12/04/2019 às 08h32min - Atualizada em 12/04/2019 às 08h32min

Uberhub no Vale

MARIANA SEGALA
Nesta semana, o Brasil esteve em evidência no Vale do Silício, na Califórnia. Uma conferência organizada por acadêmicos brasileiros da universidade americana de Stanford – batizada Brazil At Silicon Valley – reuniu mais de 60 palestrantes para discutir os caminhos da tecnologia no país. Um dos pontos altos foi o lançamento de um amplo estudo da consultoria McKinsey sobre a cena da inovação nacional. Em poucas palavras, o levantamento – quase 200 páginas de estatísticas e análises – indica que embora esteja entre os mais conectados do mundo, o país ainda ganha menos do que poderia com o digital. As maiores empresas do Brasil continuam sendo exatamente as mesmas do início da década, todas representantes da chamada “velha economia”: Petrobras, Vale, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil. Em países como os Estados Unidos e a China, companhias digitais – como Apple, Amazon, Google, Alibaba e Tencent – assumiram o topo do ranking nos últimos anos, no lugar de representantes dos setores tradicionais.

Mas para a turma da tech da cidade, o Brazil Digital Report teve sabor especial. Minas Gerais ganhou espaço de destaque no trecho do relatório que descreve os principais centros de inovação do Brasil, concentrados em oito estados e no Distrito Federal. Um dos polos indicados no material é Uberlândia, com o Uberhub (ecossistema de inovação da cidade) e a comunidade de startups Colmeia. Os dados mais recentes indicam a existência de 104 startups na cidade, sendo as voltadas para os setores de educação e agronegócio as mais numerosas, segundo a base da Associação Brasileira de Startups (ABStartups). No relatório da McKinsey, os holofotes se voltaram para empresas e startups como Zup, Gaio, Callink, Recrutei e Alluagro. O estudo está disponível no site do evento (www.brazilatsiliconvalley.com).
 
Aluguel + Programação
 
Quem também participou do Brazil At Silicon Valley foi o governador mineiro, Romeu Zema. Único político em cargo executivo lá presente, Zema esteve no palco em uma das palestras. Em entrevista ao Canal Meio durante o evento, disse: “Em Minas, percebemos que um dos problemas das startups é o preço do aluguel. Vamos oferecer imóveis do estado com valor mais baixo para eles”. E mais: “Queremos também abrir as escolas estaduais para cursos de programação que qualquer aluno poderá fazer. Faltam programadores”. Por ora, sem mais detalhes.
 
Drones contra dengue
 
Para além do mapeamento agrícola, uma função há tempos explorada por startups da cidade, os drones também estão sendo usados em Uberlândia no programa de controle da dengue, realizado pela Prefeitura. Um total de 265 quarteirões de seis bairros foram fotografados no último mês com as pequenas aeronaves não tripuladas. Assim como o mosquito transmissor da doença, os ambientes em condições favoráveis à sua reprodução também proliferam. Até agora, foram identificadas 81 piscinas sem manutenção de rotina, dez caixas d’águas não vedadas e 20 residências objetos, com entulho e lixo acumulados. Os drones estão servindo para monitorar os imóveis em que as equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) não conseguem entrar por algum motivo. As imagens, de responsabilidade do programa, não serão divulgadas e servirão apenas para encontrar focos do mosquito.
 
Inovação mão na massa
 
A Algar Tech realizará, entre os dias 22 e 26 de abril, a quarta edição da sua Digital Transformation Week (DT Week). Trata-se de um evento que procura materializar temas da indústria 4.0, gerar engajamento para a inovação e incentivar a geração de novos projetos e ideias. Planejada de forma colaborativa junto com o ecossistema de inovação da cidade, a DT Week terá palestras e também seções de inovação ao estilo “mão na massa”, em atividades com impressão 3D e oficinas de construção de chatbots. As inscrições são feitas pelo site www.sympla.com.br.
 
Lixo eletrônico
 
O que você faz com monitor velho, celular que não funciona mais, teclado quebrado? Lixo eletrônico é um problema no mundo inteiro, e aqui não é diferente. Por isso, o Social Bank abrirá as portas para quem precisa encaminhar materiais desse tipo e não sabe para onde. Em parceria com a Codel, empresa de coleta e destinação de lixo eletrônico, o Social Bank realizará uma ação de descarte consciente na próxima terça-feira (16). Para dar fim a equipamentos sem uso, basta comparecer na Rua Carajás, 384, a partir das 19h.
 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »