28/06/2019 às 08h15min - Atualizada em 28/06/2019 às 08h15min

As meninas da TI

MARIANA SEGALA

Num setor ainda predominantemente masculino, como é o caso da tecnologia, iniciativas que celebram e incentivam a presença das mulheres são um ponto de conforto. Em Uberlândia, uma delas terá início oficial neste fim de semana: a Copa TI Girl Power. A versão masculina do torneio de futsal – em que disputam equipes formadas por profissionais das empresas do setor de tecnologia da informação – já teve seis edições. Mas é a primeira vez que as mulheres da TI se reúnem para jogar. Quatro equipes foram formadas, com profissionais de empresas como TQI, Callink, Neppo e Zup. Ao todo, são 42 mulheres inscritas. Os jogos, que começam neste domingo, serão intercalados com palestras e encontros durante a semana, com temas em torno do empreendedorismo e do empoderamento feminino. A ideia é que mais do que uma competição esportiva, a Copa TI Girl Power funcione como um espaço de discussão e um ambiente de aproximação para elas. As mulheres representam aproximadamente 20% da força de trabalho das empresas de tecnologia no Brasil, segundo dados compilados pela Softex. #Respeitaasminas
 
DIVERSIDADE
A Algar Tech se tornou, nesta semana, a primeira empresa de Minas Gerais a integrar o Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+. O movimento envolve empresas que procuram reconhecer e apoiar os direitos da comunidade LGBTI+. Ao assinar a lista de 10 Compromissos da Empresa com a Promoção dos Direitos LGBTI+, a Algar Tech formaliza seu comprometimento com a causa. No ano passado, o Grupo Algar criou um programa de diversidade batizado Algar Sem Barreiras, com o propósito de fortalecer o respeito no ambiente de trabalho com práticas que não tolerem a discriminação, independentemente de gênero, idade, deficiência, raça ou orientação sexual.
 
DANÇA DAS CADEIRAS
Maurício Lemos assumiu, na última semana, a Diretoria de Inovação da Prefeitura de Uberlândia. Desde o início deste ano, o cargo era ocupado por Fran Rodrigues. Graduado em administração pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Lemos ocupou funções executivas em grandes empresas, além de já ter trabalhado em companhias globais de terceirização, como PwC e Hewitt Associates. Nos últimos dois anos, foi diretor de operações da Alsol Energias Renováveis, aqui na cidade. A coluna deseja boa sorte a Lemos.
 
EM TEMPO
Aliás, a venda da Alsol foi concluída há poucos dias. Pioneira no país em sistemas fotovoltaicos e armazenamento de energia por meio de baterias de lítio, a empresa foi adquirida pela Energisa, que levou 87% da empresa por cerca de R$ 12 milhões. A operação havia sido anunciada em maio. Desde que foi fundada, em 2012, a Alsol cresce acima da média nacional. Enquanto o avanço da potência fotovoltaica instalada no Brasil cresceu 29% por trimestre entre 2012 e 2018, o aumento passou de 37% na Alsol, na mesma comparação.

ENERGIA DO SOL
A geração de energia fotovoltaica é um segmento em franca expansão em Minas Gerais. O diretor presidente da Cemig, Cledorvino Belini, anunciou nesta semana que a empresa vai capitanear um investimento de R$ 300 milhões em geração e distribuição de energia solar na região Norte do estado. Para terminar o ano com uma potência de geração de 60 MW, a empresa espera contar com a participação da iniciativa privada, por meio de licitação, conforme informações do jornal O Tempo. Em Uberlândia, a própria Alsol está fazendo um investimento de R$ 40 milhões na construção de dois parques solares com capacidade de geração de 10 MW.
 
GESTÃO DE PROJETOS
Acontece neste sábado a Conferência de Gerenciamento de Projetos (Congp) promovida pelo Triângulo Mineiro Branch do PMI-MG. É a sexta edição do evento, considerado um dos maiores do interior do Brasil sobre essa temática. O Congp será realizado no CDL Uberlândia, a partir das 8h.

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »