17/11/2019 às 08h10min - Atualizada em 17/11/2019 às 08h10min

Sankhya premiada

TANIA MALAMUD

A Sankhya, fornecedora de sistemas de gestão (ERP), foi premiada como Destaque do Ano no Anuário Informática Hoje, que existe há 33 anos no mercado e que realiza um levantamento econômico-financeiro do setor de TI, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além disso, a Sankhya figura entre as 10 Empresas Campeãs de Crescimento em 2019, que são aquelas que obtiveram o maior crescimento, em percentual, da receita líquida. O levantamento também reconheceu a Sankhya com a 14ª posição, entre as 200 prestadoras de serviços de médio porte mais eficientes do Brasil. A companhia também subiu da 113ª posição em 2018, para 104° lugar em 2019, no ranking geral empresas, entre elas Google, Apple, Claro, Vivo, entre outras, que avalia itens como a evolução da receita líquida, o crescimento real das vendas, a rentabilidade sobre o patrimônio, a rentabilidade das vendas líquidas, entre outros fatores.

De acordo Felipe Calixto, diretor presidente da Sankhya, o desempenho no Anuário é fruto da criação de ofertas que vão revolucionar a maneira de gerir o negócio. "Trabalhamos arduamente na elaboração da Plataforma de Inteligência Empresarial (EIP - Enterprise Intelligence Platform). O EIP vai além do tradicional ERP e utiliza tecnologias como Inteligência Artificial, Machine Learning, Internet das Coisas, banco de dados, Big Data e plataformas de colaboração, integrando dados internos a sistemas especializados e informações externas."

Entre as inovações que compõem o EIP, Calixto destaca a BIA, assistente virtual inteligente, exclusiva da Sankhya. Por meio de comandos de voz, a BIA analisa e entrega dados das operações de negócios em tempo real, em qualquer dispositivo, seja ele móvel ou desktop. "A BIA é uma ferramenta incrível, que tem a capacidade de ajudar os gestores de empresas de todos os segmentos e tamanhos a aprimorarem a maneira como controlam cada área corporativa, especialmente a de vendas, na qual os profissionais precisam estar em constante movimento e sempre munidos das últimas informações de estoque, promoções, descontos etc.", afirma.

O executivo também atribui os números à estratégia de expansão pelas principais capitais brasileiras, inaugurando novas unidades de negócio, que hoje somam 34 no total, e às parcerias como a realizada com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE), que consiste na integração dos dados macroeconômicos da instituição ao seu sistema de Business intelligence e à assistente virtual BIA.

"Além disso, também nos preparamos para atender à crescente demanda das companhias nacionais, não apenas por soluções de gestão de ponta, mas também oferecendo atendimento diferenciado, ágil e confiável". Calixto se refere à criação do núcleo de sucesso do cliente, área que estabelece um elo entre as áreas de Implantação, Universidade Corporativa, Service Desk para antecipar as necessidades de negócio das empresas. Hoje mais de 10 mil clientes de diferentes portes e segmentos, que somam 100 mil usuários, utilizam as soluções Sankhya.

Fundada em 1989, a Sankhya Gestão de Negócios, além de oferecer sistemas de gestão empresarial para pequenas, médias e grandes empresas, acompanha a evolução de seus clientes utilizando um exclusivo modelo de diagnóstico que identifica em qual estágio gerencial eles se encontram, e com isso define os processos que precisam ser melhor estruturados e suas prioridades. Atualmente, a empresa possui 34 Unidades de Negócios e já conta com uma equipe superior a 1.000 funcionários e 10 mil clientes nos 26 estados do Brasil.
 
VENDAS NO NATAL DEVEM MOVIMENTAR R$ 60 BILHÕES
Mesmo com o orçamento apertado, a maior parte dos brasileiros não vai abrir mão de garantir os presentes de Natal, a data mais importante para o varejo tanto em volume de vendas quanto em faturamento. A conclusão é de uma pesquisa feita em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). De acordo com o levantamento, 77% dos consumidores devem presentear alguém no Natal deste ano, percentual próximo aos 79% que fizeram compras na data do ano passado. Isso significa que, acompanhando os passos da retomada gradual da economia no pós-crise, aproximadamente 119,8 milhões de brasileiros devem ir às compras este ano.

Considerando somente a aquisição de presentes natalinos, a injeção de dinheiro na economia deverá ser da ordem R$ 60 bilhões no comércio e no setor de serviços, a cifra é próxima à soma do movimento estimado em datas como Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia dos Namorados e Dia das Crianças deste ano, o que ajuda a ter uma ideia da magnitude da importância do Natal para a economia do país.

De acordo com a pesquisa, 17% dos consumidores ainda não decidiram se vão adquirir presentes e apenas 7% declararam abertamente não terem a intenção de presentear terceiros. Entre aqueles que não pretendem presentear no Natal, a principal justificativa é a falta de dinheiro (39%). Há ainda 15% de entrevistados que não têm o costume e outros 15% que estão desempregados.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a pesquisa demonstra que a força simbólica e cultural do Natal se sobrepõe às adversidades que os brasileiros ainda lidam com as finanças pessoais. “O Natal é o período mais aguardado do ano para consumidores e comerciantes e dá indícios de que a disposição dos brasileiros para consumir está retornando, ainda que aos poucos. Mesmo que a recente liberação dos recursos do FGTS vá, principalmente, para o pagamento de dívidas, o comércio pode se beneficiar da medida para novas vendas, pois esses consumidores estarão recuperando seu crédito na praça. De modo geral, os dados comprovam que o hábito de presentear nesta data é cultural entre os brasileiros e sobrevive mesmo quando há dificuldades econômicas”, explica a Pellizzaro Junior.
 
