das oito vagas para a etapa seguinte da competição. Águia e Carajás, com 5 e 4 pontos, respectivamente, vão apenas cumprir tabela, não têm mais chances de classificação. Na frente estão Martins, com 24 pontos, Osvaldo Rezende e Detroit, com 19, e Canaã Sênior, com 18 pontos - todos matematicamente classificados. Santa Mônica, com 17, Umuarama, com 16, e o Bandeirantes, com 15 pontos, dificilmente ficarão de fora da segunda fase. Aí fica faltando uma vaga e a situação está complicada, porque têm quatro brigando por ela: Jardim Patrícia, com 12, MDS Advocacia, F&A Advocacia e Ipanema, com 11. Isso reflete que partidas acirradas vão acontecer também nesta reta de chegada do final da etapa preliminar.

Relacionadas »
Comentários »