18/12/2021 às 08h00min - Atualizada em 18/12/2021 às 08h00min

A vitória das vacinas contra a COVID!

JOÃO LUCAS O'CONNELL
A gripe causada pelo SARS-COV2 atormentou o país e o mundo ao longo dos últimos 2 anos. Milhões de brasileiros ficaram gripados neste período. Para a nossa sorte, a grande maioria dos contaminados ficava gripado por 5 a 10 dias e se recuperava bem, com poucas ou nenhuma sequela. Mas, em muitos casos, a gripe provocada pelo novo coronavírus acabava complicando para um quadro de pneumonia viral. O quadro de pneumonia viral acaba retardando a recuperação do indivíduo. Muitos ficaram mal por dias ou semanas... Precisaram de antibióticos, corticoides, anticoagulantes, oxigênio e até de internação hospitalar para uma melhor recuperação. Infelizmente, para uma minoria dos pacientes (menos de 1% dos contaminados), o quadro pulmonar acabava evoluindo para um quadro inflamatório pulmonar grave, que levava à inflamação sistêmica, acometimento de outros órgãos e sistemas e até ao óbito. Chegamos a registrar mais de 3.000 óbitos por dia por várias semanas seguidas em Abril. No total, mais de 600.000 brasileiros perderam suas vidas por causa da contaminação pelo SARS-COV2.

Ao longo do ano passado, várias vacinas contra a COVID foram desenvolvidas! Em tempo recorde, as primeiras doses foram aplicadas por aqui no início deste ano. Desde então, o Brasil embarcou numa eficiente campanha de vacinação. Apesar de todos os pesares e do forte time dos “anti” que foi criado, a vacinação contra a COVID no Brasil avançou de maneira muito positiva ao longo deste ano. Dando mais ouvidos à razão e menos atenção às “fake News”, milhões e milhões de brasileiros foram vacinados em 2021. Segundo os dados oficiais divulgados esta semana, mais de 140 milhões de pessoas (2 em cada 3 brasileiros) já estão completamente imunizadas. Mais de 165 milhões (mais de 78%) já tomaram, pelo menos, uma dose da vacina. Mais de 10% das pessoas já tomaram, inclusive, uma terceira dose (o que aumenta em muito o poder da imunização). Somando todas as vacinas dadas, temos mais de 300 milhões de doses já aplicadas. Aos trancos e barrancos, foi uma vitória muito positiva da ciência, do jornalismo sério e do Programa de Imunizações do Brasil. 

Para o bem da humanidade, as vacinas contra a COVID se mostraram altamente eficazes. Não só dentro do ambiente científico das pesquisas científicas em que foram testadas mas, também, no mundo real! Com o progresso e aumento da vacinação, obtivemos uma diminuição, bastante proporcional, do número de novos casos da doença! Ao longo do último semestre, vivenciamos uma diminuição expressiva dos casos graves da doença, daqueles que necessitavam internação ou que iam a óbito. 

Todo este sucesso da campanha de vacinação não foi fácil de ser atingido. Ao longo do ano, foram levantadas várias dúvidas em relação à eficácia e também em relação à segurança das vacinas. Autoridades do próprio governo, políticos, médicos e “cientistas” colocaram sistematicamente o poder de imunização das vacinas em dúvidas, o que poderia ter comprometido seriamente a eficácia da campanha. Para a nossa sorte, a luz venceu as trevas! A ciência venceu! As vacinas venceram! Bom para a humanidade. Ruim para a turma do contra. Ruim para os “anti”. Muitos destes ainda torcem para a chegada de uma nova variante que drible o poder de imunização das vacinas ou a descoberta de efeitos colaterais tardios das vacinas, uma vez que as tão divulgadas reações adversas graves e potencialmente fatais, acabaram não acontecendo... 

Entretanto, apesar do relativo controle da pandemia no país neste momento, nem tudo é alegria... Graças ao sucesso das vacinas contra as variantes usuais do SARS-COV2, teríamos tudo para desfrutarmos de um fim de ano tranquilo, com mais abraços, menos máscaras, mais confraternizações e menos ansiedade e preocupações! Infelizmente, não vai ser bem assim... Surtos de gripe provocados por novas variantes do coronavírus (acometendo a Europa) e surtos de gripe por uma variante do vírus Influenza (se espalhando pelo Brasil) vão tornar nosso fim de ano menos feliz e mais tenso. Apesar de menor potencial de gravidade e de sobrecarregar nossos hospitais e nossos sistemas de saúde, estes novos surtos de gripe têm forte possibilidade de nos incomodar ao longo das próximas semanas. Assim, todos os demais cuidados de distanciamento e proteção manual e respiratória devem, infelizmente, ser continuados para a proteção de nossa saúde. Vamos tentar nos proteger. Os casos de gripe vão aumentar muito por aqui nas próximas semanas. Em caso de sinais de alerta e piora da gripe a partir do quinto dia, procure um Pronto Socorro!


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Leia Também »
Comentários »