EMPRESÁRIO GENÉSIO DE MELO PEREIRA É RELEMBRADO
A trajetória do empresário Genésio de Melo Pereira, 1925-1994, foi relembrada em duas cerimônias realizadas em Uberlândia, a última delas na terça-feira (12), durante a Comenda Genésio de Melo Pereira, que acontece a cada três anos, na Câmara Municipal, como forma de homenagear engenheiros e arquitetos da cidade. No fim de outubro, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) também recordou a história do primeiro reitor da instituição, em comemoração aos 50 anos de formatura das primeiras turmas das engenharias química e mecânica, em 1969, com a entrega da Medalha Professor Genésio de Melo Pereira aos formandos daquele ano.

Além de ajudar na formação e federalização da UFU, criando a então Escola de Engenharia de Uberlândia (EEU) e doando a área onde deu início ao campus Santa Mônica, Genésio de Melo, ao lado dos sócios do extinto Grupo Carfepe, hoje Grupo Carpe, administradora da loteadora ITV Urbanismo, foi um dos fundadores de importantes empresas da cidade com Moinho de Trigo Sete Irmãos, Granja Planalto e Instituto Vallée, entre outras. Em 1979, doutor Genésio, como muitos o chamam até hoje, foi destaque no Estado, ao receber o Mérito Industrial, em Belo Horizonte, entregue pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) a lideranças que sobressaem pelo pioneirismo e presença na vida da comunidade. Entre 1988 e 1990, foi ainda o presidente da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub).

Além de doar a área do campus Santa Mônica, a ITV Urbanismo, administrada desde 1972 pelas famílias de Genésio de Melo e Helvécio Carneiro, expandiu a cidade com a comercialização de mais de 75 mil lotes e a doação de 2 milhões de m², como a área onde está o Cemitério Campo Bom Pastor, a Ceasa, o Presídio Jacy de Assis, o 36º Batalhão de Infantaria, o corredor de ônibus do Novo Mundo e parte do Parque do Sabiá. “Meu pai tinha um ideal que era ajudar as pessoas, criando emprego e dando oportunidade de estudo. Tem gente que trabalha conosco há 30, 40 anos”, disse Mauro de Freitas Pereira, presidente da ITV Urbanismo.
 
COXINHA EM COPO FATURA MAIS DE 15 MILHÕES
Do desejo de empreender até se consagrar como franquia de sucesso, Carol Martinelli, teve uma longa jornada de desafios superados e hoje comemora a criação da rede de coxinhas que leva seu nome e que faturou mais de 15 milhões de reais em 2017.
A empresária, em parceria com o marido, adquiriu uma lanchonete falida na cidade de Andradas, interior de Minas Gerais, em 2009. Disposto a mudar o cenário, o casal arregaçou as mangas e colocou a mão na massa.

“Na primeira noite em que abrimos, nós choramos porque não tínhamos recebido nem 20 reais para pagar o motoboy, mas não podíamos desistir. Tínhamos um empréstimo de 30 mil que adquirimos para comprar o negócio e precisávamos de dinheiro para pagar as parcelas”, conta Carol.

Trabalhando de domingo a domingo, em apenas um ano, a lanchonete transformou-se em uma conceituada hamburgueria, conquistando o prêmio de Melhor do Ramo. Após 6 anos de sucesso da lanchonete, em 2015, surgiu a ideia de abrir uma loja só de coxinhas, o primeiro passo para a construção de um império fingerfood.

“Três grandes diferenciais foram determinantes para o sucesso do nosso negócio: primeiro, as coxinhas são feitas artesanalmente em um processo familiar; são servidas em copos de diversos volumes, de acordo com a fome do cliente, e terceiro, as coxinhas possuem tamanhos personalizados e sabores diferenciados”, completa a empresária.

As receitas das coxinhas são exclusivas e a cada data festiva e comemorativa são lançados novos recheios e sabores, como por exemplo, a morangoxinha (massa crocante de coxinha com recheio de morango), chocoxinha (massa crocante de coxinha com recheio de chocolate) e coxibe (mistura inusitada de dois tradicionais quitutes: quibe e coxinha). Todos os produtos, desde os mais tradicionais, até as reinvenções ou criações, precisam ter o melhor sabor, a melhor massa, o melhor recheio e atingir o padrão de qualidade estabelecido pela marca.

Seis meses depois da inauguração da primeira loja, Carol abriu sua primeira franquia em Poços de Caldas. Atualmente são mais de 40 lojas espalhadas pelos estados de São Paulo, Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasília e Santa Catarina, com a meta de conquistar o paladar de outras regiões do país, num faturamento duas vezes maior do que o conquistado em 2017.
 
TENDA LUCRATIVA
O lucro líquido da Construtora Tenda, que tem como foco empreendimentos residenciais populares enquadrados nas faixas 1,5 e 2 do programa Minha Casa, Minha Vida, foi de R$ 64,6 milhões no 3º trimestre de 2019, em linha com o valor apresentado no mesmo período do ano anterior.

À VENDA  
A Petrobras iniciou a divulgação das de vendas de seus negócios de distribuição de combustíveis, lubrificantes e fertilizantes no Uruguai. Em nota, a companhia explicou que a finalidade é vender 100% das ações detidas pela Petrobras Uruguay Sociedad Anónima de Inversiones (Pusai), subsidiária da Petrobras, na Petrobras Uruguay Distribuición S.A. (PUDSA), empresa que atua no segmento de distribuição no país.

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.








 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »