03/08/2022 às 08h00min - Atualizada em 03/08/2022 às 08h00min

O que é mesmo Valuation?

ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA
O que é mesmo Valuation?
Essa pergunta nos remete a pensar no faturamento ou no patrimônio físico da empresa.

O valor de um negócio vai muito além de seus equipamentos ou imóveis. Só para dar uma ideia, os ativos intangíveis podem corresponder a até 90% do valor de uma empresa.

O cálculo da avaliação da empresa ou Valuation relaciona muitas outras variáveis do negócio. E considera sua capacidade de geração de riqueza no futuro e não apenas sua condição atual. Além disso, faz análise das tendências do mercado. Tudo isso por meio de métodos especializados em garantir um valor justo, lógico e defensável perante o mercado, fruto de análise demonstrada e não de estimativas vagas.

Há diversos métodos capazes de estabelecer o valor de uma empresa. A escolha depende da realidade de cada empresa. Entre os principais métodos de avaliação de negócios estão: 

Fluxo de Caixa Descontado; avaliação relativa por múltiplos - valor de mercado; transações comparadas; valor de mercado; valor patrimonial ou contábil e liquidação.

Vamos refletir: O método de Valuation pelo Fluxo de Caixa Descontado, calcula o valor da empresa a partir do resultado que o negócio é capaz de gerar no futuro. Ele considera o potencial de geração de renda do negócio segundo suas características operacionais próprias. Por isso, sua premissa é a do valor intrínseco da empresa.

Trata-se do método mais aceito pelo mercado atualmente por ser considerado o mais completo e com maior grau de confiabilidade.

Para realizar o cálculo, em primeiro lugar, o FCD projeta os fluxos de caixa da empresa no futuro. Depois calcula o valor presente dessa riqueza por meio da aplicação de uma taxa de desconto, que reflete o custo do capital a ser investido no negócio.

Algumas informações são necessárias para projetar os fluxos de caixa futuros relativos à própria empresa e ao mercado: Levantamento de informações; Projeções dos fluxos de caixa; Determinação da taxa de desconto para trazê-los a valor presente e Estabelecimento do valor da empresa.

Para o ambiente interno, alguns dados importantes são considerados: os econômico-financeiros (direcionadores de valor, o retorno do investimento, a diversificação de ativos e de risco, a relação entre giro e margem operacional, custo e estrutura de capital etc.); os contábeis (DRE e Balanço Patrimonial); os comerciais (portfólio de produtos; margem dos produtos); os operacionais e de gestão do negócio (processos e análise dos departamentos) e os ativos tangíveis e intangíveis.

Quanto ao ambiente externo, no comportamento do mercado consideram-se premissas socioeconômicas como, por exemplo: desempenho do negócio; expansão da demanda e da concorrência; tendências de negócios e de novos produtos; oferta de crédito; preços de commodities; taxa de juros; crescimento do PIB; inflação; taxa de câmbio.

A Projeção dos fluxos de caixa é realizada a partir dos dados levantados. Em primeiro lugar, o avaliador realiza as projeções de fluxo de caixa a partir dos resultados históricos da empresa, ou seja, de sua taxa de crescimento, conforme a realidade e as perspectivas do mercado.

Em geral, a projeção é feita para um período de 5 a 15 anos, conforme o perfil do setor no qual a empresa encontra-se inserida. Contudo, o FCD considera também um valor residual ou de perpetuidade. Esse valor representa o fluxo de caixa que a empresa continua produzindo ao longo do tempo.

A Determinação da taxa de desconto é estabelecida após realizadas as projeções. É preciso determinar o valor presente correspondente à riqueza que a empresa produzirá no futuro. Para isso, se aplica uma taxa de desconto aos fluxos de caixa projetados.

Assim, essa taxa representa o risco do negócio e o retorno mínimo que o mercado espera de empresas do mesmo segmento. Por isso, também é chamada de Custo de Capital.

Geralmente, é calculada por meio do Custo Médio Ponderado de Capital (WACC), média ponderada entre o custo de capital próprio (acionistas) e o custo de capital de terceiros (financiamento, investimento), as duas fontes mais comuns de financiamento. O levantamento dos dados internos e de mercado é que ajuda na determinação da taxa de desconto.

A obtenção do valor da empresa é conseguido através da aplicação da taxa de desconto sobre o valor presente da riqueza que a empresa produzirá no futuro. 

Vamos pensar estrategicamente:  Quando utilizar o Valuation? os investimentos em ativos imobilizados (como as máquinas, os equipamentos, os veículos etc.) - o CAPEX - e no capital de giro operacional da empresa; a depreciação, se a empresa analisada tiver regime tributário Lucro Real.

Determinado o valor da empresa ou uma faixa de valor, o avaliador aplica diferentes taxas de descontos representativas aos cenários otimista, realista e pessimista.

Afinal, a premissa básica da avaliação é obter um valor ou faixa de valor que reflita o potencial da empresa.

A importância da avaliação da empresa está justamente no fato de que esse valor seja confiável, razoável e defensável diante do mercado. 

O benefício para o negócio é ainda maior, isso porque o percurso do Valuation por FCD realiza um “raio-x” das áreas estratégias do negócio e dão a dimensão de seus pontos fortes e fracos, assim como, de seus riscos e oportunidades. Essas informações, associadas ao know-how do avaliador, permitem traçar indicadores para aumentar o valor da empresa e até fazer gestão baseada em valor.

O Valuation tem sido cada vez mais utilizado no Brasil. O tema ganhou maior relevância no país depois dos anos de 1980 devido às privatizações e à abertura econômica no país.

Cada vez mais, o mercado brasileiro se familiariza com a importância de estratégias próprias para conhecer o valor de um negócio. Além disso, reconhece o papel do laudo de avaliação econômica de uma empresa para tomada de decisões de gestão e de estratégia financeira.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


Leia Também »
Comentários »